Categorias
Informações

Por que construir pontes e não muros lhe garante uma liderança eficaz em um ecossistema global?

A era da globalização transformou radicalmente o tecido da economia mundial, tornando a interconexão entre mercados, culturas e organizações não apenas um fenômeno, mas uma necessidade. Diante dessa realidade, emerge um desafio crítico para a liderança: como navegar e prosperar neste ecossistema global diversificado? Este artigo defende a essencialidade de uma liderança que prioriza a construção de pontes, superando barreiras culturais e organizacionais, como a chave para uma liderança eficaz em um mundo interconectado.

Desafios da Liderança Global

Os líderes de hoje enfrentam um ambiente complexo e volátil, onde barreiras culturais, diferenças de comunicação e a gestão de equipes interculturais se apresentam como desafios significativos. Esses desafios são amplificados pela necessidade de compreender as dinâmicas inter e intraorganizacionais em um cenário global. A liderança global, portanto, demanda não apenas uma compreensão das diferenças, mas a habilidade de transformar essas diferenças em pontos de força.

A Importância de Construir Pontes

No coração da liderança eficaz em um contexto global está a capacidade de construir “pontes” – conexões que promovem uma comunicação clara, colaboração profunda e compreensão mútua entre diversas culturas e setores. Essas pontes atuam como antídotos contra os “muros” de mal-entendidos e preconceitos, facilitando um ambiente onde a inovação e a criatividade podem florescer a partir da diversidade.

Estratégias para Liderança Eficaz em um Ecossistema Global

A liderança eficaz neste cenário globalizado envolve várias estratégias práticas:

  • Empatia e Compreensão Cultural:  Uma imersão profunda nas diversas culturas ajuda a criar uma base sólida de empatia e compreensão, fundamentais para qualquer líder global.
  • Comunicação Intercultural Efetiva: Desenvolver a capacidade de comunicar-se claramente além das barreiras linguísticas e culturais é crucial, assim como a habilidade de escutar ativamente e interpretar os subtextos culturais.
  • Fomento à Colaboração e Inovação: A diversidade deve ser vista como um motor de inovação. Promover a colaboração entre equipes de diferentes culturas estimula a criatividade e leva a soluções inovadoras.
  • Liderança Inclusiva e Participativa: Criar um ambiente onde todos os membros da equipe se sintam valorizados e tenham espaço para contribuir é essencial para uma liderança eficaz.

A liderança que foca em construir pontes, não muros, é imperativa em um mundo cada vez mais globalizado e interconectado. Este artigo enfatizou a importância desta abordagem de liderança e como a Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Fundação Dom Cabral pode ser a chave para desenvolver tais líderes globais. Encorajamos os leitores a refletirem sobre suas práticas de liderança e considerarem como esse programa pode enriquecer sua capacidade de liderar eficazmente através das fronteiras culturais e organizacionais.

O programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Fundação Dom Cabral é meticulosamente projetado para endereçar os desafios acima, equipando líderes com as habilidades necessárias para atuar eficazmente em um cenário global. Através de uma combinação de teoria avançada, estudos de caso práticos e interações interculturais, o curso prepara os líderes para construir pontes efetivas, destacando-se na gestão intercultural, estratégias globais de comunicação e liderança inclusiva. Testemunhos de ex-alunos ilustram o impacto transformador do curso em suas trajetórias profissionais, capacitando-os a ultrapassar barreiras culturais e organizacionais com sucesso.

O próximo passo é com você!

Explore mais profundamente como o programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Fundação Dom Cabral pode ajudar você a se tornar um líder que não apenas navega, mas prospera em um ecossistema global. Dê o próximo passo para se tornar o líder global que o futuro exige.Parte superior do formulário

Clique aqui para saber mais sobre a Pós.

Categorias
Informações

Governança Corporativa: Chave Mestra para o Sucesso Empresarial

Em um cenário empresarial cada vez mais complexo e dinâmico, a governança corporativa não é mais apenas uma opção, mas uma necessidade imperativa para o sucesso e sustentabilidade das empresas. Mas o que realmente faz da governança corporativa um pilar tão essencial para as empresas modernas?

A governança corporativa atua como alicerce para organizações que buscam excelência e integridade, alinhando interesses entre gestão, acionistas e outras partes interessadas. Neste artigo, mergulhamos nas raízes da governança corporativa, explorando não apenas sua importância estratégica, mas também como ela se torna um catalisador para a confiança, eficiência e, fundamentalmente, para a excelência empresarial.

O Que é Governança Corporativa?

A governança corporativa representa o framework dentro do qual as empresas são dirigidas e controladas. Englobando práticas, políticas e mecanismos de gestão, visa assegurar transparência, equidade e responsabilidade, garantindo que as decisões tomadas estejam alinhadas com os interesses de todos os stakeholders, incluindo acionistas, colaboradores, clientes e a sociedade como um todo.

A Importância da Governança Corporativa

No coração da governança corporativa, está a busca por um equilíbrio entre os objetivos econômicos e sociais, entre metas individuais e coletivas. Este equilíbrio é essencial para:

Aumentar a confiança dos investidores, crucial em um ambiente econômico onde a confiança é um recurso valioso;

Melhorar a tomada de decisões, assegurando que estas sejam feitas com uma compreensão clara de suas repercussões;

Fomentar a sustentabilidade a longo prazo, permitindo que as empresas não apenas sobrevivam, mas prosperem em um mercado em constante mudança.

Os Pilares da Governança Corporativa

  1. Transparência: Informações claras e precisas devem estar acessíveis para todos os interessados, permitindo decisões informadas.
  2. Equidade: Tratamento justo e igualitário de todos os stakeholders, protegendo minorias e evitando conflitos de interesses.
  3. Prestação de Contas: Administradores devem prestar contas de suas ações, justificando-as dentro do framework de governança estabelecido.
  4. Responsabilidade Corporativa: A empresa deve atuar de forma responsável em relação ao seu impacto ambiental, social e econômico.

Por Que a Governança Corporativa é Indispensável?

Além de fortalecer a confiança dos investidores e do mercado, uma governança corporativa robusta traz inúmeros benefícios, incluindo:

  • Melhoria nos Resultados Financeiros: Empresas com práticas de governança sólidas tendem a ter um desempenho financeiro superior, atraindo investimentos e parcerias valiosas.
  • Construção de Reputação: Uma gestão transparente e ética fortalece a imagem da empresa, promovendo lealdade entre clientes e colaboradores.
  • Sustentabilidade e Responsabilidade Social: Comprometimento com práticas sustentáveis que garantem a longevidade da empresa e seu impacto positivo na sociedade.

Desafios e Soluções em Governança Corporativa

Implementar e manter práticas robustas de governança corporativa apresenta desafios, como resistência à mudança, complexidade organizacional e necessidade de alinhamento entre diferentes grupos de interesse. Superar esses obstáculos requer:

  • Compromisso da liderança com a cultura de governança;
  • Formação e capacitação contínua dos membros do conselho e gestores;
  • Políticas claras e mecanismos de controle eficazes;
  • Comunicação transparente e aberta com todas as partes interessadas.

Superando Desafios com Governança Corporativa

Embora a importância da governança corporativa seja incontestável, sua implementação pode enfrentar obstáculos significativos, desde resistências culturais internas até a complexidade de alinhar todas as partes interessadas sob a mesma visão estratégica.

Pois chegou a hora de aprender a transformar sua empresa familiar em uma organização sólida e bem-sucedida. Faça um programa de nível internacional, com a 7ª melhor escola de negócios do mundo, a Fundação Dom Cabral, sem sair São Paulo.

Com uma metodologia comprovada e um corpo docente altamente qualificado, o programa de Governança Corporativa em Empresas Familiares irá ajudar você a desenvolver habilidades para um autodiagnóstico, habilidades para lidar com as complexidades das relações familiares no ambiente de negócios, além de lhe apresentar aportes conceituais e explorar casos de sucesso de melhores práticas de empresas familiares em todo o mundo.

A governança corporativa é mais do que um conjunto de regras; é uma filosofia de gestão que requer compreensão, comprometimento e ação.

Neste programa, as empresas familiares aprendem sobre:

  • Conceituação e histórico da Governança Corporativa
  • Conflitos de interesse em empresas familiares
  • Diferenciação entre Governança e Gestão
  • Estrutura de Governança em uma Empresa de controle familiar

Transforme a Governança da Sua Empresa

Pronto para elevar sua compreensão de governança corporativa e impactar positivamente sua organização?

Longevidade e planejamento da sucessão; promoção da harmonia familiar e coesão societária; melhoria do processo de tomada de decisão; e ampliar a credibilidade e transparência facilitando o acesso a capital.

Inscreva-se hoje no Programa Governança Corporativa em Empresas Familiares. Clique aqui para se tornar um catalisador de mudanças positivas e sustentáveis.

Categorias
Informações

Entenda impacto da globalização nos negócios e saiba como se preparar para isso

A globalização se tornou uma realidade presente em nosso dia a dia, moldando o cenário empresarial em todo o mundo. Do comércio internacional à tecnologia, passando pela cultura e pela política, a globalização permeia todos os aspectos da vida moderna, incluindo os negócios. 

Mas como posso entender o impacto da globalização no mundo do empresarial? E como posso me preparar, como profissional, para essa transformação na minha carreira?

São essas as principais perguntas que respondemos a seguir. Você vai entender e se preparar para os desafios e oportunidades que a globalização apresenta.

O novo cenário global

O primeiro ponto é entender o que é essa globalização. Em termos simples, a globalização nos negócios refere-se à interconexão cada vez maior das economias, mercados e empresas em escala global. Isso é impulsionado por avanços tecnológicos, políticas comerciais mais abertas e uma crescente interdependência entre os países. 

Como resultado, as empresas agora enfrentam uma concorrência global, têm acesso a uma base de consumidores mais ampla e podem aproveitar talentos e recursos de diferentes partes do mundo. 

A globalização não é apenas um fenômeno econômico; é cultural, tecnológico e político. Ela influencia desde pequenas startups até gigantes multinacionais, redefinindo o conceito de competitividade.

Ou seja, uma empresa da China pode ter uma demanda que a sua empresa do interior de São Paulo oferece uma melhor solução e com um preço mais competitivo. Assim como a sua empresa, de qualquer parte do mundo, pode oferecer um serviço essencial para quem está a milhões de quilômetros de distância. 

Competências para o profissional do futuro

Com o desenvolvimento da sua carreira, você se sente preparado para a alta competitividade deste atual mercado global? Veja a seguir alguns pontos importantes sobre esse preparo:

  • A tecnologia desempenha um papel fundamental na capacitação para você competir globalmente. Isso inclui investimentos em sistemas de gestão empresarial, plataformas de comércio eletrônico, análise de dados e comunicação digital. 
  • Os líderes empresariais e os funcionários devem desenvolver uma mentalidade global, estando abertos a diferentes culturas, perspectivas e formas de trabalhar. Isso pode envolver treinamento cultural e linguístico, bem como oportunidades para experiências internacionais. A habilidade de entender e respeitar as diferenças culturais.
  • Parcerias estratégicas com empresas locais em mercados estrangeiros podem ajudar as empresas a superar barreiras de entrada e se adaptar mais rapidamente a novos ambientes comerciais. 
  • A inovação contínua é essencial para se destacar em um mercado global. As empresas devem estar constantemente buscando novas maneiras de melhorar produtos, processos e experiências do cliente. 
  • Com operações em múltiplos países, as empresas enfrentam uma variedade de riscos, desde flutuações cambiais até instabilidade política. O profissional precisa estar preparado para essa nova realidade. 
  • Com o cenário global em constante evolução, a capacidade de se adaptar rapidamente e estar sempre aprendendo é crucial.
  • Compreender as complexidades dos mercados globais e desenvolver estratégias que aproveitem as oportunidades internacionais.
  • Além das habilidades interpessoais, o conhecimento profundo sobre as especificidades de cada setor e as tecnologias emergentes é fundamental.
  • Construir e manter uma rede de contatos diversificada pode abrir portas e proporcionar insights valiosos sobre tendências globais.

Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, falou sobre a preparação de profissionais para a globalização das empresas.

“Aprendemos que a preparação para a globalização começa com uma mentalidade aberta. Isso significa investir em treinamento e desenvolvimento para equipes, garantindo que todos estejam preparados para colaborar efetivamente em um ambiente global”, comentou Marcus.

“É fundamental desenvolver relacionamentos sólidos e parcerias estratégicas. As alianças nos fornecem insights valiosos sobre os diferentes mercados e nos ajudam a superar barreiras de entrada. Como profissionais, precisamos estar sempre aprendendo e nos adaptando”, complementou. 

Navegando pelas ondas da globalização

Com a globalização, as barreiras para entrada em novos mercados diminuíram significativamente. Isso significa que você agora compete não apenas com concorrentes locais, mas também com concorrentes de todo o mundo. 

Para se destacar nesse ambiente altamente competitivo, você precisa ser ágil, inovador e adaptável.

Um profissional pode expandir seus negócios para novos países e regiões, alcançando um público mais diversificado. Isso pode resultar em um crescimento significativo e uma base de clientes mais robusta. 

A globalização muitas vezes significa que as empresas dependem de uma cadeia de suprimentos global. Isso pode aumentar a complexidade da gestão da cadeia de suprimentos, com desafios como coordenação logística, controle de qualidade e gestão de riscos geopolíticos. 

Com operações em vários países, é preciso lidar com uma variedade de culturas e idiomas. Compreender e respeitar essas diferenças é essencial para construir relacionamentos sólidos com clientes, parceiros e funcionários em todo o mundo. 

O papel da educação

A reflexão final deste artigo está no atual momento da sua carreira. Aqui você pode separar 5 pilares fundamentais no momento de encarar o próximo passo para o seu desenvolvimento.

  • 1: Busca por novas habilidades
  • 2: Busca por atualização profissional
  • 3: Busca por networking
  • 4: Busca por prática, ou seja, mão na massa
  • 5: Busca por credibilidade e reconhecimento

Esses 5 pilares você encontra na Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Fundação Dom Cabral. Trata-se de um programa de nível internacional, com a 7ª melhor escola de negócios do mundo. Clique aqui e conheça todos os diferenciais desta oportunidade. 

Já sabe quais são as tendências mais recentes em Gestão de Negócios? Siga acompanhando nosso Blog aqui. 

Categorias
Informações

Do Planejamento à Excelência: As Chaves para o Sucesso Empresarial no Mundo Moderno

Você já se perguntou o que está por trás do sucesso das empresas mais admiradas no mundo dos negócios?

Embora não exista uma fórmula mágica, algumas práticas se destacam como essenciais: a adoção de estratégias dinâmicas e a realização de avaliações constantes.

Neste artigo, mergulhamos nos processos que permitem a essas organizações não apenas sobreviver, mas prosperar em um mercado em constante mudança. Seja você um empreendedor buscando aprimorar sua empresa ou um gestor procurando inovar, acompanhe-nos nesta exploração sobre como se preparar e se destacar nos desafios do ano e além.

Ano empresarial: metas, estratégias e resultados

No coração das empresas que lideram o mercado está o compromisso com um planejamento estratégico meticuloso. Esse processo começa com a definição de metas ambiciosas que desafiam o status quo, acompanhadas por estratégias adaptáveis, prontas para enfrentar um mercado em constante mudança (leia mais sobre estratégias de resiliência e adaptação diante de mudanças incertas). 

Imagine uma desenvolvedora de aplicativos cujo planejamento abrangente para o ano envolve não apenas os objetivos de crescimento, mas também a integração e colaboração entre equipes de desenvolvimento e liderança. Esta abordagem assegura que todos na organização estejam alinhados e comprometidos com a visão da empresa, destacando a importância vital do capital humano. Funcionários engajados e capacitados são o motor da inovação e representam a essência da marca no mercado.

Preciso de avaliações periódicas?

Sim, elas são cruciais. As avaliações gerenciais quinzenais funcionam como uma bússola, oferecendo a agilidade necessária para decisões rápidas e ajustes eficazes.

Já as avaliações de gestão quadrimestrais vão além, não apenas revisam estratégias, mas também impulsionam a inovação adaptativa e destacam a empresa em um cenário empresarial volátil. Usando novamente o exemplo dos aplicativos: é vital reavaliar o sucesso do produto constantemente, considerando a experiência do usuário para futuras melhorias.

É fundamental acompanhar de perto as empresas que utilizaram os ciclos de avaliação para se manterem à frente da concorrência. Como benchmarking e inspiração. Sempre capitalizando oportunidades e ajustando suas abordagens conforme necessário.

Aqui falamos mais sobre planejamento estratégico.  

Valor duradouro

A transferência de conhecimento é chave não só para solucionar problemas, mas também para construir uma cultura de gestão renovada, que reforça os valores que conduzem ao sucesso.

Empresas dedicadas ao aprendizado contínuo cultivam uma cultura corporativa vencedora, onde o desenvolvimento é parte integrante da sua essência.

Em um mundo empresarial dinâmico e competitivo, aprendemos que a adaptação constante é crucial. No entanto, isso não significa sacrificar os valores fundamentais que definem a identidade de uma empresa. A construção de uma marca sólida requer a compreensão profunda de quem somos e para onde queremos ir. A coesão entre nossas ações e nossos valores é o que cria uma base inabalável para o sucesso a longo prazo“, analisou Marcus Campos, CEO da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

Empresas visionárias percebem a importância de se manterem estrategicamente ágeis e de realizar avaliações regulares. Essa abordagem, aliada à orientação especializada, pavimenta o caminho para alcançar novos níveis de excelência empresarial.

Quer conversar sobre o sucesso da sua empresa?

Está pronto para transformar sua empresa com estratégias dinâmicas e avaliações constantes? O PAEX – Parceiros para Excelência da Fundação Dom Cabral é o seu aliado nessa jornada rumo ao sucesso. Com uma abordagem única focada na excelência empresarial, o PAEX oferece acesso a conhecimentos de ponta, redes de networking valiosas e soluções personalizadas para garantir que sua empresa não apenas atenda, mas supere os desafios do mercado atual.

Não deixe o futuro da sua empresa ao acaso. Junte-se a um grupo exclusivo de líderes visionários comprometidos com o crescimento sustentável e a inovação. Descubra como o PAEX pode elevar o seu negócio a novos patamares.

Conheça mais sobre o PAEX e inicie sua jornada para a excelência.

Agende uma conversa conosco e explore as possibilidades para o futuro do seu negócio. Contate nosso time hoje clicando aqui  e vamos juntos levar sua empresa rumo ao futuro duradouro.

Categorias
Informações

A Revolução Digital e a Necessidade de Inovação em RH

Em meio à revolução digital, o setor de Recursos Humanos (RH) enfrenta uma transformação sem precedentes. Longe de ser uma mera adaptação tecnológica, essa revolução exige uma redefinição completa do papel do RH nas organizações. Mas a revolução digital não é apenas um fenômeno tecnológico; estamos falando de um marco transformador que redefine a maneira como os negócios operam nos dias de hoje. Nesse contexto dinâmico, a gestão de recursos humanos emerge como uma peça fundamental nessa engrenagem.

A revolução digital redefiniu os contornos do ambiente de trabalho, tornando a inovação um imperativo para o setor de Recursos Humanos (RH). Neste novo cenário, o RH não pode mais se limitar a processos administrativos tradicionais; é preciso abraçar a transformação digital, adaptando-se para liderar com eficácia na vanguarda da inovação em gestão de pessoas.

Mas você sabe como a inovação em RH vai se conectar com o atual cenário de transformação das empresas? Aqui neste artigo vamos falar sobre a revolução digital e a necessidade de inovação do RH. Com dicas e informações relevantes para você se atualizar agora mesmo. Confira!

O Impacto da Revolução Digital em RH

 Transformações no Ambiente de Trabalho

A digitalização trouxe mudanças profundas para o ambiente de trabalho, alterando desde a natureza do trabalho até as expectativas dos colaboradores. A flexibilidade, o trabalho remoto e as equipes globais são agora aspectos comuns, exigindo do RH estratégias inovadoras para gerenciar talentos dispersos geograficamente e fomentar uma cultura corporativa unificada.

A Ascensão da Tecnologia na Gestão de Pessoas

Tecnologias emergentes como inteligência artificial (IA), machine learning e people analytics estão revolucionando a forma como as organizações atraem, retêm e desenvolvem talentos. Ferramentas digitais possibilitam uma gestão de pessoas mais eficiente, preditiva e personalizada, realçando o valor estratégico do RH.

Desafios Atuais em RH e Estratégias para Superá-los

Adaptação a Novos Paradigmas

O maior desafio para o RH na era digital é adaptar-se rapidamente a novos paradigmas. Isso requer uma mudança de mentalidade, da gestão tradicional para uma abordagem mais ágil e inovadora. Estratégias eficazes incluem a implementação de processos de trabalho flexíveis, o fomento da aprendizagem contínua e a adoção de uma cultura de inovação aberta.

Adaptar-se aos paradigmas digitais é crucial neste momento. A resistência à mudança pode ser superada com estratégias focadas na comunicação efetiva, treinamento especializado e demonstração dos benefícios tangíveis da inovação. 

O novo profissional de RH, de 2024, precisa elevar suas atuações a patamares ainda mais estratégicos quando falamos sobre gestão de pessoas. Adquirindo características fundamentais, como adaptabilidade, habilidades digitais, inteligência emocional e empatia, pensamento estratégico, além de aprendizado contínuo.

Os processos de trabalho rígidos e inflexíveis podem ser um grande obstáculo para o sucesso. As equipes de RH devem implementar processos de trabalho flexíveis que possam se adaptar rapidamente às mudanças nas necessidades do negócio e do mercado. 

O aprendizado contínuo é essencial para manter a relevância e a competitividade. As equipes de RH devem incentivar uma cultura de aprendizagem contínua, oferecendo oportunidades de desenvolvimento profissional e treinamento em novas habilidades e tecnologias. 

As empresas precisam ser ágeis e inovadoras. As equipes de RH desempenham um papel crucial na promoção de uma cultura de inovação aberta, na qual as ideias são valorizadas e todos são encorajados a contribuir. 

Gestão de Talentos em uma Era Digital

A atração e retenção de talentos no mundo digital exige do RH uma compreensão profunda das novas dinâmicas do mercado de trabalho. Estratégias como o desenvolvimento de uma marca empregadora forte, o uso de analytics para informar decisões de recrutamento e a criação de experiências de trabalho significativas podem diferenciar uma organização na luta por talentos qualificados.

Lembrando que a evolução rápida exige atualização constante. A educação continuada é um pilar essencial para manter competências relevantes, capacitando profissionais de RH a liderar nas mudanças em curso. 

Mais uma dica de leitura? Você também poderá se interessar por este conteúdo sobre “transformar desafios de Recursos Humanos em oportunidades de crescimento“. 

O Papel da Educação Continuada em RH

Importância da Atualização Constante

A rápida evolução tecnológica torna essencial a educação continuada para profissionais de RH. Manter-se atualizado sobre as últimas tendências e ferramentas não é apenas uma vantagem competitiva, mas uma necessidade para liderar efetivamente na era digital.

Programas como o Gestão Estratégica de Pessoas (GEP) da FDC oferecem uma oportunidade inigualável para profissionais de RH aprimorarem suas habilidades estratégicas e conhecimentos. Através de um currículo focado nas mais recentes práticas e inovações em gestão de pessoas, o GEP prepara os líderes de RH para enfrentarem os desafios da era digital, equipando-os com estratégias para impulsionar o sucesso organizacional.

“O GEP é a integração perfeita das últimas tendências em gestão de pessoas e tecnologia. O aluno tem acesso a um material atualizado e prático sobre a gestão de recursos humanos nos dias de hoje.”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

A revolução digital impõe a necessidade crítica de inovação em RH. Adaptar-se e liderar nesse novo ambiente não é apenas uma oportunidade, mas uma obrigação para os profissionais que desejam manter suas organizações à frente no jogo competitivo. Programas como o GEP da FDC são essenciais para quem busca não apenas sobreviver, mas prosperar na era digital.

Não perca a oportunidade de transformar sua carreira e sua organização. Descubra mais sobre como o Programa de Gestão Estratégica de Pessoas da FDC pode capacitar você para liderar na era digital. Clique aqui e fale com o nosso time de atendimento da CMP Business Solutions. A transformação da sua carreira começa agora. Aguardamos o seu contato. 

Categorias
Informações

Conheça as tendências mais recentes em Gestão de Negócios

Vivemos mudanças rápidas e constantes no mundo dos negócios. Principalmente após a pandemia, essa aceleração se tornou cada vez mais intensa. Mas para você que nos lê agora, bem neste início de 2024, que tal se atualizar com as tendências mais recentes quando falamos sobre Gestão de Negócios? 

É o que você acompanha neste artigo a seguir. Com ideias e reflexões importantes para você colocar em prática ainda neste início de ano. 

Evolução da Gestão Empresarial

A gestão empresarial evoluiu significativamente ao longo dos anos. Uma breve retrospectiva nos leva aos momentos-chave que moldaram a gestão moderna. Desde os princípios clássicos até as abordagens mais contemporâneas, entender a história nos fornece uma base sólida para explorar as tendências emergentes. Como as que destacamos a seguir. 

  • Tecnologias Disruptivas: A rápida evolução tecnológica molda os modelos de negócios modernos. Aqui podemos citar nomes como Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Blockchain, Realidade Aumentada, Realidade Virtual, Automação Robótica de Processos, 5G, Analytics Avançado, entre tantos outros. Sobre o Analytics, um exemplo prático é a análise preditiva, com modelagem estatística avançada. Você analisa os dados de forma profunda e consegue extrair insights preciosos para a tomada de decisões estratégicas. Isso é uma disrupção imediata. 
  • Sustentabilidade e responsabilidade social: A sustentabilidade tornou-se central nos negócios. Assim como a responsabilidade social. Aqui estamos falando do desenvolvimento de líderes conscientes do impacto social e ambiental de suas decisões. 
  • Indústria 4.0: A revolução digital e a Indústria 4.0 transformam as operações empresariais. É fundamental preparar hoje os profissionais para essa mudança radical, proporcionando as habilidades necessárias para navegar no cenário da Indústria 4.0. 

“Vivemos em uma época marcada por mudanças rápidas e constantes nos negócios. Adaptar-se a essas transformações é mais do que uma estratégia; é uma necessidade para o sucesso duradouro das organizações. Ao longo dos anos, testemunhamos a evolução da gestão empresarial, desde suas raízes até as complexidades contemporâneas que enfrentamos atualmente. Olhando para o passado, aprendemos valiosas lições com os momentos-chave que moldaram a gestão moderna. Essa retrospectiva é fundamental para compreendermos as bases sobre as quais construímos as estratégias do presente e nos preparamos para as inovações que estão por vir. Em relação às tendências emergentes em gestão de negócios, é inegável que as tecnologias disruptivas desempenham um papel crucial. Estamos em uma era em que a tecnologia não apenas suporta as operações, mas também redefine modelos de negócios inteiros”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

Para se adaptar às tendências

O investimento em educação é uma etapa fundamental desse desenvolvimento para se adaptar às novas tendências. E aqui podemos citar a posição de destaque da FDC, já eleita como a segunda melhor escola de negócios do mundo, sendo resultado de um comprometimento com a excelência acadêmica e a entrega de programas de alta qualidade. 

Ao escolher a Pós-Graduação em Gestão de Negócios da FDC, você está optando por um programa que não apenas acompanha as últimas tendências em gestão de negócios, mas que a antecipa. A dinâmica do curso garante que os participantes estejam à frente da curva, preparados para liderar em ambientes empresariais cada vez mais complexos e tecnologicamente avançados.

Além de informar sobre as tendências, o programa fornece habilidades práticas para implementá-las. E o networking? Esse ambiente proporciona acesso a uma extensa rede de contatos globais. A interação com colegas e profissionais de diversos setores e regiões enriquece a experiência educacional, promovendo oportunidades de colaboração, aprendizado e desenvolvimento de parcerias estratégicas.

“A educação desempenha um papel crucial na adaptação às tendências. Na CMP, reconhecemos a importância da aprendizagem contínua, e a pós-graduação oferece uma abordagem prática para integrar essas tendências em nosso ambiente de negócios em constante evolução”, comentou Marcus Campos. 

Benefícios da Pós em Gestão de Negócios

Vamos para os benefícios na prática?

  • Pós desenvolvida com base em skills estabelecidas pelo World Economic Forum 
  • Presente em 200 das 500 maiores empresas do país
  • Parcerias internacionais com escolas em 5 continentes
  • Escolhida por mais de 450 empresas do Vale do Paraíba e Guarulhos
  • Troca de experiências com executivos da região

 

Estamos falando da formação de líderes transformadores, capazes de desenvolver estratégias baseadas nos desafios e incertezas atuais. Preparando o participante para atuar de forma antecipada no novo contexto mundial. 

Além disso, amplia as competências em negociação para que todos possam crescer juntos, alinhando troca de experiências e vivências. 

Venha aprimorar sua capacidade crítica e sua visão global para entender os impactos das suas decisões agora e no futuro. Clique aqui para saber mais.

Categorias
Informações

Maximizando o potencial da sua equipe: estratégias de capacitação para alcançar a alta performance

No mundo empresarial, aprimorar o desempenho das equipes é mais do que uma aspiração; é uma necessidade. O cenário dinâmico dos negócios modernos exige não apenas equipes competentes, mas sim equipes de alta performance capazes de se adaptar, inovar e prosperar. Neste artigo, exploramos estratégias eficazes para capacitar equipes, realçando os benefícios de investir na capacitação profissional neste período e os desafios que as empresas enfrentam durante esse processo

Quais são os benefícios dessa capacitação?

Investir na capacitação profissional neste momento traz vantagens inegáveis para as organizações. Além de aprimorar habilidades técnicas e comportamentais, a capacitação proporciona uma vantagem competitiva significativa.

Equipes bem treinadas não apenas entregam resultados de alta qualidade, mas também impulsionam a inovação, aumentam a retenção de talentos e fortalecem a cultura organizacional, o que reduz custos associados à rotatividade e mantendo uma força de trabalho engajada.

Esse investimento oferece uma série de benefícios multifacetados para as organizações. Além de fortalecer as habilidades técnicas, esse investimento contribui significativamente para a motivação dos colaboradores. Quando as equipes recebem treinamento contínuo, sentem-se valorizadas e reconhecem o compromisso da empresa com seu crescimento individual. Isso aumenta a retenção de talentos e promove um ambiente de trabalho mais colaborativo e inovador. Equipes bem treinadas não apenas desempenham melhor suas funções, mas também trazem novas perspectivas e ideias, impulsionando a criatividade e a resolução de problemas de forma mais eficaz. Isso resulta em processos mais eficientes e em uma organização mais adaptável a mudanças no mercado.

Mas como acelerar essa aprendizagem?

A aceleração da aprendizagem é essencial para garantir que as equipes estejam preparadas para os desafios futuros. Estratégias como microlearning, gamificação e mentorias personalizadas emergem como ferramentas eficazes para tornar o processo de aprendizado mais eficiente. Além disso, a personalização do treinamento, adaptando-o às necessidades individuais, maximiza a absorção e a aplicação prática do conhecimento.

5 estratégias que estão em alta para ficar de olho

  • 1: Microlearning: Oferecer conteúdo em pequenas doses facilita a absorção de informações, ideal para colaboradores ocupados que precisam aprender de maneira eficiente. 
  • 2: Soft Skills: Valorizar o desenvolvimento de habilidades interpessoais, comunicação eficaz e resolução de problemas para promover um ambiente de trabalho colaborativo. 
  • 3: Networking: Investir em networking é uma estratégia valiosa para o desenvolvimento profissional. Ao estabelecer conexões com profissionais da indústria, os colaboradores têm acesso a insights valiosos, oportunidades de colaboração e compartilhamento de melhores práticas. 
  • 4: Gestão: Em um mundo empresarial dinâmico, entender os princípios fundamentais da gestão é mais importante do que nunca. A capacidade de liderar equipes, tomar decisões estratégicas e criar ambientes de trabalho eficientes são competências essenciais. Investir tempo no estudo da gestão não apenas aprimora as habilidades individuais, mas também contribui para a criação de uma cultura organizacional robusta. 
  • 5: Cursos de forma geral: Investir em plataformas que oferecem cursos online, workshops e certificações para permitir que os colaboradores aprendam no próprio ritmo. 

Mas quais são os desafios para as empresas?

Os desafios ao treinar equipes são variados e podem incluir resistência à mudança, falta de tempo para treinamento e a adaptação às novas tecnologias educacionais. Além disso, a mensuração do impacto do treinamento e a garantia de sua relevância contínua são pontos críticos a serem considerados. Superar esses desafios requer estratégias que promovam a participação ativa, a criação de uma cultura de aprendizado e a integração do treinamento com os objetivos de negócios.

No contexto atual, onde o tempo é um recurso valioso, métodos de aprendizagem mais ágeis e eficientes tornam-se essenciais. O microlearning que mostramos acima, por exemplo, oferece informações em pequenas doses, facilitando a absorção e a aplicação do conhecimento no dia a dia do trabalho.

Além disso, estratégias de mentorias personalizadas proporcionam um ambiente de aprendizagem mais individualizado, onde os colaboradores recebem orientação direcionada para suas necessidades específicas. Essa abordagem personalizada não só melhora a eficiência do treinamento, mas também promove um maior senso de responsabilidade pelo desenvolvimento pessoal e profissional.

Vamos falar sobre soluções para este início de ano?

Investir na capacitação de equipes é um investimento no sucesso futuro de qualquer empresa. Ao adotar estratégias eficazes de aprendizado, as organizações podem acelerar o desenvolvimento de suas equipes e enfrentar os desafios de 2024 com confiança e resiliência. Capacitar equipes para alcançar a alta performance não é apenas uma escolha sábia; é uma necessidade estratégica para se destacar em um mundo empresarial em constante evolução.

As soluções educacionais da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, são projetadas para promover o desenvolvimento de lideranças e equipes, oferecendo programas customizados que atendem às demandas específicas das organizações. Esses programas são uma porta de entrada para os benefícios associados ao investimento em capacitação profissional. Além disso, nossas soluções são reconhecidas por sua abordagem moderna e dinâmica, alinhando-se perfeitamente com métodos eficazes para acelerar a aprendizagem, oferecendo uma experiência de aprendizado altamente eficaz.

Ao integrar as estratégias para capacitar equipes de alta performance com as soluções educacionais da CMP, as empresas podem garantir um caminho consistente para o sucesso. A expertise da FDC em educação executiva e corporativa oferece uma base sólida para impulsionar o desenvolvimento profissional e liderar equipes em direção à excelência.

Categorias
Informações

Descubra estratégias de resiliência e adaptação diante de mudanças incertas

Em um cenário empresarial cada vez mais volátil, a capacidade de resiliência | adaptação tornou-se uma competência crucial para o sucesso das organizações. Mas quais são as melhores estratégias para um cenário cada vez mais incerto, afinal?

A seguir destacamos informações relevantes sobre a necessidade das empresas serem ágeis em um ambiente em constante evolução, fornecendo dicas e exemplos práticos de como enfrentar mudanças imprevistas e promover o contínuo crescimento. 

A sua empresa é ágil?

Mudanças rápidas no mercado, avanços tecnológicos e eventos imprevistos como pandemias demonstraram a importância de as empresas serem ágeis e resistentes. A capacidade de se adaptar rapidamente a novas circunstâncias não é apenas uma vantagem competitiva, mas muitas vezes uma necessidade para a sobrevivência e o crescimento. 

A sua empresa, portanto, precisa ser flexível – sempre aberta a mudanças. “Não vamos seguir por este caminho, porque aqui nós sempre fizemos isso dessa forma”. Esse tipo de frase não cabe mais para uma organização que se mostra aberta à transformação. 

Inovação na cultura

É fundamental encorajar a criatividade e a busca por soluções inovadoras dentro do seu time. Incentive os colaboradores a contribuírem com ideias e esteja aberto a experimentar novas abordagens. Somente com uma cultura de inovação ativa você conseguirá colocar em prática aquele pensamento fora da caixinha. 

Risco alto

Mantenha-se atento às mudanças no mercado e antecipe possíveis riscos. A análise preditiva pode ser uma ferramenta valiosa para identificar tendências emergentes e se preparar proativamente. O risco será ainda mais alto se aparecer de surpresa e pegar o seu time desprevenido e despreparado. Invista na capacitação contínua da equipe. Uma equipe bem treinada está mais preparada para lidar com mudanças e transformações. 

Vamos mudar?

Uma mentalidade adaptável é um traço valioso em todos os níveis da organização. Isso envolve a disposição para aprender com as mudanças, ajustar-se a novas realidades e buscar constantemente melhorias. 

Exemplo na prática

Mas como  as empresas podem se adaptar rapidamente a mudanças imprevistas, mantendo a estabilidade e o crescimento contínuo? Aqui vamos para um exemplo prático.

Imagine que você trabalha numa empresa de tecnologia. E que estamos passando por momentos de mudança e grande transformação. O que fazer na prática?

  • Diante da novidade do mercado, optamos por uma abordagem ágil na tomada de decisões, reduzindo a burocracia e garantindo que as mudanças pudessem ser implementadas rapidamente. 
  • Em vez de depender apenas da equipe interna de Pesquisa e Desenvolvimento, promovemos uma inovação colaborativa. Estabelecemos parcerias com startups e universidades, incentivando a troca de ideias e a rápida implementação de novas soluções. 
  • Para garantir que a equipe estivesse alinhada com as mudanças necessárias, a empresa investiu em treinamento. Capacitação profissional. Além da ágil revisão da estratégia de negócios, ajustando e atualizando metas para refletir a nova realidade do mercado. 
  • Tudo isso trabalhando com a estabilidade emocional da equipe. Adotando uma comunicação transparente, explicando as mudanças necessárias e o impacto esperado. Isso ajuda a garantir o engajamento da equipe e a colaboração durante o processo de transição.

“Temos testemunhado as rápidas mudanças no cenário empresarial, desde avanços tecnológicos até eventos imprevisíveis que desafiaram nossa capacidade de adaptação. Em resposta a esses desafios, percebemos que a flexibilidade organizacional é um diferencial competitivo muito valioso”, afirmou Marcus Campos,  Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

“A flexibilidade organizacional não é apenas sobre reorganizar estruturas, mas também sobre a agilidade na tomada de decisões. Ao sermos capazes de ajustar rapidamente nossos processos, redesenhar estratégias e realocar recursos conforme necessário, construímos uma base sólida para enfrentar o desconhecido”, detalhou Marcus.

Preparando um 2024 diferente

É fácil ficar preso em métodos tradicionais quando as coisas estão indo bem, mas é nos momentos de incerteza que uma mentalidade adaptável se torna um ativo valioso. 

O que você e sua empresa esperam de 2024?

Parados apenas aguardando a transformação? 

Ou indo em busca do conhecimento que faz a diferença?

Se você está buscando uma abordagem estratégica para fortalecer a resiliência e a adaptabilidade da sua organização, convidamos você a explorar o Parceiros Para a Excelência (PAEX) da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral. 

Com uma metodologia comprovada e especialistas que são referências, o PAEX é projetado para impulsionar o crescimento sustentável e preparar sua empresa para enfrentar os desafios futuros com confiança. Descubra como podemos ajudar sua empresa a prosperar em um mundo de mudanças constantes. Saiba mais sobre o PAEX aqui. 

Juntos, podemos construir organizações mais resilientes, inovadoras e preparadas para enfrentar qualquer desafio que o futuro possa trazer.

Categorias
Informações

Transformando desafios de Recursos Humanos em oportunidades de crescimento: Reflexões para fechar 2023

O ano de 2023 foi repleto de desafios para os departamentos de Recursos Humanos (RH). Mas como podemos transformar os desafios do ano em oportunidades de crescimento? São essas as reflexões que apresentamos no artigo a seguir.

Que tal começar 2024 dominando a arte da Gestão Estratégica de Pessoas, hein?

Acompanhe as reflexões que separamos para você neste momento de balanço do que passou, e com os olhos voltados para o que está por vir. Ao adotar estratégias eficazes, os departamentos de RH podem fortalecer suas organizações e preparar os colaboradores para o futuro.

Desafios de 2023

Os desafios enfrentados em 2023 foram diversos. Entre os principais, podemos destacar:

  • Adaptação ao trabalho remoto
  • Retenção de talentos: a escassez de mão de obra foi um desafio global em 2023
  • Redução de custos: economia
  • Bem-estar dos colaboradores: saúde física e mental
  • Diversidade e inclusão
  • Cenários políticos e econômicos

Neste complexo desafio, os departamentos de RH precisam estar alinhados com a estratégia da empresa. Isso significa que as práticas de RH devem estar alinhadas aos objetivos e metas da organização. Com uma cultura organizacional forte, com o desenvolvimento profissional contínuo, entre outros pontos que vamos destacar a seguir.

Oportunidades de crescimento

Apesar desses desafios, muitas empresas conseguiram transformá-los em oportunidades de crescimento. Mas como assim? É o que explicamos nos destaques abaixo:

  • 100% digital: Empresas ágeis aproveitaram a transformação digital para otimizar processos, melhorar a comunicação interna e aumentar a eficiência operacional. Os resultados locais se transformaram e ganharam uma nova projeção.
  • Saúde: A implementação de programas inovadores de bem-estar, como flexibilidade no trabalho, apoio psicológico e iniciativas de saúde, contribuiu para o engajamento e satisfação dos colaboradores.
  • Diversidade: Empresas que abraçaram a diversidade e a inclusão colheram os benefícios de equipes mais criativas, produtivas e comprometidas.
  • Desenvolvimento: o desenvolvimento profissional é fundamental para o crescimento dos colaboradores. Os departamentos de RH oferecem oportunidades de desenvolvimento profissional, como treinamentos, cursos e workshops.

Reflexões importantes

É essencial refletir sobre essas experiências para fortalecer as práticas de RH para o próximo ano. Aqui nós já falamos, por exemplo, sobre as tendências do RH estratégico nos dias de hoje. Mas quais são as reflexões que podemos já colocar em análise?

  • Conhecimento: Como podemos continuar a promover a aprendizagem contínua e o desenvolvimento profissional em um ambiente de trabalho em constante mudança.
  • Adaptação: Como podemos nos adaptar às novas realidades do trabalho, garantindo a eficiência e a satisfação dos colaboradores.
  • Cultura: uma cultura organizacional forte é essencial para o sucesso de qualquer empresa. As empresas devem promover uma cultura organizacional forte, baseada em valores e comportamentos positivos.

“Precisamos refletir sobre as transformações que testemunhamos e, mais importante ainda, sobre como estamos nos preparando para o futuro”, avalia Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

“Em um cenário empresarial dinâmico e desafiador, é fundamental acompanhar a estratégia do capital humano nas organizações. Em 2023, vimos como a rápida transformação digital exigia não apenas adaptação, mas inovação, adaptabilidade, agilidade e etc. Foi preciso implementar ações que não apenas mantivessem o departamento de RH relevante, mas que o posicionasse como um catalisador estratégico para o sucesso organizacional. A Gestão Estratégica de Pessoas não é apenas uma abordagem; é uma mentalidade que adotamos em cada decisão, cada estratégia, sempre olhando para frente”, acrescentou Marcus.

2024 na prática!

Se você está em busca de uma abordagem proativa e inovadora para lidar com os desafios de RH e transformá-los em oportunidades de crescimento, então precisa conhecer o programa GEP (Gestão Estratégica de Pessoas), da Fundação Dom Cabral.

Combinando as melhores práticas da indústria com abordagens personalizadas, o GEP é projetado para elevar suas práticas de gestão de pessoas a novos patamares.

Dominar a arte da Gestão Estratégica de Pessoas será um impulso para a sua carreira em RH. Lembrando que a FDC é a sétima melhor escola de negócios do mundo. E conta com aulas presenciais em São José dos Campos em maio de 2024. Clique aqui para saber mais.

Categorias
Informações

Olhando para as tendências do RH estratégico nos dias de hoje

Olhando para 2024, você sabe quais são as tendências do RH estratégico atualmente? A seguir apresentamos informações relevantes no desenvolvimento de pessoas nas organizações – o chamado RH como ativo estratégico. 

RH do futuro

As práticas de Recursos Humanos (RH) estão evoluindo para se tornarem mais estratégicas, alinhadas aos objetivos organizacionais. Mas quais são as tendências que moldarão o cenário empresarial nos próximos anos, hein? 

  • Digital: A Transformação Digital está totalmente ligada ao novo RH. A integração de ferramentas avançadas, como inteligência artificial e análise de dados, revolucionará o gerenciamento de talentos. Desde a automação de processos até a previsão de necessidades de pessoal, as tecnologias emergentes capacitarão os profissionais de RH a tomar decisões mais informadas. 
  • Estratégico: A prática do RH estratégico envolve a aplicação de conceitos teóricos e práticos para impulsionar a excelência organizacional. 
  • Avaliação: O plano de ação começa com um sólido planejamento estratégico de RH. Isso inclui a avaliação contínua das necessidades de habilidades, o desenvolvimento de programas de aprendizagem personalizados e a construção de uma cultura organizacional que promova a inovação e o crescimento contínuo. 
  • Foco: A experiência do funcionário é uma peça fundamental do RH estratégico. As empresas estão adotando uma abordagem centrada no colaborador, focando no desenvolvimento pessoal e profissional, saúde e bem-estar, o que contribui para a satisfação e a retenção de talentos. 
  • Diverso: A diversidade e a inclusão não são apenas modismos, mas elementos críticos do RH estratégico. Empresas já reconhecem a importância da diversidade para a inovação e buscam criar ambientes inclusivos que promovam a igualdade de oportunidades. 
  • Contínuo: O RH estratégico enfatiza o aprendizado contínuo e o desenvolvimento de habilidades como um diferencial competitivo. Programas de treinamento personalizados, e-learning e parcerias com instituições educacionais são estratégias para garantir que os colaboradores estejam preparados para os desafios futuros. 

Para ficar de olho

“A experiência do funcionário será a chave deste futuro. Estamos caminhando para um ambiente em que a satisfação e o bem-estar dos colaboradores não são apenas prioridades, mas indicadores críticos de sucesso. Uma cultura centrada no colaborador, que promove o desenvolvimento pessoal e profissional, será a base para atrair e reter os melhores talentos”, comentou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC. 

Para olhar para frente

O RH do futuro se apresenta como um arquiteto estratégico da experiência do colaborador e impulsionador da inovação organizacional. Ele deve equilibrar a tecnologia com a humanidade, garantindo que as relações entre colaboradores e a cultura organizacional permaneçam sólidas e adaptáveis. 

O trabalho do futuro é presencial, online, híbrido? 

É essencial que o RH desenvolva políticas e práticas que suportem modelos de trabalho híbridos. Isso inclui a definição de diretrizes claras sobre a distribuição entre trabalho presencial e remoto, bem como a implementação de tecnologias colaborativas que facilitem a comunicação eficaz, independentemente da localização física dos colaboradores.

Categorias
Informações

As competências essenciais para o profissional do futuro: se destacando em um mercado em constante evolução

E se você pudesse se tornar o “profissional do futuro” ainda hoje? Neste artigo selecionamos 10 pontos importantes sobre competências essenciais para colocar no seu radar. É hora de alavancar a carreira, aprofundar conhecimentos em gestão e transformar organizações. 

Lembrando que “profissional do futuro” é o tema do nosso e-book (Guia Prático – Como desenvolver sua carreira profissional para o mercado do futuro hoje). 

Ao final deste artigo, deixamos um convite especial para você que planeja um desenvolvimento contínuo de jornada de carreira. Fique ligado para se destacar no atual cenário empresarial e corporativo em constante evolução. 

Competências do profissional do futuro em 10 destaques

Se adaptar ao ambiente empresarial em constante evolução é essencial para quem almeja ser um profissional do futuro. Os 10 pontos para você se destacar em um mercado em constante evolução. Acompanhe!

  1. Habilidades de Aprendizado Contínuo: A capacidade de aprender continuamente é uma habilidade valiosa em um mundo que está em constante transformação. Profissionais que buscam proativamente oportunidades de aprendizado e se adaptam rapidamente às mudanças têm uma vantagem significativa. 
  2. Adaptabilidade e Flexibilidade: A velocidade das mudanças no mercado exige que os profissionais sejam flexíveis e capazes de se adaptar a novas circunstâncias. É preciso valorizar colaboradores que abraçam a mudança como uma oportunidade para crescimento e inovação. 
  3. Pensamento Criativo e Inovador: A inovação é a chave para se destacar em um mercado saturado. Profissionais que cultivam o pensamento criativo contribuem para o desenvolvimento de soluções inovadoras, impulsionando o crescimento da empresa. 
  4. Habilidades de Comunicação e Colaboração: A capacidade de comunicar efetivamente e colaborar com colegas e equipes é essencial. Valorize profissionais que podem articular ideias de forma clara e trabalhar em conjunto para atingir objetivos comuns. 
  5. Conhecimento em Tecnologia: Com a crescente integração da tecnologia nos negócios, profissionais com habilidades tecnológicas sólidas têm uma vantagem competitiva. Investir em desenvolvimento tecnológico é uma prioridade.
  6. Inteligência Emocional: A capacidade de compreender e gerenciar emoções, tanto próprias quanto dos outros, é uma competência essencial. Profissionais emocionalmente inteligentes contribuem para um ambiente de trabalho saudável e produtivo. 
  7. Inteligência Artificial e Automatização: Com a automação se tornando cada vez mais prevalente, profissionais que compreendem e podem trabalhar eficientemente com tecnologias como inteligência artificial são fundamentais para a inovação contínua. 
  8. Habilidades de Resolução de Problemas Complexos: Enfrentar desafios complexos é uma realidade nos negócios modernos. A capacidade de analisar situações complexas e desenvolver soluções eficazes é uma competência que precisa ser valorizada sempre. 
  9. Pensamento Crítico e Análise de Dados: Tomar decisões informadas baseadas em análises críticas de dados é essencial. Profissionais com habilidades analíticas sólidas são recursos valiosos para qualquer empresa. 
  10. Resiliência e Gerenciamento de Estresse: Manter a resiliência diante dos desafios e gerenciar o estresse é crucial para o bem-estar no ambiente de trabalho. É fundamental apoiar os funcionários na gestão do estresse para promover um ambiente saudável.

Encare a gestão da inovação como uma arte! Explore suas nuances. Aprenda a identificar oportunidades de disrupção, promover a criatividade em sua equipe e implementar mudanças transformadoras com sucesso.

Futuro chegou! 

“Vivenciei mudanças significativas em como as empresas operam e o que esperam de seus colaboradores. A era do profissional do futuro demanda mais do que habilidades técnicas; requer uma mentalidade aberta à aprendizagem contínua e à rápida adaptação às inovações. Ao longo da minha carreira, percebi que a capacidade de se reinventar e abraçar novas tecnologias não apenas impulsiona o crescimento individual, mas também promove um ambiente de trabalho mais dinâmico e eficiente”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC. 

“Olhar para frente com uma mentalidade empreendedora e uma disposição para enfrentar desafios é essencial para prosperar em um cenário profissional em constante evolução”, complementou Marcus. 

Reflexões sobre o profissional do futuro

O profissional do futuro será aquele que abraça a mudança com resiliência e incorpora a aprendizagem contínua em sua jornada. A agilidade se torna uma habilidade crucial, à medida que as tecnologias avançam e as demandas do mercado evoluem rapidamente. 

Além disso, a ênfase nas habilidades interpessoais, como a colaboração e a comunicação eficaz, ganha importância em um mundo cada vez mais interconectado. Isso sem falar na fluência digital, na criatividade e na resolução de problemas. 

Que tal liderar a mudança que está por vir? Clique aqui para baixar o e-book – “Guia Prático – Como desenvolver sua carreira profissional para o mercado do futuro hoje”. 

Você é um profissional do futuro? Descubra conosco!

Seja o profissional do futuro hoje! Matricule-se na Pós em Gestão da FDC e impulsione sua carreira para novos patamares. Clique aqui para saber mais sobre como moldar o seu futuro através da inovação.

Categorias
Informações

Entenda como utilizar os pensamentos Crítico e Adaptativo para liderar com relevância

Você já ouviu falar em Pensamento Crítico e Pensamento Adaptativo? O que é, afinal? E por que estão falando tanto sobre Pensamento Crítico e Pensamento Adaptativo no atual cenário do mercado de trabalho? 

Entenda a seguir como utilizar as ferramentas certas para liderar com relevância na sua empresa. Ao final deste artigo, destacamos um convite especial para o desenvolvimento da sua carreira ainda em 2023. Acompanhe!  

Pensamento Crítico

O pensamento crítico é a habilidade de analisar informações de maneira objetiva, questionar suposições e tomar decisões fundamentadas. É analítico, profundo. Para liderar com relevância, os líderes precisam incorporar o pensamento crítico em seu dia a dia de várias maneiras.

Pensamento Adaptativo

Já o pensamento adaptativo é a capacidade de se ajustar às mudanças e incertezas de forma proativa. É você se adaptar com a mente saudável. Em um mercado de trabalho que evolui rapidamente, os líderes que cultivam o pensamento adaptativo se destacam também de diversas formas. 

Liderando com Pensamento Crítico

Ao liderar com essa habilidade, você estará pronto para:

  • Decidir: Em um ambiente de negócios em constante mudança, os líderes precisam tomar decisões informadas e ágeis. O pensamento crítico permite a avaliação cuidadosa das opções disponíveis, considerando riscos e recompensas. 
  • Resolver: Problemas complexos muitas vezes requerem soluções criativas e inovadoras. O pensamento crítico permite que os líderes enfrentem desafios de forma eficaz, buscando soluções além das abordagens convencionais. 
  • Comunicar: Líderes que pensam criticamente são melhores comunicadores, pois são capazes de articular suas ideias de maneira clara e persuasiva, influenciando positivamente suas equipes e partes interessadas. 

Liderando com Pensamento Adaptativo

Ao liderar com essa habilidade, você estará pronto para:

  • Flexibilizar: Líderes adaptativos estão dispostos a abandonar práticas antigas e abraçar novas abordagens quando necessário. Eles entendem que o que funcionou no passado pode não ser adequado para o futuro. 
  • Aprender: A adaptação requer aprendizado contínuo. Líderes que buscam constantemente novos conhecimentos e experiências estão mais bem preparados para lidar com as mudanças. 
  • Mudar: Líderes adaptativos não apenas se adaptam a mudanças, mas também lideram suas equipes eficazmente durante períodos de transição. Eles comunicam a visão, fornecem apoio e mantêm a motivação. 

Colocando em prática

Para liderar com relevância, não é suficiente possuir apenas uma dessas habilidades; ambas são complementares e se fortalecem mutuamente. 

Mas como podemos integrar pensamento crítico e adaptativo? 

Os líderes devem continuamente avaliar suas estratégias e práticas, questionando se estão alinhadas com os objetivos atuais e ajustando-as conforme necessário. Promova uma cultura que valorize a inovação, o aprendizado contínuo e a busca pela excelência. Isso encorajará os colaboradores a desenvolverem pensamento crítico e adaptativo. 

E lembre-se: líderes experientes podem orientar outros em seu desenvolvimento de pensamento crítico e adaptativo, compartilhando experiências e insights. 

Opinião sobre o tema

“À medida que o cenário de negócios continua a se transformar e desafiar as expectativas tradicionais, é fundamental que os líderes estejam preparados para navegar nesse terreno incerto. E é aí que entram o pensamento crítico e o pensamento adaptativo. O pensamento crítico é como uma bússola que nos orienta através das complexidades do ambiente de negócios. Ele nos permite analisar informações de maneira objetiva, questionar pressupostos e tomar decisões informadas”, comentou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

Ele complementa falando sobre o pensamento adaptativo: “É como um motor que nos impulsiona na direção certa quando as condições do mercado mudam. Ele nos permite ser flexíveis, aprender com a experiência e nos ajustar às mudanças rapidamente”. 

Quero liderar com relevância!

Saiba que o tema pensamento crítico e pensamento adaptativo é apenas um dos diversos pontos trabalhados na Pós-Graduação em Gestão de Negócios da FDC

Convido você a se matricular agora mesmo. Nossa instituição tem um histórico comprovado de capacitar líderes de sucesso, e essa jornada pode ser o próximo passo crucial em sua carreira. Não deixe a oportunidade passar. Junte-se a nós e esteja preparado para liderar o futuro dos negócios com confiança e inovação. 

Você pode sonhar em ser um grande líder. Ou se preparar para isso. 

Aguardamos seu contato. 

Categorias
Informações

Planejamento Estratégico para empresas: Entenda por que agora é a hora certa

O ano de 2023 chega ao seu último trimestre, e as empresas que desejam se manter competitivas e preparadas para os desafios que o futuro reserva devem considerar o investimento em Planejamento Estratégico. 

Mas por que agora é a hora certa?

É sobre isso que vamos nos debruçar a seguir aqui neste artigo. 

Por que a minha empresa precisa?

O planejamento estratégico é uma ferramenta crucial para o sucesso de qualquer empresa. Ele envolve a definição de metas e objetivos claros, a identificação de estratégias para alcançá-los e a alocação de recursos de forma eficiente para atingir esses objetivos. 

+ Relembre aqui 3 reflexões importantes que levantamos sobre Planejamento Estratégico.

Trata-se de um processo fundamental para empresas de médio porte, pois proporciona uma visão de longo prazo e orientação estratégica para alcançar metas e objetivos. Envolve a definição de metas claras, análise do ambiente interno e externo, identificação de recursos necessários e a criação de estratégias para atingir essas metas. 

Isso ajuda a empresa a tomar decisões informadas, alocar recursos de maneira eficiente, antecipar desafios e aproveitar oportunidades, tornando-se mais competitiva e adaptável em um mercado em constante mudança.

Com ele em mãos, como eu fico? Quais benefícios?

Com o planejamento completo em mãos, a sua empresa estará preparada para lidar com diversas situações diferentes. Acumulando benefícios, como esses:

  • Adaptação: O ambiente de negócios está sempre evoluindo. Com um planejamento estratégico sólido, as empresas podem se adaptar mais rapidamente às mudanças econômicas, tecnológicas e de mercado.
     
  • Alinhada: O planejamento estratégico ajuda a alinhar todos os membros da equipe em relação aos objetivos da empresa. Isso melhora a eficiência e a produtividade.

  • Economia: O uso eficaz de recursos financeiros e humanos é essencial para o sucesso. O planejamento estratégico ajuda a evitar desperdícios e alocar recursos onde são mais necessários.

  • Futuro: Você passa a trilhar um futuro promissor quando desenvolve um planejamento estratégico eficaz. Ou seja, o seu planejamento deste último trimestre de 2023 será fundamental para os resultados de 2024, 2025 e por toda a sequência. 

O planejamento estratégico permite estabelecer metas claras, alinhar esforços organizacionais e desenvolver estratégias para alcançá-las. Além disso, ao analisar minuciosamente o ambiente interno e externo, o processo de planejamento estratégico identifica oportunidades de melhoria na eficiência operacional, promovendo a alocação eficaz de recursos e a eliminação de processos redundantes. Essa abordagem também capacita a empresa a tomar decisões informadas, baseadas em uma compreensão aprofundada do mercado, concorrência e tendências, garantindo maior adaptabilidade e sucesso em um cenário empresarial dinâmico.

Por que agora? As constantes mudanças

Porque iniciar o planejamento estratégico agora permite que sua empresa esteja preparada para o próximo ano desde o início. Isso significa que você estará à frente da concorrência e poderá tomar decisões informadas desde o início de 2024. 

O impacto do ambiente de negócios em constante mudança exige que as empresas sejam ágeis e adaptáveis para sobreviver e prosperar. Além disso, o final do ano é um momento ideal para revisar o desempenho atual da empresa. Isso fornecerá insights valiosos que podem ser incorporados ao planejamento estratégico para melhorar o desempenho futuro. 

“Hoje, mais do que nunca, as empresas precisam se adaptar, crescer e inovar para se manterem competitivas, e o planejamento estratégico é o alicerce sobre o qual essas transformações são construídas. Neste momento, o quarto trimestre de 2023, estamos diante de uma oportunidade única para redefinir nossos objetivos, avaliar nossos recursos e traçar um rumo sólido para o próximo ano. Não podemos subestimar a importância desse período”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

“O planejamento estratégico não é apenas uma tarefa a mais em nossa lista de afazeres, mas sim uma ferramenta poderosa para guiar nossa jornada empresarial. Com um planejamento estratégico profissional, podemos enfrentar as incertezas que o futuro nos reserva com confiança e clareza. Podemos identificar as oportunidades ocultas e mitigar os riscos antes que se tornem ameaças reais”, acrescentou Marcus.

Mas e as incertezas?

Fatores externos, como mudanças econômicas, políticas, tecnológicas e sociais, têm o potencial de afetar significativamente uma empresa. Essas influências externas podem criar incertezas e desafios imprevisíveis. O planejamento estratégico desempenha um papel crucial na capacidade da empresa de lidar com essas incertezas de várias maneiras. 

Ao acompanhar as tendências e monitorar os indicadores relevantes, a empresa pode antecipar possíveis mudanças e se preparar para lidar com elas. Com uma visão mais clara das ameaças e oportunidades externas, a empresa pode alocar seus recursos de maneira mais eficaz, concentrando-se em áreas que são mais críticas para seu sucesso.

Colocando em prática!

O momento é de analisar o desempenho atual da empresa, identificar pontos fortes e fracos, além de oportunidades e ameaças. Estabeleça metas específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com prazos definidos (já ouviu falar em Priorização GUT?). 

  • Você conhece a análise SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities, Threats)? Essa é uma ferramenta essencial no processo de planejamento estratégico, pois ajuda as empresas a identificar claramente suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Ao avaliar as forças internas, como recursos, competências e ativos, a análise SWOT destaca as áreas em que a empresa se destaca, permitindo que ela capitalize esses pontos fortes em sua estratégia. 

  • Ao mesmo tempo, ao identificar fraquezas internas, como deficiências operacionais ou recursos limitados, a análise SWOT permite que a empresa desenvolva planos para mitigar essas fraquezas e melhorar sua eficácia. 

Ou seja, é hora de identificar as ações e táticas necessárias para alcançar os objetivos estabelecidos. Determine os recursos financeiros, humanos e tecnológicos necessários. Implemente um sistema de monitoramento para acompanhar o progresso e ajustar o plano conforme necessário. A hora é agora!

Vamos lá! Estamos alinhados? 

A implementação bem-sucedida do plano estratégico envolve a tradução das estratégias em ações específicas, atribuição de responsabilidades e alocação de recursos. É crucial criar um cronograma detalhado e acompanhar regularmente o progresso para garantir que a estratégia esteja sendo executada conforme o planejado. 

Não esqueça de alinhar a estratégia com toda a equipe. Isso envolve comunicar de maneira clara os objetivos estratégicos, envolver os funcionários na formulação de metas específicas relacionadas à estratégia e fornecer recursos e treinamento necessários. O envolvimento da equipe cria um senso de propósito compartilhado e motivação para alcançar os objetivos estratégicos, tornando mais provável a execução eficaz da estratégia. 

Vamos conversar?

Na CMP Business Solutions, entendemos que o planejamento estratégico não é uma tarefa isolada. É uma jornada contínua. Para muitas empresas, esse processo pode parecer desafiador, mas é aí que entramos. Nossa equipe está pronta para auxiliar na criação de planos estratégicos sólidos e direcionados que impulsionarão seu negócio. 

Invista em um planejamento estratégico profissional para que possamos moldar o sucesso de sua empresa no futuro. São mais de 300 empresas já atendidas pela CMP. Juntos, podemos fazer de 2024 um ano de realizações relevantes. 

Acesse nossos canais de atendimento imediato para saber mais.

Categorias
Informações

Pós-graduação em Gestão de Negócios: Estimulando a criatividade profissional para escalar a carreira

A carreira profissional é uma jornada repleta de desafios, aprendizados e oportunidades. Mas será que você está percorrendo os melhores caminhos? Neste artigo separamos 5 alertas sobre mentalidade profissional para escalar a carreira. Ou seja, são reflexões importantes para que você alcance o sucesso profissional na sua área de atuação. 

Vamos apresentar a importância de evoluir na carreira e da influência da Pós-Graduação em Gestão de Negócios para o seu desenvolvimento. 

Mas qual será o primeiro passo? Antes de mais nada, vale lembrar que é essencial cultivar uma mentalidade de crescimento, inovação e constante aprimoramento. 

5 alertas para escalar a sua carreira

  1. Já sabe o que quer? Quais são as suas metas de carreira? Para evoluir na carreira, é crucial ter metas claras em mente. Pergunte a si mesmo onde você deseja estar daqui a 5, 10 ou 20 anos. Estabelecer objetivos específicos e mensuráveis irá direcionar seus esforços e mantê-lo focado em sua trajetória de crescimento. 

  2. Como está a sua Educação Continuada? É preciso aprimorar as suas habilidades. A aprendizagem nunca deve parar. Esteja aberto para adquirir novos conhecimentos, seja por meio de cursos, workshops, leitura de livros ou networking. 

  3. Problemas e Inovação: Profissionais que se destacam são aqueles que resolvem problemas de maneira eficaz. Esteja disposto a enfrentar desafios, analisar situações sob diferentes perspectivas e propor soluções criativas. Sobre inovação, ela é um elemento-chave para o sucesso na carreira e nas organizações. Esteja aberto a novas ideias, tecnologias e abordagens. Este é o conceito da mentalidade de crescimento, sempre caminhando de braços dados com a inovação. 

4: Emocional e Responsabilidade: Habilidades interpessoais são tão importantes quanto as habilidades técnicas. Aprimore sua inteligência emocional, que envolve empatia, comunicação eficaz e habilidades de liderança. E seja responsável. Esteja disposto a assumir responsabilidades adicionais e desafios que possam ampliar seu conjunto de habilidades. 

5: Aproveita oportunidades? A CMP Business Solutions oferece uma pós-graduação em Gestão de Negócios que pode ser um grande impulsionador de sua carreira. Um passo de evolução e ascensão. A seguir contamos mais detalhes sobre essa oportunidade. 

Mas por que estudar gestão agora? Por que é relevante?

Antes de destacarmos mais detalhes sobre a oportunidade, vale explicar por que este é o momento certo para realizar um mergulho profundo na área de gestão. 

A gestão de negócios é uma disciplina que desempenha um papel fundamental no mundo dos negócios, independentemente do setor ou do tamanho da empresa. Estudar gestão de negócios oferece uma ampla gama de benefícios que podem ser aplicados tanto na esfera profissional quanto na pessoal. 

Estamos falando de escalar a carreira, sim. Mas também de evolução como um todo – pessoal e profissional.

  • A gestão de negócios abrange uma variedade de áreas, incluindo finanças, marketing, recursos humanos, estratégia e operações. 
  • Fornece ferramentas e técnicas para tomar decisões informadas e baseadas em dados. Isso é vital em um ambiente de negócios onde as escolhas erradas podem ter consequências significativas. 
  • Oferece insights sobre como criar, administrar e fazer crescer uma empresa de forma eficaz. 
  • Trata-se de um catalisador da criatividade. Estimulando o desenvolvimento da sua criatividade profissional. 
  • Compreender os princípios da gestão pode abrir portas para posições de liderança e cargos mais estratégicos. 
  • Ensina como as organizações funcionam, incluindo estruturas, cultura empresarial e dinâmicas de equipe. Essa compreensão é útil em qualquer contexto de trabalho. 
  • Liderar eficazmente e se comunicar de maneira clara são habilidades essenciais em qualquer carreira. 
  • O ambiente de negócios está em constante evolução, atualização. Estudar gestão de negócios o capacitará a entender as tendências do mercado e a se adaptar a elas de maneira ágil, garantindo a relevância contínua. 
  • Isso sem falar no networking essencial que o estudo te proporciona. 

Ascenção com Gestão de Negócios

“A gestão de negócios é um campo dinâmico e desafiador, no qual as habilidades e os conhecimentos necessários para o sucesso estão sempre evoluindo. É por isso que acredito que investir em educação continuada, como uma Pós-graduação em Gestão de Negócios, é uma escolha inteligente para escalar sua carreira. Essa pós-graduação não apenas fornece uma base sólida em princípios de gestão, finanças, estratégia e liderança, mas também oferece a oportunidade de mergulhar em tópicos relevantes para os desafios de negócios da atualidade. Ela ajuda a desenvolver uma mentalidade estratégica e inovadora, que é fundamental para se destacar em qualquer setor”, detalhou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

Ele também destaca a força do networking como fator crucial para a tomada de decisão:

“A interação com professores experientes e colegas de classe oferece uma perspectiva valiosa. O networking construído durante a pós-graduação pode abrir portas para colaborações profissionais e oportunidades de crescimento que, de outra forma, poderiam passar despercebidas”, acrescentou. 

Quer saber mais?

Invista em si mesmo, invista em sua carreira e prepare-se para alcançar novos patamares de sucesso. Convidamos você a considerar a Pós-graduação em Gestão de Negócios como um próximo passo em sua jornada de evolução profissional. Investir em sua educação é investir em seu futuro de sucesso.


Clique neste link para saber mais. Lembrando que estamos falando da sétima melhor escola de negócios do mundo (eleita no ranking da Financial Times sobre Educação Executiva).

Categorias
Informações

Saiba como utilizar a Governança Corporativa para construir um legado da sua empresa

A empresa familiar tem as suas particularidades. Muitas delas começaram como pequenos empreendimentos e cresceram ao longo de gerações, tornando-se líderes em seus setores. No entanto, manter a perenidade de uma empresa familiar não é uma tarefa simples. É preciso enfrentar desafios únicos, como a sucessão de liderança, conflitos familiares e a adaptação às mudanças do mercado.

A seguir, aqui neste artigo, vamos falar sobre governança corporativa como base para a construção de um legado para empresas familiares. Acompanhe! Ao final do artigo, ainda temos um convite especial para você.

Governança corporativa: o que é?

Governança corporativa (ou governo das empresas) é o conjunto de processos, costumes, políticas e leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada –  sempre estruturando com práticas, regras e processos para que a empresa alcance os seus objetivos.

A governança corporativa é a base para a melhor tomada de decisões. Nas empresas familiares, desempenha um papel vital na garantia de que a empresa continue a prosperar mesmo quando a liderança e a propriedade são passadas de uma geração para outra. 

Quais benefícios imediatos ela carrega?

Aqui podemos separar em dois pontos principais.

  • 1: Gestão. Uma das primeiras etapas para garantir a perenidade é a profissionalização da gestão. Isso envolve trazer talentos externos para a equipe de liderança, garantindo que as decisões sejam baseadas em méritos, competências e não apenas em laços familiares.
  • 2: Independência: Ter um conselho de administração independente é fundamental. Essa equipe de especialistas pode oferecer orientação imparcial e estratégica, ajudando a evitar conflitos familiares e a tomar decisões de longo prazo que beneficiem a empresa como um todo.

Em entrevista, Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions – empresa associada à Fundação Dom Cabral, explica a importância da governança corporativa para o sucesso das empresas familiares.

“A transição de liderança de uma geração para outra, a gestão de conflitos familiares e a adaptação às mudanças do mercado provaram ser obstáculos consideráveis. É aqui que a governança corporativa entra em jogo. Ela proporciona a estrutura necessária para a tomada de decisões sólidas, baseadas em princípios, méritos e no melhor interesse da empresa. A profissionalização da gestão, a criação de um conselho de administração independente e a promoção de uma cultura de transparência são passos cruciais”, explicou Marcus.

Garantindo a perenidade

A sucessão é um dos maiores desafios para as empresas familiares. Para garantir a continuidade do negócio, é crucial planejar cuidadosamente a transição de liderança. Aqui estão algumas estratégias importantes para este momento.

  • Quem? Comece cedo identificando potenciais sucessores dentro da família. Eles devem receber treinamento e desenvolvimento para assumir papéis de liderança.
  • Como? Uma comunicação aberta e franca com todos os membros da família é essencial. Deve haver uma compreensão clara das expectativas em relação à sucessão.
  • Quais valores? Manter a cultura empresarial e os valores da empresa é crucial para a perenidade. É importante que todos os membros da família estejam alinhados com os princípios que a empresa representa.

Os principais pontos de atenção

Você já sabe quais são os principais pontos de atenção para a sua empresa neste momento de transição para uma governança corporativa?

Aqui precisamos destacar a conceituação e o histórico da governança corporativa; falar sobre conflitos de interesse em empresas familiares; diferenciação entre governança e gestão; qual é a estrutura de governança em uma empresa de controle familiar; quais são as motivações para a adoção da governança corporativa; qual é a estratégia de longevidade e planejamento da sucessão; construção da legitimidade de sucessores; a escolha do melhor sucessor; a alternativa de sucessão para um gestor não familiar; entre outros pontos.

É preciso saber, por exemplo, qual será o papel do Conselho de Administração; como construir um conselho eficaz; qual será o papel dos membros da família no Conselho de Administração; além da escolha de Conselheiros Independentes.

Mas o que fazer agora?

Vamos para o convite? Faça um programa de nível internacional, com a 7ª melhor escola de negócios do mundo, a Fundação Dom Cabral. Com uma metodologia comprovada e um corpo docente altamente qualificado, nosso programa de Governança Corporativa em Empresas Familiares irá ajudar você a desenvolver habilidades para um autodiagnóstico, habilidades para lidar com as complexidades das relações familiares no ambiente de negócios, além de lhe apresentar aportes conceituais e explorar casos de sucesso de melhores práticas de empresas familiares em todo o mundo.

Imagine aprender estratégias avançadas de governança para equilibrar os interesses da família e da empresa e ainda fortalecer a liderança e a colaboração entre os membros da família e os executivos profissionais?

Um convite para executivos, administradores e gestores que atuam em empresas familiares. Também para fundadores, sócios, sucessores e herdeiros.

Acesse este link para saber todos os detalhes.

Com uma observação importante: quem apresenta o programa é Dalton Sardenberg, Professor de dedicação exclusiva na Fundação Dom Cabral nas áreas de Governança Corporativa, Compliance e Ética Empresarial, Gestão de Empresas Familiares e Gestão Estratégica.

Na FDC, Sardenberg foi diretor dos Processos de Administração e das Parcerias Empresariais, gerente dos Programas Abertos, Customizados e de Pós-graduação e coordenou o Núcleo de Governança Corporativa. Já atuou em empresas como a Petrobras, BB Mapfre, Sebrae, Banco do Nordeste, Assodeere, Loreal, Bradesco, Transpetro, entre outras.

A oportunidade é para os dias 28 e 29 de setembro, em São José dos Campos.

Categorias
Informações

Conflito de gerações nas empresas familiares? Entenda o papel da governança corporativa

A empresa familiar é um pilar essencial da economia global, contribuindo para a criação de empregos e o crescimento econômico. Mas há um tema polêmico quando falamos sobre empresas familiares: o conflito de gerações. 

Você sabe qual é o papel da governança corporativa para a superação dos desafios das gerações? É o que vamos tratar aqui neste artigo a seguir. 

Promover a harmonia geracional, incentivar o investimento em inovação e garantir o desenvolvimento sustentável das empresas familiares. Acompanhe! 

Tal pai, tal filho?

A transição de liderança entre diferentes gerações em empresas familiares pode ser um terreno fértil para conflitos. Cada geração traz perspectivas, valores e métodos de trabalho distintos, o que pode levar a desentendimentos sobre a direção estratégica, a cultura organizacional e as prioridades de investimento. O conflito de gerações pode prejudicar o desempenho empresarial. 

Mas como garantir a harmonia?

A governança corporativa emerge como uma ferramenta eficaz para mitigar os conflitos geracionais. Através da implementação de estruturas de governança transparentes e eficientes, as empresas familiares podem estabelecer fóruns de comunicação entre as gerações. Isso permite que as divergências sejam abordadas de maneira construtiva e que decisões estratégicas sejam tomadas considerando uma variedade de perspectivas. 

Desafios das gerações

Em entrevista, Sílvia Martins, diretora de programas de desenvolvimento de famílias empresárias e acionistas da Fundação Dom Cabral (FDC), falou sobre o desafio das gerações com as empresas familiares: 

“Um dos maiores desafios de uma família empresária está na mistura dos assuntos pessoais e profissionais debatidos tanto na reunião da empresa quanto no almoço de domingo (…) a governança corporativa contribuiria com a profissionalização da gestão e com maior transparência entre os membros da família na medida que define diretrizes, políticas, normas e regras para mitigar potenciais riscos de conflitos”, avaliou. 

A Governança Corporativa

Estamos falando de um conjunto de mecanismos e princípios que regem a tomada de decisões, resolução de conflitos e gestão do negócio. Sempre com pilares fundamentais. Como Transparência (ser claro e objetivo), Equidade; Prestação de contas e Responsabilidade social (qualidade de vida do seu time.

Esqueça a ausência de hierarquia e os privilégios pessoais. Não. Aqui falamos sobre uma empresa profissional e transparente – com missão e visão bem definidas. 

Mas como a combinação de gerações pode favorecer as empresas familiares?

Trabalhando em harmonia e investindo em novas tecnologias de forma constante. Além de adotar efetivamente as práticas de responsabilidade social, sustentabilidade e governança corporativa – sigla ESG (Environmental, Social and Governance – Ambiental, Social e Governança).

Cassio Spina, presidente e fundador da Anjos do Brasil, falou sobre essa combinação positiva em entrevista. Ele lembra que empresas com esse perfil têm maior potencial para alcançar retorno financeiro expressivo. “Como existe a figura do controlador, fica mais fácil conhecer a visão estratégica de médio e longo prazos”, explicou em entrevista ao portal “Seja Relevante”.

Harmonia perfeita

Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, explicou como a harmonia entre gerações é um fator determinante para o sucesso. 

“Empresas familiares são tesouros de tradição, valores e conhecimento acumulado ao longo dos anos. Mas com a evolução constante dos mercados e das tecnologias, também é essencial que essas empresas se mantenham ágeis e inovadoras. Nesse cenário, o conflito entre diferentes perspectivas é uma possibilidade real”, introduziu Marcus.

“Acredito firmemente que, com a governança corporativa adequada, é possível transformar essas diferenças em vantagens competitivas. Quando as gerações mais antigas e as mais jovens se unem em busca de um objetivo comum, algo mágico acontece. A combinação de sabedoria, experiência e intuição com energia, criatividade e visão de futuro pode criar um ambiente rico em possibilidades”, concluiu. 

Inovação nas empresas familiares

A inovação é a força vital de qualquer empresa moderna. Nas empresas familiares, a resistência à mudança por parte de gerações mais antigas e a ânsia por experimentar por parte das mais jovens podem criar um desequilíbrio. A governança corporativa pode criar um ambiente que encoraje o investimento em inovação, permitindo que as empresas familiares se adaptem às mudanças tecnológicas e do mercado. 

Governança Corporativa para a minha carreira

Clique no ícone do WhatsApp aqui no site da CMP para falar com a nossa equipe de atendimento. Temos uma solução personalizada para o desenvolvimento da sua carreira e também para o desenvolvimento da sua empresa familiar. Aguardamos você! 

Categorias
Informações

Desenvolvimento Operacional e Tático: Impulsionando o crescimento empresarial

É hora de ir além da parte estratégica. Como desenvolver Operacional e Tático para o crescimento da minha empresa a partir de agora? Vale lembrar que, no mundo dos negócios, a estratégia é apenas o ponto de partida. Para que uma empresa alcance seu potencial máximo de crescimento e competitividade, é essencial traduzir essa estratégia em ações operacionais e táticas eficazes. 

Neste artigo, vamos mostrar como as empresas podem utilizar o Desenvolvimento Operacional e Tático para alcançar resultados expressivos. Acompanhe! Ao final do artigo, temos um convite especial para você. 

Ponto de partida

Uma estratégia clara é o ponto de partida para o sucesso empresarial. Mas muitas empresas enfrentam dificuldades na execução eficaz de suas estratégias. 

Lembrando que aqui já escrevemos também sobre ferramentas para tomar decisões estratégicas em Gestão Comercial

Vamos para a prática? Para o operacional? 

A implementação consistente e eficiente é a chave para o crescimento sustentável. É preciso buscar o auxílio necessário para aprimorar suas operações, otimizando processos, reduzindo desperdícios e aumentando a eficiência operacional. Isso não apenas melhora a qualidade dos produtos e serviços, mas também aumenta a satisfação do cliente. 

3 pontos para reflexão

  • 1: Identifique os processos operacionais mais cruciais para o sucesso da sua empresa. Mapeie esses processos em detalhes, identificando pontos falhos, desperdícios e oportunidades de melhoria. Em seguida, trabalhe para otimizar esses processos, eliminando etapas desnecessárias, simplificando procedimentos e implementando melhores práticas. Isso aumentará a eficiência, reduzirá custos e melhorará a qualidade dos produtos ou serviços entregues. 
  • 2: O sucesso tático está conectado com a capacidade de alinhar as ações diárias com a estratégia de longo prazo da empresa. Desenvolva uma compreensão clara dos objetivos estratégicos e, em seguida, trabalhe com sua equipe para traduzi-los em ações práticas e táticas. 
  • 3: Promova uma cultura de aprendizado e adaptação. O desenvolvimento operacional e tático não é um destino final, mas sim um processo contínuo. Cultive uma mentalidade de aprendizado e melhoria constante em toda a organização. Incentive a equipe a experimentar novas abordagens, a inovação.

Desenvolvimento Operacional

Sobre Desenvolvimento Operacional, podemos destacar alguns pontos fundamentais para alcançar os melhores resultados com a sua empresa. Como o mapeamento de processos (entendendo onde estão os gargalos e as oportunidades de melhoria); automação (economiza tempo e libera sua equipe para se concentrar em atividades mais estratégicas); padronização (facilita o treinamento de novos funcionários); e capacitação da equipe.

Também tenha atenção com o monitoramento de métricas. Dessa forma você passa a medir e criar estratégias aprofundadas em cima de dados e resultados. 

Desenvolvimento Tático

Na área do Desenvolvimento Tático, podemos destacar ferramentas como: Análise SWOT (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças); estratégia de mercado (entendendo público-alvo, concorrência e diferenciais da empresa); alocação de recursos (incluindo orçamento, equipe e tecnologia); gestão de riscos (desenvolvendo planos de mitigação); além de acompanhamento e adaptação, afinal estamos em movimento e precisamos nos adaptar a mudanças de rota. 

Lembre-se: o desenvolvimento operacional e tático é um processo contínuo. A adaptação constante às mudanças do mercado e a busca por eficiência são fundamentais para o sucesso a longo prazo da sua empresa.

Convite: a sua empresa precisa conhecer o PAEX!

“O mundo dos negócios está em constante evolução, e as empresas enfrentam desafios cada vez mais complexos e competitivos. É nesse cenário que o PAEX, da Fundação Dom Cabral, se destaca como uma ferramenta essencial para o sucesso empresarial. O programa não é apenas uma abordagem teórica; é um caminho concreto para traduzir estratégias em resultados tangíveis”, explicou detalhou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral. 

“Ao longo dos anos, tenho testemunhado empresas lutando para alinhar suas estratégias com suas operações diárias. A lacuna entre o planejamento e o fazer muitas vezes é o que impede o crescimento consistente. O PAEX preenche essa lacuna. Ele oferece um guia claro para profissionalizar as operações, otimizar processos e tomar decisões táticas informadas”, acrescentou Marcus. 

Mas o que diz quem já utiliza o PAEX?

Peixoto Accyoli, Presidente e CEO da RE/MAX Brasil, compartilha os resultados que a empresa alcançou a partir da contratação do PAEX – Parceiros para Excelência.

“Não era uma opção, era uma necessidade da empresa. O PAEX trouxe um norte para o crescimento da companhia como um todo. Transformou nossa estrada com apoio para mais velocidade, com sinalizações claras, cultura de gestão e uma ajuda completa para se desenvolver”, comentou Peixoto em entrevista ao canal oficial da FDC. 

“A evolução da gestão da nossa empresa foi muito significativa. Hoje, depois do PAEX, temos 30% mais gestores identificando áreas até então descobertas. Hoje todo o corpo gestor da empresa conhece os números, entende a empresa e sabe aonde a gente quer chegar”, detalhou Felipe Sanchez, sócio-fundador e CEO da Global Química & Moda. 

A CMP Business Solutions, associada à Fundação Dom Cabral, oferece acesso exclusivo ao Programa PAEX. É hora de implementar práticas de gestão que estão entre as melhores do mundo na realidade da sua empresa. Clique aqui para mergulhar no universo PAEX.

Categorias
Informações

Qual é o impacto da gestão eficiente para empresas de pequeno porte?

“Não preciso investir em bala de canhão para simplesmente acabar com os mosquitos”. No mundo empresarial, essa frase já foi usada por pequenos empreendedores que se dizem muito pequenos para o investimento na gestão eficiente e profissional. Ledo engano. 

Neste artigo vamos destacar qual é o impacto da gestão eficiente e profissional para empresas de pequeno porte. Como estruturar pequenas empresas para alcançar novos patamares de desenvolvimento e crescimento?

Com um detalhe importante: você vai descobrir o que é o PAN – Parceria para Aceleração do Negócio, da Fundação Dom Cabral; conhecendo seus benefícios e diferenciais. 

A gestão eficiente para todos os tamanhos

A gestão eficiente desempenha um papel crucial no sucesso das empresas de pequeno porte. Essas organizações muitas vezes enfrentam recursos limitados e desafios únicos, mas com uma abordagem adequada de gestão, podem superar essas dificuldades e prosperar no mercado. 

Mas como começar?

Comece com uma visão clara sobre a empresa. É essencial estabelecer metas e objetivos realistas e comunicá-los de forma clara a todos os membros da equipe. Uma visão clara fornece uma direção comum e inspira os funcionários em todos os sentidos. 

Quer um exemplo?

Uma empresa de desenvolvimento de software de pequeno porte pode ter uma visão de se tornar a principal provedora de soluções para empresas locais, oferecendo produtos inovadores e suporte personalizado ao cliente.

Que tal?

Uma visão clara e objetiva para uma gestão profissional. 

Estratégia definida

Um plano estratégico ajuda a traduzir a visão em ações concretas. A teoria vai para a prática. Ele identifica as principais estratégias e táticas necessárias para alcançar os objetivos da empresa. Ao criar um plano estratégico, as empresas devem considerar suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, além de levar em conta o ambiente competitivo e as tendências do mercado. 

Vamos de novo para o exemplo prático:

Uma empresa de consultoria de pequeno porte pode desenvolver um plano estratégico que inclua a expansão para novos mercados, a diversificação de serviços e o estabelecimento de parcerias com outras empresas. 

Não tenho verba, sou pequeno. E agora?

Recursos limitados são uma realidade para a maioria das empresas de pequeno porte. Uma gestão eficiente envolve o uso inteligente e eficaz dos recursos disponíveis, como tempo, dinheiro, pessoal e tecnologia. Isso inclui a alocação cuidadosa de recursos, o controle de custos, a maximização da produtividade da equipe e a busca de oportunidades de eficiência. 

O seu time é único

Quem acreditou na sua empresa no início, merece mais. Sem dúvida! Portanto, é fundamental valorizar a sua equipe desde o começo da empresa. Preocupe-se com a contratação de talentos adequados, com a definição de expectativas claras, com o fornecimento de treinamento e com oportunidades de aprendizado. Assim como o estabelecimento de um ambiente de trabalho positivo e motivador. 

“Pessoas são o coração da sua empresa de pequeno porte. Elas serão as responsáveis por colocar a mão na massa e alavancar o patamar da organização. Então você precisa preparar o seu time de liderança para atuar num ambiente de negócios incerto e complexo que é o que vivemos atualmente”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions.

Mas como colocar a gestão eficiente para funcionar?

Já ouviu falar no PAN? Trata-se do programa para empresas de pequeno porte da Fundação Dom Cabral, a FDC, uma das melhores escolas de negócios do mundo. 

Será que é para a minha empresa mesmo? O programa é voltado para empresas de pequeno porte que necessitam organizar a gestão e focar em pontos vitais para o crescimento acelerado e sustentado.

E quais resultados podemos esperar de imediato?

Por uma empresa mais organizada com melhorias nos resultados e processos de gestão, responsabilidades claras e colaboradores mais capacitados e engajados. Agilidade na antecipação de cenários, planejamento, correção de ações e renovação para dar saltos de crescimento de forma sustentada.

Diferenciais do PAN

Você vai entender o papel relevante da sua empresa no mercado. Seja com empresas de pequeno porte. Ou até mesmo com startups. Quais benefícios podemos esperar com o PAN da FDC?

  • Aceleramento de negócios de pequeno porte, de forma rápida, considerando a frequência cada vez maior de ciclos de altos e baixos, uma realidade no mundo VUCA (saiba mais) em que estamos inseridos;
  • Ações estrategicamente pensadas com o objetivo de alcançar as metas e promover o crescimento acelerado;
  • Desenvolver e engajar o time de liderança para superar os desafios e aplicar as melhores práticas de gestão
  • Identificação dos principais gargalos organizacionais ao crescimento e definição de ações de superação, priorizando atividades e estabelecendo responsabilidades de forma clara;
  • Monitorias para estruturação de processos e melhoria da gestão;
  • Plano de crescimento do negócio; acompanhamento periódico; monitorias; mentorias; vídeo aulas; aulas presenciais e muito mais;
  • Tudo isso dentro da estrutura FDC, uma das melhores escolas de negócios do mundo. 

Clique aqui para saber mais sobre o PAN com a CMP Business Solutions.

Categorias
Informações

Conheça ferramenta para tomar decisões estratégicas em Gestão Comercial

Você já ouviu falar em Priorização GUT? Neste artigo apresentamos detalhes sobre uma ferramenta eficaz para tomar decisões estratégicas na Gestão Comercial da sua empresa. Ao final do artigo, também deixamos um convite urgente para a transformação da sua carreira já em agosto de 2023. 

Priorização GUT

É grave? É urgente? É tendência? A tomada de decisões é uma parte essencial da gestão da sua empresa. Para qual lado devemos seguir? Para encontrar os melhores caminhos, é fundamental adotar uma abordagem estruturada para priorizar as ações e recursos disponíveis. 

Uma ferramenta amplamente utilizada nesse contexto é a Priorização GUT (Gravidade, Urgência, Tendência). 

O que é GUT?

A priorização GUT é uma técnica que visa classificar e priorizar tarefas, problemas ou projetos com base em três critérios principais: Gravidade, Urgência e Tendência. Gravidade (G), que avalia o impacto potencial de uma ação ou problema; Urgência (U), que mede o prazo ou a necessidade imediata de ação; e Tendência (T), que analisa se a situação está melhorando ou piorando com o tempo. 

Cada critério é pontuado individualmente e, em seguida, multiplicado para gerar um índice de prioridade. Dessa forma, é possível identificar e direcionar esforços para as questões mais relevantes e impactantes. 

“Sabe aquela história de `não tenho tempo para nada`? Pois é. Você pode estar numa correria automática e sem entender nada sobre gravidade, urgência e tendência. Vai simplesmente no automático e não consegue priorizar o que realmente é prioridade. Então essa parada para reflexão e pela busca do conhecimento se torna fundamental”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

Benefícios da Priorização GUT

Aqui destacamos uma lista de benefícios da Priorização GUT.

  • A priorização GUT permite identificar e lidar primeiro com os problemas que possuem maior gravidade.
  • Quando priorizamos o que é mais urgente, é possível alocar recursos de forma mais estratégica, maximizando a produtividade e evitando desperdícios. 
  • Com a priorização GUT, você ganha uma análise racional. E não emocional. A decisão é baseada em critérios objetivos.

GUT na prática com exemplos

Vamos para a parte prática? Com exemplos para que possamos ilustrar melhor este artigo. O passo-a-passo vem da seguinte forma:

1: Identificar tarefas, problemas ou projetos que precisam ser priorizados.

2: Atribuir uma pontuação de 1 a 5 para cada critério (Gravidade, Urgência, Tendência), sendo 1 o menor impacto e 5 o maior impacto. 

3: Multiplicar as pontuações de cada critério para obter o índice de prioridade (G x U x T). 

4: Ordenar as tarefas, problemas ou projetos com base no índice de prioridade, do maior para o menor. 

5: Aplicar recursos e esforços nas tarefas com maior índice de prioridade.

Podemos citar o exemplo da pequena empresa que desenvolve aplicativos para celular. A ideia é implementar a Priorização GUT para analisar o que é grave, urgente ou o que é tendência. Os riscos e os problemas são tratados de forma adequada.

O prazo de entrega do app é amanhã. É grave e urgente? Qual será a estratégia tomada de acordo com a análise do cenário por inteiro? 

Outros cenários típicos em que a ferramenta pode ser útil são: seleção de projetos, gerenciamento de problemas e alocação de recursos. 

Além do GUT! Impulsione seus resultados em vendas

Chegou a hora da surpresa que prometemos no início do artigo. Priorização GUT é somente um dos diversos temas do programa “Gestão Comercial: Design de Estrutura e Prospecção” da CMP Business Solutions. Um programa completo para você que busca um olhar ampliado e estratégico para a área de Vendas, a partir da sua conexão com a área de Marketing e da estratégia do negócio. É hora de elevar suas vendas a um novo patamar!

Com um detalhe: você faz um programa de nível internacional, com a 7ª melhor escola de negócios do mundo, a Fundação Dom Cabral, sem sair da sua cidade. Clique no link a seguir e saiba mais sobre a oportunidade para os dias 3 e 4 de agosto em Guarulhos (SP).

Categorias
Informações

Transformação Digital: O que ainda preciso fazer com a minha empresa em 2023

Estamos entrando no segundo semestre de 2023 e o tema Transformação Digital segue em evidência. São diversas as perguntas que surgem sobre o tema. Será que a minha empresa consegue acompanhar a Transformação Digital? É assunto somente para empresas da área de tecnologia? Quais são os benefícios dessa atualização? E os erros mais cometidos no mercado? 

Neste artigo aqui no Blog da CMP Business Solutions vamos fazer um mergulho com reflexões importantes sobre o tema. Conceitos, exemplos práticos e muito mais. Acompanhe a seguir e descubra qual é o status atual da sua empresa. 

Transformação Digital na minha empresa: O que é

No cenário empresarial atual, a transformação digital é uma jornada indispensável para se manter competitivo e relevante no mercado. A rápida evolução da tecnologia tem impactado todos os setores, desde pequenas startups até grandes corporações. 

A transformação digital refere-se à integração de tecnologias digitais em todos os aspectos de uma organização, abrangendo processos internos, relacionamento com clientes, colaboração com parceiros e estratégias de negócios. 

Essa transformação não se trata apenas de adotar novas ferramentas, mas sim de uma mudança cultural e de mindset, abraçando a inovação e a agilidade como valores fundamentais. 

Por que a minha empresa precisa se atentar?

Investir na transformação digital traz inúmeras vantagens e benefícios para as empresas. Aqui podemos citar:

  • Eficiência Operacional: A automação de processos, o uso de dados e análises avançadas permitem otimizar operações, reduzir custos, eliminar tarefas repetitivas e aumentar a produtividade. 
  • Experiência do Cliente: A transformação digital possibilita oferecer uma experiência personalizada e integrada ao cliente, desde o primeiro contato até a pós-venda, resultando em maior satisfação, fidelização e recomendações. 
  • Inovação: A digitalização proporciona a criação de novos modelos de negócio, produtos e serviços inovadores, explorando mercados até então inexplorados e antecipando as necessidades dos clientes.
  • Dados: A análise de dados em tempo real fornece informações valiosas para embasar decisões estratégicas, identificar tendências de mercado e antecipar demandas, permitindo uma atuação mais ágil e assertiva.

Ainda sobre dados, leia também o nosso artigo sobre Data Driven.

Como desenvolver minha empresa com essa transformação?

Aqui destacamos alguns pontos importantes. Como uma cultura organizacional que incentiva a inovação, o aprendizado contínuo e a colaboração. A liderança deve estar comprometida em promover essa mudança e engajar todos os colaboradores nesse processo. 

Também é fundamental investir em capacitação e desenvolvimento – garantindo que os colaboradores estejam aptos a utilizar as novas tecnologias e ferramentas digitais, bem como adotar novos métodos de trabalho. 

E a cada passo dado, uma estratégia precisa sempre estar por trás.

É essencial ter uma estratégia clara e alinhada aos objetivos de negócio. Identificar as áreas-chave que podem se beneficiar da transformação digital e definir metas específicas e mensuráveis ajudará a direcionar os esforços e maximizar os resultados. 

Exemplos para colocar em prática

Aqui selecionamos 3 exemplos práticos da transformação digital para a realidade da sua empresa. Vamos lá:

  1. Automação de Processos: Implementar sistemas de automação para agilizar suas operações internas. Por exemplo, a adoção de um software de gerenciamento de projetos permitiria o acompanhamento em tempo real do progresso das tarefas, facilitando a comunicação entre os membros da equipe e garantindo a entrega dentro dos prazos estabelecidos. 

  2. Análise Avançada: Utilizar ferramentas de análise de dados para extrair insights valiosos sobre as necessidades e comportamento dos clientes. Por exemplo, por meio da análise de dados de interações passadas, é possível identificar padrões de compra, preferências e tendências, permitindo uma segmentação mais eficaz e personalização das ofertas.

  3. Comunicação: Implementar uma plataforma omnichannel que permita aos clientes interagir de forma consistente e fluida por meio de diversos canais, como chatbots, redes sociais, e-mails e telefone. Isso proporcionaria uma experiência integrada, independentemente do canal escolhido, melhorando a satisfação do cliente e facilitando o suporte em tempo real.

Transformação Digital é mesmo para minha empresa?

A dúvida sobre se a transformação digital é adequada para a realidade de uma empresa é comum e compreensível. Muitos empreendedores podem pensar que a transformação digital é exclusiva de empresas de tecnologia ou que só é relevante para determinados setores de mercado. 

No entanto, é importante esclarecer que a transformação digital é um processo que afeta todas as indústrias e empresas, independentemente do seu ramo de atuação. 

Mas como assim?

Precisamos lembrar que a transformação digital é um fenômeno abrangente que está ocorrendo em todas as áreas da economia. É impulsionada pelas mudanças tecnológicas rápidas e pela demanda dos consumidores por experiências digitais melhores. Portanto, não se trata apenas de empresas de tecnologia, mas sim de todas as organizações que desejam se manter competitivas em um ambiente de negócios em constante evolução. 

Lembre-se dos benefícios que a transformação digital pode trazer para a empresa, independentemente do setor. Esses benefícios podem incluir maior eficiência operacional, melhor experiência do cliente, acesso a novos mercados, aumento da produtividade, tomada de decisões baseada em dados e capacidade de inovar. 

Personalização da transformação

A transformação digital não é um modelo único aplicável a todas as empresas. Cada organização tem suas próprias necessidades e desafios específicos. A transformação digital pode ser adaptada e personalizada para atender às necessidades e metas da empresa, levando em consideração suas capacidades internas, recursos disponíveis e objetivos estratégicos. 

Opinião do especialista

“A velocidade das mudanças tecnológicas e as expectativas crescentes dos consumidores estão redefinindo o jogo dos negócios de uma maneira sem precedentes. A transformação digital não é apenas uma opção para se manter competitivo, mas uma necessidade absoluta. É um processo que exige coragem, visão estratégica e disposição para abandonar práticas ultrapassadas”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC. 

Como entrar nessa transformação agora?

Não é apenas uma questão de adotar novas tecnologias, mas de repensar completamente a forma como fazemos negócios. 

Vamos conversar hoje mesmo sobre oportunidades de transformação para a realidade da sua empresa? 

Fale com a nossa equipe de atendimento clicando aqui. Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva – a CMP Business Solutions foi escolhida por mais de 300 empresas e 1.200 executivos. 

Categorias
Informações

Prospecção de clientes: estratégias para impulsionar suas vendas

A prospecção de clientes é uma etapa essencial para impulsionar as vendas e garantir o crescimento sustentável de uma empresa. Mas como é realizada a prospecção na sua empresa? Quais são as estratégias utilizadas? Vamos nos aprofundar sobre essas e outras perguntas no artigo a seguir. Ao final do conteúdo ainda temos um convite especial para você – sobre o programa Gestão Comercial: Design de Estrutura e Prospecção, oferecido pela CMP-Business, empresa associada à Fundação Dom Cabral . Acompanhe! 

Estratégias da prospecção

Selecionamos alguns destaques para você sobre prospecção de clientes. Continue lendo este artigo para descobrir um pouco mais sobre estratégias e impulsionar suas vendas.

  1. Conheça seu cliente ideal: Antes de iniciar a prospecção, é fundamental entender quem é o seu cliente ideal. Identifique suas características demográficas, comportamentais e necessidades específicas. Isso permitirá direcionar seus esforços de prospecção e otimizar seu tempo e recursos.
  1. Diversifique seus canais: Utilize uma variedade de canais para alcançar um público mais amplo e diversificado. Explore opções como e-mail, mídias sociais, eventos, ligações telefônicas e networking. Adaptar sua abordagem de acordo com o canal e o segmento de mercado aumentará suas chances de sucesso.
  1. Marketing de conteúdo: Invista em um blog ou em outras formas de marketing de conteúdo. Compartilhe informações relevantes e valiosas, como artigos, vídeos, infográficos e eBooks, que abordem os desafios e necessidades do seu público-alvo. Construa autoridade e desperte o interesse dos potenciais clientes por meio de conteúdo educativo e útil.
  1. Personalização é a chave: Demonstre interesse genuíno em seus potenciais clientes por meio de uma abordagem personalizada. Pesquise sobre eles antes de entrar em contato, mostre que você compreende suas necessidades e objetivos. Personalize suas mensagens, destacando como sua solução pode resolver problemas específicos e agregar valor aos seus negócios.
  1. Networking estratégico: Esteja presente em eventos do setor, feiras comerciais e grupos de networking. Essas oportunidades oferecem um ambiente propício para expandir sua rede de contatos e prospectar clientes. Conecte-se com pessoas influentes, troque ideias e experiências. O networking pode abrir portas para parcerias estratégicas e valiosas referências.
  1. Acompanhamento consistente: O follow-up é essencial para transformar leads em clientes. Seja proativo em suas ações de acompanhamento, mantendo contato regular com leads qualificados. Utilize ferramentas de CRM para rastrear e organizar suas interações, garantindo que nenhuma oportunidade seja perdida.
  1. Ajuste e otimize: A prospecção de clientes é um processo contínuo e dinâmico. Monitore o desempenho de suas estratégias, avalie métricas-chave, como taxa de conversão e retorno sobre o investimento (ROI). Faça ajustes conforme necessário e identifique áreas que precisam de aprimoramento.

Por que é importante? 

“A prospecção de clientes é um aspecto fundamental da gestão comercial e pode impulsionar significativamente as vendas de uma empresa. Ao implementar estratégias e táticas eficazes de prospecção, você pode expandir sua base de leads qualificados, aumentar as oportunidades de negócios e alcançar o crescimento desejado. Você estará construindo uma sólida base para o sucesso na prospecção. Lembre-se de que a prospecção de clientes é um processo contínuo e requer adaptação e ajustes ao longo do tempo. Esteja aberto a experimentar novas abordagens, aprender com os resultados e otimizar suas estratégias para alcançar melhores resultados”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Ao implementar essas estratégias e táticas, você estará fortalecendo sua capacidade de identificar e conquistar clientes potenciais, abrindo portas para novas oportunidades de negócios e construindo relacionamentos duradouros com seus clientes. 

“Esteja preparado, seja persistente e aproveite todas as vantagens que a prospecção de clientes oferece. Ao impulsionar suas vendas, você estará construindo uma base sólida para o crescimento e o sucesso contínuo de sua empresa”, acrescentou Marcus.

Já pensou em fazer um Diagnóstico Empresarial? Entenda passo a passo.

Convite para você!

Temos um convite final para você que chegou até aqui na leitura deste artigo: como intervir na área comercial de forma segura e estruturada, alavancando resultados financeiros da sua empresa?

Conheça o programa Gestão Comercial: Design de Estrutura e Prospecção, oferecido pela CMP Business Solutions, empresa associada a Fundação Dom Cabral. É a mudança que você precisa para impulsionar as vendas da sua empresa.

Aqui destacamos um depoimento de quem já participou do programa: “Gostei muito do programa, pois nos proporciona agregar outras ferramentas de gestão. O conteúdo é abrangente, a dinâmica e o material apresentados vêm ao encontro do que o gestor precisa. Os cases, o desafio de montar a estrutura de gestão em minutos e os comentários assertivos do Prof. Eduardo foram muito importantes. Parabéns a todos“, elogiou José Carlos Piccin, Gerente Comercial da Pisani Soluções em Plástico.

Categorias
Informações

Criando longevidade na empresa: o papel do conselheiro em busca da excelência

A longevidade das organizações é um desafio constante e exige uma gestão eficiente e estratégica. Nesse sentido, o papel do conselheiro é fundamental na busca pela excelência e no fortalecimento da empresa no mercado. 

Antes de mais nada, precisamos lembrar que longevidade de empresas é a capacidade de uma organização se manter competitiva e relevante ao longo do tempo. Isso envolve não apenas a sobrevivência no mercado, mas também a capacidade de se adaptar às mudanças e inovações, manter a qualidade dos produtos e serviços, conquistar a fidelidade dos clientes, gerar valor para os acionistas e contribuir para o desenvolvimento econômico e social. 

Ou seja, a longevidade de uma empresa está diretamente relacionada à sua capacidade de inovar, investir em recursos humanos, adotar práticas de gestão eficientes e responsáveis, e construir uma reputação sólida e positiva no mercado.

Reflexões para criar a longevidade

Aqui abrimos um parêntesis para refletirmos sobre 5 pontos fundamentais para a criação dessa longevidade nas empresas.

1: Visão estratégica: Conselheiros devem ter uma visão ampla da empresa e do mercado em que ela atua. É importante que eles conheçam as tendências e as oportunidades do setor, bem como os desafios e as ameaças. A partir dessa visão estratégica, é possível definir a direção e as prioridades da empresa, visando a sua longevidade. 

2: Gestão de riscos: Conselheiros devem estar preparados para gerir os riscos que a empresa enfrenta, de forma a minimizar seus impactos negativos e maximizar seus benefícios. Isso envolve a identificação, a análise e a mitigação dos riscos, bem como a implementação de mecanismos de controle e monitoramento. 

3: Inovação: A inovação é fundamental para a longevidade da empresa, pois permite que ela se adapte às mudanças do mercado e se antecipe às necessidades dos clientes. Conselheiros devem estimular a cultura de inovação na empresa, promovendo a criatividade, a experimentação e a colaboração. 

4: Governança corporativa: A governança corporativa é um conjunto de práticas e mecanismos que visam a transparência, a ética e a responsabilidade na gestão da empresa. Conselheiros devem estar comprometidos com a implementação e aprimoramento das práticas de governança, garantindo a integridade e a sustentabilidade da empresa. 

5: Desenvolvimento humano: Conselheiros devem estar atentos ao desenvolvimento humano na empresa, valorizando e investindo nas pessoas. Isso envolve a promoção de um ambiente de trabalho saudável, a valorização da diversidade, o incentivo à formação e ao aprimoramento profissional, e a criação de oportunidades de crescimento para os colaboradores. 

“É importante ressaltar que a longevidade é um processo contínuo e que exige uma atuação ética, responsável e estratégica por parte de todos os envolvidos na gestão da empresa”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Empresas familiares em busca da longevidade

De acordo com o IBGE, as empresas familiares são responsáveis por 65% do PIB gerado no Brasil, além de responderem por 75% dos empregos. Aqui selecionamos alguns pontos como desafios para a longevidade das empresas. 

  • 71% das empresas médias brasileiras são de controle familiar, o que reforça sua essencialidade para nossa economia; dentre as empresas familiares de médio porte, 46,9% estão na 1ª geração, 43% na 2ª e 10,1% na 3ª geração do controle da sociedade, o que mostra o desafio da longevidade dos negócios.
  • A maioria das empresas familiares é o primeiro negócio de seu fundador e, somente para 39% delas, quem a criou já tinha tido uma experiência profissional em outra empresa; empresas familiares possuem em seu quadro societário menos sócios pessoas jurídicas.

Sobre a instituição de conselhos de administração, você sabia que somente 22,9% das empresas familiares brasileiras o possuem atualmente? 

A adoção de estruturas de governança, tanto no âmbito familiar quanto na empresa, vem se mostrando um caminho eficaz na busca pela longevidade dos negócios, na medida em que alinha e monitora a estratégia e estabelece critérios para a tomada de decisões.

O fracasso em busca da longevidade

Mas por que as empresas fracassam no percurso da longevidade? De acordo com reportagem da revista Exame, a ausência de um planejamento estratégico e de um processo de sucessão bem definido são alguns dos motivos para que muitas empresas familiares fracassem. 

A notícia destacou pesquisa da Strategos Consultoria, que diz que 80% das empresas familiares não investem em planejamento estratégico e processos de sucessão. 

“Estes são os fatores que justificam a taxa de mortalidade das empresas familiares. Cerca de 70% não sobrevivem à segunda geração. Apenas 10% passam para a terceira e 3% para a quarta”, declarou o sócio fundador da Strategos Consultoria Empresarial, Telmo Schoeler. 

“O problema da sucessão se manifesta pelo fato de que a maioria não suporta pensar na finitude da vida”, acrescentou. 

Solução para os conselheiros

Vamos buscar a longevidade? Nesse sentido, a CMP Business Solutions tem investido em soluções que visam capacitar e desenvolver os conselheiros, preparando-os para os desafios do mercado atual e futuro. 

O Programa de Desenvolvimento de Conselheiros (PDC) é um exemplo disso. O PDC é uma iniciativa que visa promover o aprimoramento das competências dos conselheiros, com foco na excelência da gestão e na criação de valor para a empresa. O programa conta com uma metodologia inovadora, que integra teoria e prática, e que é ministrada por profissionais experientes e renomados no mercado. 

O objetivo do PDC é oferecer aos conselheiros uma visão sistêmica e estratégica da empresa, além de estimular o desenvolvimento de habilidades como liderança, tomada de decisão, gestão de riscos, entre outras. Ao investir na capacitação de seus conselheiros, a empresa ganha em competitividade e em longevidade. 

O que nós ouvimos dos empreendedores durante o PDC?

  • “Criei um networking único”

  • “Os professores são diferenciados”

  • “As soluções são práticas. Consigo colocar em prática de imediato”

  • “Os resultados são imediatos. Já sentimos diferença”

  • “Era o desenvolvimento que precisávamos”

A atuação eficiente do conselho contribui para a construção de uma empresa sólida e bem-sucedida, que é capaz de enfrentar os desafios do mercado e de se adaptar às mudanças. Clique aqui para saber mais. 

Categorias
Informações

O que você precisa saber sobre gestão de conflitos em empresas familiares

A gestão de conflitos nas empresas familiares é um tema que requer atenção, uma vez que pode afetar negativamente o ambiente de trabalho, o desempenho dos colaboradores e até mesmo a imagem da empresa. 

Você sabe quais são os erros mais comuns das famílias empresárias? Quais os sinais que devemos sempre nos atentar em relação a gestão de conflitos em empresas familiares? 

 

SINAIS DE ALERTA

Empreendedores que não se preparam para lidar com esses conflitos podem cometer erros graves que comprometem o sucesso da organização.  Alguns erros mais comuns são: 

IGNORAR CONFLITOS: Muitos empreendedores ignoram os conflitos familiares, acreditando que eles se resolverão sozinhos. Em casa, em família. No entanto, essa postura pode levar ao agravamento do problema e, em última análise, à perda de produtividade e à saída de bons colaboradores. 

PRIORIZAR INTERESSES: Alguns empreendedores priorizam os interesses da família em detrimento dos interesses da empresa, o que pode gerar conflitos de interesse e prejudicar o desempenho dos colaboradores. 

TOMAR PARTIDO: Quando um conflito envolve membros da família, pode ser tentador para o empreendedor tomar partido e apoiar um dos lados. No entanto, essa postura pode ser vista como parcialidade e pode prejudicar a imagem da empresa. 

COMUNICAÇÃO: Muitas vezes, a falta de comunicação é a causa de conflitos familiares nas empresas. Empreendedores que não incentivam a comunicação aberta e honesta entre os membros da família podem criar um ambiente propício para conflitos. 

 

Mas como se ter uma gestão efetiva?

 

Analise antes se:

É pessoal? É importante que todos os membros da família que trabalham na empresa entendam que, dentro do ambiente de trabalho, devem agir profissionalmente e separar suas questões pessoais. Isso significa que os conflitos familiares devem ser resolvidos fora do ambiente de trabalho e não devem interferir no desempenho profissional. 

Tem regra? Empreendedores devem estabelecer regras claras para todos os membros da família que trabalham na empresa. Isso inclui a definição de responsabilidades e funções, horários de trabalho, políticas de promoção e outras questões relevantes. Estabelecer essas regras desde o início pode evitar conflitos futuros. Promova a comunicação aberta e honesta desde o início.

E o acordo societário? Um acordo societário é um documento que estabelece as regras e diretrizes para a gestão e operação da empresa. Ele pode incluir informações sobre a divisão de responsabilidades e poder entre os membros da família, a remuneração e distribuição de lucros, a sucessão da empresa e outras questões importantes. Ao estabelecer um acordo societário profissional, os membros da família podem definir as expectativas uns com os outros e evitar conflitos futuros. Um acordo societário também pode ajudar a garantir a estabilidade da empresa a longo prazo. Isso porque ele estabelece regras e procedimentos claros para lidar com mudanças na estrutura da empresa.

E a governança corporativa? A governança corporativa envolve a criação de um conselho de administração independente, que é responsável por tomar decisões importantes em nome da empresa. Isso significa que a empresa é gerenciada com base em objetivos estratégicos de longo prazo, em vez de interesses familiares imediatos. Além disso, a governança corporativa ajuda a garantir que as melhores práticas sejam seguidas na gestão da empresa. Ela envolve a criação de políticas e procedimentos claros para a gestão financeira, a transparência nas operações e a responsabilidade por decisões tomadas. Isso pode ajudar a melhorar a eficiência e a competitividade da empresa, além de garantir que ela esteja em conformidade com as leis e regulamentos. Ela dá solidez para a empresa, independentemente das mudanças na dinâmica familiar.

Prontos para sucessão? A sucessão em empresas familiares requer planejamento cuidadoso, preparação adequada do sucessor e comunicação clara sobre a transição. Ao seguir essas dicas, as empresas familiares podem garantir uma transição suave e bem-sucedida, permitindo que continue a crescer e prosperar a longo prazo.

 

Reflexão aprofundada na sucessão

A sucessão em empresas familiares é uma questão crítica que pode ter um impacto significativo no futuro da empresa. É importante que os líderes de uma empresa familiar abordem a sucessão de maneira cuidadosa e planejada. Sempre com antecedência e profissionalismo. Aqui temos alguns pontos para reflexão:

Antecedência: A sucessão deve ser planejada com antecedência e deve ser um processo gradual, não uma mudança repentina. Comece a discutir a sucessão com os possíveis sucessores com anos de antecedência para dar tempo suficiente para eles aprenderem sobre a empresa e suas operações. 

Sucessores: Identifique potenciais sucessores dentro da família ou na equipe da empresa. Considere suas habilidades e experiência, bem como sua vontade e capacidade de assumir o papel de liderança. 

Preparação: Garanta que o sucessor esteja adequadamente preparado para assumir a posição de liderança. Isso pode envolver treinamento e desenvolvimento, bem como a exposição a diferentes aspectos da empresa. 

Objetividade: É importante que todos os envolvidos entendam as implicações da transição, incluindo as mudanças nas responsabilidades, na tomada de decisão e no controle. Isso pode ajudar a evitar conflitos e incertezas durante o processo de transição. 

 

Sucesso com a gestão de conflitos

Mas o que as empresas que alcançam o sucesso na gestão de conflitos têm em comum? A longevidade das empresas familiares muitas vezes está atrelada à prosperidade, com a presença de membros da família no contrato social.

Veja 5 pontos em comum a seguir, de acordo com estudo da FDC:

1: As empresas têm uma visão de futuro compartilhada;

2: Elas têm regras estabelecidas harmonicamente em relação ao patrimônio e aos negócios;

3: As novas gerações estão preparadas e treinadas;

4: Novas gerações com alto grau de autoconhecimento;

5: Capacidade de separar as dinâmicas da família das dinâmicas dos negócios.

 

Gestão de conflitos na prática

Como garantir a harmonia familiar e a perenidade dos negócios? Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, explica como é a prática deste trabalho de gestão. “Nós, primeiramente, realizamos um diagnóstico gratuito empresarial para entendermos em qual momento está a empresa. Outro passo importante é a realização de um trabalho específico para o desenvolvimento dessa família empresária como um todo. Analisando os pequenos detalhes para alcançarmos uma perenidade robusta”, observou Marcus. 

 

Associada à Fundação Dom Cabral, a CMP oferece soluções personalizadas em governança corporativa para empresas familiares. Um dos objetivos é contribuir para o desenvolvimento e gestão de empresas familiares, auxiliando seus membros na criação de um ambiente favorável à discussão e à construção de um futuro maduro e profissionalizado, garantindo assim a perenidade do negócio, a preservação do patrimônio e a harmonia das relações familiares.


Fale conosco através do nosso WhatsApp aqui em contatos.

Categorias
Informações

Diagnóstico Empresarial funciona? Entenda passo a passo

A pergunta deste artigo é bem direta ao ponto: Diagnóstico Empresarial funciona? Vale a pena mesmo? Como é? Bom, vamos lá. Aqui neste artigo você vai entender o passo a passo deste diagnóstico. Vamos mostrar os benefícios, as vantagens e os principais pontos de atenção. 

Ao final do artigo, você também confere um link para entender como está a maturidade comercial da sua empresa hoje (com diagnóstico gratuito para saber mais). 

Importante reforçar: com o diagnóstico empresarial é possível ter uma visão completa da sua empresa, identificando falhas e oportunidades. A tomada de decisão para a liderança se torna mais segura e assertiva. O empreendedor passa a criar estratégias que vão alavancar os resultados do seu negócio.

Conceito de Diagnóstico Empresarial 

Um diagnóstico empresarial é um processo sistemático que visa avaliar a saúde geral de uma empresa e identificar áreas que precisam de melhorias para aumentar a sua eficiência, produtividade e rentabilidade. 

Esse trabalho envolve a análise de uma ampla gama de fatores, desde a gestão financeira até a satisfação do cliente e a cultura organizacional. 

“Um diagnóstico efetivo é aquele Raio-X que apresenta uma visão completa do atual cenário da empresa. Os números, a rentabilidade, os erros, as oportunidades de melhoria, enfim, o empresário tem em mãos todas as dicas e orientações para realizar os próximos passos e alcançar seus objetivos”, comentou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Benefícios do Diagnóstico Empresarial

  • Identificação do cenário

O diagnóstico vai identificar os pontos fortes e fracos da empresa em termos de sua estrutura organizacional, seus processos, suas finanças e suas políticas de RH (como cuida do seu time). Com essa identificação, é possível se concentrar em áreas onde é forte e  trabalhar em áreas onde precisa de ajuste. Estamos falando de uma melhoria imediata da imagem da empresa também. Com aumento de transparência e responsabilidade.

  • Eficiência e produtividade 

A empresa identifica áreas onde a eficiência e a produtividade podem ser melhoradas. Isso pode incluir a implementação de novas tecnologias, processos mais eficientes ou a reorganização de departamentos para aumentar a colaboração e a comunicação. 

  • Tomada de decisão

São levantadas informações valiosas para a tomada de decisões futuras. Isso pode incluir decisões estratégicas sobre expansão, diversificação de produtos ou serviços, ou mesmo decisões operacionais do dia a dia. 

  • Economia

É possível identificar áreas para corte de custos ou aumento de receita. Isso pode levar a um aumento direto na rentabilidade da empresa. Além de ajudar a se preparar para problemas futuros e evitar crises potenciais. 

Diagnóstico na prática

Agora destacamos as perspectivas do diagnóstico na prática. Aqui podemos citar: Desenvolvimento Sustentável (compromisso em responder pelo impacto de suas decisões); Governança (processos, costumes, políticas, leis, regulamentos e etc); Gestão e Adaptabilidade (compreensão e relações de interdependência); Geração de Valor (alcance de resultados econômicos e sociais); Tributário (gestão tributária da empresa); Marketing e Vendas (posicionamento no mercado); Orientação por Processos (suportam a estratégia); Tecnologia e Projetos (ferramentas que suportam a operação); Gestão de Pessoas (patrimônio humano e talentos); e Gestão Trabalhista (riscos e regimes de trabalho). 

Quero realizar o diagnóstico 

Periodicidade é fundamental para a realização de um diagnóstico efetivo na sua empresa. Um ponto de partida para colocar em prática está aqui – o Diagnóstico Gratuito para entender a maturidade comercial da sua empresa

A CMP Business Solutions é referência nacional nas áreas de Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Empresa associada à Fundação Dom Cabral, eleita a 9ª melhor escola de negócios do mundo pelo ranking do Financial Times. 

“O diagnóstico é uma ferramenta valiosa para as empresas que desejam melhorar sua eficiência, produtividade e rentabilidade, bem como para se preparar para desafios futuros. Em tempos de tantas mudanças e transformações, você fica preparado para todos os cenários, identifica as áreas que precisam de atenção e toma decisões estratégicas”, concluiu Marcus Campos. 

Fale com a equipe de atendimento da CMP para saber mais! 

Categorias
Informações

Inteligência interpessoal: Como colocar em prática para liderar?

A inteligência interpessoal é a capacidade de relação / relacionamento entre as pessoas. Um tema cada vez mais em alta no atual mercado de trabalho. O sucesso neste cenário é você alcançar a habilidade de analisar, entender e interpretar os gostos, desejos, motivações e intenções de outras pessoas – relacionando-se de forma positiva.

Mas como colocar em prática a inteligência interpessoal para fazer a diferença na forma como eu lidero? A ideia aqui é maximizar o potencial do seu time para gerar resultados exponenciais. Com a seguinte lembrança: o líder de alta performance precisa dominar este tema o quanto antes!

Inteligência interpessoal: empatia e sociabilidade

A parte interpessoal da nossa inteligência emocional pode ser dividida da seguinte forma:

  • Empatia: aqui é a capacidade de compreender as emoções das outras pessoas. Você percebe a composição emocional dos outros e como são afetados por suas palavras e ações. Aquele líder que compreende como o outro se sente. Se tomar determinada decisão, aquela pessoa do meu time vai sentir da seguinte forma. Você aprende a ouvir atentamente e a enxergar também todas as reações físicas que a pessoa terá. Lembrando sempre que empatia é ouvir sem defesas. Ou seja, você vai se despir do que pensa para ouvir qual é a visão daquela pessoa.

  • Sociabilidade: já aqui estamos falando da capacidade de administrar relacionamentos e construir laços fortes. Um ponto que está sempre ligado ao networking. Você desenvolve uma habilidade de influenciar o estado emocional das pessoas. Um exemplo: elas estão tranquilas quando conversam com você, pois se sentem confortáveis emocionalmente. 

“O líder ideal da atualidade é aquele que tem uma inteligência emocional bem trabalhada. Aqui podemos falar também de inteligência intrapessoal, liderar com consciência, ter autoconhecimento e autocontrole, ter uma postura assertiva, além da inteligência interpessoal que estamos abordando aqui. É um pacote completo que vai motivar sua equipe e criar um ambiente de trabalho produtivo para alcançar seus objetivos”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Importância para o desenvolvimento da carreira

Mas quais são os benefícios da inteligência interpessoal para o desenvolvimento da minha carreira? Na lista de benefícios, podemos destacar pontos como pensamento crítico, networking, relações duradouras, flexibilidade profissional, entre outros. 

Um artigo que se conecta com esse raciocínio é este aqui, sobre o desenvolvimento de Soft Skills

Para treinar esse desenvolvimento, há algumas dicas importantes. Como fazer um esforço maior para interagir com outras pessoas no seu dia a dia (deixando de lado aquela solidão intelectual no trabalho); participar de trabalhos em grupo e buscar mais tarefas em conjunto; ensinar algo para outra pessoa, compartilhando o seu conhecimento; levar a vida com bom humor e flexibilidade; além de alimentar relações com pessoas que são completamente diferentes de você (na linha de se colocar no lugar do outro com empatia). 

Inter ou intra?

Aqui há um parêntesis necessário: a inteligência interpessoal é o tema deste artigo, a capacidade de relação entre as pessoas. Já a inteligência intrapessoal é diferente. Seria o conhecimento de si mesmo, a capacidade que o indivíduo tem de se conhecer num grau mais profundo (ele sabe o que deseja, o porquê de seus gostos e motivações, seu propósito). O indivíduo adquire consciência de suas emoções e sentimentos. Fecha parêntesis. 

Quero chegar lá!

Vamos mergulhar no desenvolvimento de carreira? Para dominar todas as técnicas da Liderança de Impacto e alcançar a transformação completa, você pode se inscrever para o LDI 2023 (de 03 a 05 de maio, em São José dos Campos – SP). 

O Programa Liderança de Impacto (LDI) já preparou mais de 300 executivos. “O curso superou todas as expectativas e foi excelente do início ao fim”, contou uma das alunas em entrevista. 

Com o LDI, você parte para uma transformação de carreira e se torna capaz de compreender as habilidades essenciais de liderança; comunicar de forma clara e eficaz com a sua equipe; gerenciar conflitos e resolver problemas; identificar e desenvolver habilidades dos membros da equipe; além de alcançar os melhores resultados para a sua empresa. 

Categorias
Informações

Data Driven nas empresas: Descubra vantagens que os dados trazem

Já ouviu falar em Data Driven? É a chamada “cultura orientada a dados” dentro das empresas. A seguir você vai descobrir as vantagens do Data Driven. E também conhecer outras curiosidades sobre esta cultura. 

Data Driven?

Começamos explicando o conceito de Data Driven. Vamos com exemplos práticos e simples. Imagine que você tem uma sorveteria self-service. Após um dia de muito calor e vendas, a situação do seu balcão ficou assim:

  • Nenhum cliente experimentou o pote de sorvete de morango. Está intacto. 
  • Em compensação, o pote de chocolate se esgotou rapidamente.

Trabalhando com dados, o empreendedor pode tirar diversas conclusões após analisar os números daquele dia de vendas. E se eu trocar o pote de morango de lugar? Se ninguém está pegando, vale a pena seguir com este sabor? O sabor que saiu muito rápido, eu tenho estoque para repor? Como posso fazer o lançamento de um novo sabor e medir rapidamente os resultados? 

E dados mais aprofundados ainda: as crianças estão experimentando mais o sabor Chiclete. Adultos ficam somente com chocolate e creme. Uma porcentagem X do público feminino pede uma água sem gás para acompanhar o sorvete. E mais dados, dados e dados! 

Percebe que conseguimos criar um mapa completo para aprimorarmos as nossas estratégias? Percebe que sem esses dados em mãos nós teríamos apenas “achismos”? Exemplo: eu “acho” que os clientes não gostam desse sabor por causa disso; eu “acho” aquilo. 

Sem dados, ficamos nos “achismos”. Com dados, encontramos respostas e buscamos as melhores soluções. 

“As empresas precisam aproveitar os dados para obter insights e tomar decisões com base neles. Elas precisam construir essa cultura de forma aprofundada. O dado por si só é muito vago. Ele precisa ser bem trabalhado e fazer parte da cultura da empresa. Dessa forma você alcançará os melhores resultados”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions. 

A CMP é uma empresa associada à Fundação Dom Cabral (FDC), considerada uma das melhores escolas de negócios do mundo. A FDC tem participado da jornada de entendimento do Data Driven Culture, em parceria com a A3Data. 

Dado é Petróleo?

O dado sozinho não é capaz de resolver problemas. É preciso transformá-lo em informação e criar interfaces consumíveis, gerar insights sobre cenários passados e entregar conhecimento que oriente o futuro. Isso é cultura Data Driven. 

Comparativo com o petróleo? Assim como os dados, o petróleo no estado bruto não tem valor. Ele precisa ser extraído, refinado e tratado para suas diferentes funções e aplicações. Por isso existe essa comparação. 

Benefícios Data Driven

Mas quais são as principais vantagens da cultura orientada a dados? Mostramos uma lista a seguir. Lembrando que os dados deixaram de ser subprodutos secundários dos sistemas de informação. Eles têm se tornado o centro das organizações, sustentando o entendimento e o desenho de estratégias sobre pessoas, processos e tecnologias. 

  • Otimização de processos
  • Alcançar a sua diferenciação da concorrência
  • Agilidade no entendimento de demandas dos clientes
  • Redução de custos
  • Facilidade para elaboração de planejamento completo
  • Incentivo para a inovação da empresa
  • Alcançar uma melhor experiência do consumidor (mais satisfeito)
  • Fugir dos “achismos” e alcançar as melhores soluções

Como implementar na minha empresa?

Para saber mais sobre Data Driven, procure a equipe de atendimento online da CMP Business Solutions. Também te convido a ler o nosso post que aponta quais são as tendências para a liderança ficar de olho em 2023

Categorias
Informações

Quais são as tendências da Educação em 2023? Confira a lista!

Ficar de olho nas tendências é uma tarefa importante para a nossa constante atualização de cenário. Na área da Educação Executiva, você sabe quais são as novidades que estão por vir em 2023 e nos próximos anos?

Aqui neste artigo reunimos uma lista com as tendências apontadas na área da Educação para a próxima década. As informações são baseadas em estudo publicado no MIT Sloan Management Review Brasil.

Neste estudo, Luís Rasquilha, CEO da Inova TrendsInnovation Ecosystem e professor da Fundação Dom Cabral (FDC), fala sobre a educação Conduzir e Guiar as pessoas para os seus próximos passos. Ele faz uma crítica ao método escolar de decorar muitas informações, mas sem a proximidade com a realidade que está no mercado de trabalho:

“Currículos pautados no desenvolvimento de competências técnicas, excesso de conteúdos, aulas meramente expositivas, métodos de avaliação e processos seletivos de entrada nas universidades pautados pela capacidade de memorizar grandes quantidades de informação. Tudo isso produziu uma educação conteudista e que foi, aos poucos, se distanciando das necessidades reais da humanidade e do mundo do trabalho. O abismo entre a escola e o mercado cresceu tanto que as empresas começaram a criar, no início deste século, as próprias universidades corporativas”, analisou o professor.

Mas quais são as tendências que precisamos ficar de olho, afinal? A escola conversando diretamente com o mercado de trabalho? Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, fala sobre os cenários que estão por vir.

“A pesquisa acadêmica se concentrará cada vez mais na solução de problemas atuais e reais. E isso é muito importante para a área empresarial. A sua equipe estará um passo à frente para as dores do mercado de trabalho real”, analisou.

Lista com as Tendências da Educação

  • A contratação por competências será cada vez mais comum e relevante. Não somente formação escolar, experiência profissional. Mas competências como soft skills, por exemplo (soft e hard – saiba mais)
  • Processos avaliativos que tenham como objetivo medir capacidade de memorização deixarão de existir.
  • Vestibulares com os dias contados?
  • Universidades corporativas terão maior relevância.
  • Educação híbrida. Experiência de aprendizado não se resume ao que acontece dentro da sala de aula.
  • Inteligência artificial (IA) vai ampliar atuação nas salas
  • Pesquisa acadêmica com concentração na solução de problemas reais.
  • Avaliações em equipe.
  • Competências socioemocionais como prioridade
  • Novas disciplinas incorporadas aos currículos, como futuro e tendências, criatividade, empatia e cooperação, entre outras.
  • Grades e conteúdos co-criados com a participação de alunos, professores, escola e família.
  • Conceito “lifelong learning” (aprendizado ao longo da vida)
  • Jornadas educacionais personalizadas e direcionadas ao perfil e momento de vida de cada aluno.
  • Trilhas de formação e desenvolvimento

Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva


Escolhida por mais de 300 empresas e 1.200 executivos, a CMP Business Solutions acompanha as tendências da área da Educação Executiva. A empresa é associada à Fundação Dom Cabral, a FDC, considerada uma das melhores escolas de negócios do mundo. Convido você a clicar neste link e entrar em contato com o nosso time para saber mais.

Categorias
Informações

Como sair na frente com o Employee Experience

O termo Employee Experience vem ganhando cada vez mais destaque no cenário empresarial. A tradução é Experiência do Funcionário. É definida como um conjunto de sentimentos psicocognitivos sobre os benefícios experienciais do emprego. Ou seja, o funcionário avalia qual é a experiência de trabalhar para determinada empresa.

Mas como as empresas podem sair na frente nessa avaliação? Como conquistar uma nota positiva dos funcionários na avaliação do emprego? Falamos sobre essas e outras curiosidades do Employee Experience aqui neste artigo a seguir.

EX chegou para ficar

A sigla UX é mais famosa em tempos de aplicativos na internet. User Experience é a experiência do usuário que baixa o aplicativo da sua empresa. A navegação é boa? Resolve meu problema? Há ferramentas importantes? Tenho uma boa experiência com esse app? Ok!

Já a EX – Employee Experience – chega para diferenciar as grandes empresas. Os melhores talentos e melhores funcionários vão procurar as empresas que apresentam as melhores notas de EX.

A minha empresa oferece benefícios diferenciados. Não temos alta rotatividade de pessoas. Os níveis insatisfatórios estão ajustados. O propósito é bem claro. Portanto, meu EX estará elevado.

“O Employee Experience é um diferencial também para as pequenas e médias empresas. Com esse conceito em mãos, você oferece os diferenciais necessários para conseguir reter os melhores talentos para o seu time. O líder e gestor precisa entender bem como vai avançar cada vez mais com o EX do seu time”, orientou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Pesquisa EX

De acordo com pesquisa da “Metallia”, empresa de gestão de experiência, 50% dos funcionários que deixaram o seu emprego em 2022 tomaram essa decisão mesmo sem terem um novo trabalho em mente. Ou seja, 60% disseram que se sentiam esgotados (síndrome de burnout) e emocionalmente exaustos em seus últimos empregos.

“Precisamos mensurar a experiência do funcionário para mudar esse paradigma de que a decisão do líder não influencia no funcionário diretamente. O estudo possibilita a tomada de decisões orientada por dados e pela voz do colaborador”, explicou Melissa Arronte, líder de Prática Global de Experiência do Funcionário da Medallia.

EX na prática

O Employee Experience começa logo na entrevista de emprego. E só se encerra no desligamento do funcionário daquela empresa. Mas quais são os resultados alcançados na prática? Especialistas em EX explicam que a experiência do colaborador está diretamente ligada aos níveis de produtividade na empresa.

Segundo relatório do “The Financial Impact of a Positive Employee Experience”, publicado em 2018 pela IBM, as empresas com EX superior possuem o triplo de retorno sobre ativos (ROA) e o dobro de retorno sobre as vendas (RSV ou margem líquida). Esses dados corroboram que uma boa experiência é capaz de impactar os resultados da empresa na prática.

Aprimorando o EX na minha empresa

Está na hora de mergulhar neste assunto e entender como uma boa gestão e uma boa liderança podem fazer a diferença na Experiência do Funcionário da sua empresa.

O nosso convite é para que você acesse os programas disponíveis pela CMP Business Solutions na área empresarial. Como o Programa Liderança de Impacto, por exemplo, que promove o desenvolvimento de líderes de vanguarda, que conseguem alinhar propósitos pessoais com propósitos organizacionais, capazes de explorar o potencial de suas equipes e sustentar resultados de excelência.

Acesse as páginas específicas da CMP para o seu desenvolvimento, para o desenvolvimento da sua empresa e também para o desenvolvimento da sua família empresária.

Categorias
Informações

Ser um Gestor de Mudanças vale a pena? Conheça diferenciais

O conceito “Gestor de Mudanças” entrou para a primeira prateleira da grade curricular dos principais cursos da área de liderança. Mas por que vale a pena entender esse conceito? Quais são os seus diferenciais práticos? É sobre isso que falamos aqui neste artigo. Levantando dicas, experiências reais e muitas reflexões. Acompanhe!

O que é ser Gestor de Mudança

Gestão da Mudança é uma área de estudo que possui o enfoque na necessidade de constante adaptação das organizações contemporâneas. A necessidade de reinventar-se sempre.

Em entrevista de 2018, a jornalista Glória Maria destacou uma definição precisa da palavra reinvenção. “A gente nasce com o objetivo de se reinventar a cada dia. Nosso exercício diário é a de ser sempre uma pessoa diferente e melhor. Com sabedoria, raízes, estrutura, experiência, sensibilidade, humildade e conhecimento (…) a essência da vida é a reinvenção (…) e isso vale muito para as nossas carreiras”, declarou à época.

O Gestor de Mudanças precisa entender que a transformação significa evoluir, melhorar e se adaptar. Sempre preparado para as constantes mudanças ao seu redor. Aqui vale relembrarmos dois artigos importantes do nosso Blog: sobre Líderes do Futuro e sobre o líder de si mesmo.

“O Gestor de Mudanças está atento aos mínimos detalhes ao seu redor. Hoje ele sabe tudo sobre 5G, sobre ChatGPT, inteligência artificial, enfim, são exemplos de transformações que estão no nosso cotidiano e que precisamos absorver. Em tempos de pandemia, ele já tinha o delivery. Em tempos de trabalho híbrido, ele tinha o controle dessa tecnologia. É o constante aprendizado”, orientou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions.

Mudança Humanizada

No caminho das mudanças e transformações, podemos destacar a Liderança Humanizada. Ela carrega empatia como seu principal diferencial. E ainda possui as seguintes características: horizontalidade crescente; protagonismo é de todos; resultados sustentáveis para a empresa; saúde mental é também construída no trabalho (empatia).

Otto Scharmer, Doutor em Economia e Negócios pela Universidade de Witten, na Alemanha, deu um depoimento importante sobre ser Gestor de Mudanças nos dias de hoje:

“Aprender com o futuro à medida que ele emerge. Essencial para a inovação. Envolve intuição. Envolve abraçar altos níveis de ambiguidade, incerteza e aceitação de falhas. Envolve se abrir ao inimaginável e às vezes tentar fazer o impossível. Mas os medos e os riscos são equilibrados pelo sentimento de que somos parte de algo importante que está emergindo e de que isso realmente fará a diferença”.

O novo líder precisa ter a capacidade de, ao tomar decisões, encontrar o máximo de equilíbrio possível entre o que é bom para si, para os outros e para o contexto. Evoca o empoderamento da ação e responsabilidade frente aos fatos e frente às escolhas.

Você está pronto?

Para se tornar o Gestor de Mudanças, convido você a participar do Programa Liderança de Impacto da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral. Este programa promove o desenvolvimento de líderes de vanguarda, que conseguem alinhar propósitos pessoais com propósitos organizacionais, capazes de explorar o potencial de suas equipes e sustentar resultados de excelência.

São referências de vanguarda com embasamento da neurociência, da psicologia positiva, teoria U, motivação 3.0, mindset fixo e mindset de crescimento, bem como a busca da segunda simplicidade. Você será convidado a explorar novos caminhos para a geração de impacto a partir do exercício da liderança. Clique aqui para saber mais.

Categorias
Informações

Quais são as tendências de 2023 para a liderança ficar de olho?

Foi dado o pontapé inicial para 2023, mas nós queremos saber: você, líder, já sabe quais são as tendências deste ano para ficarmos de olho na área empresarial? Neste artigo destacamos as principais tendências. E também relembramos quais são as habilidades que estão em alta no mercado de trabalho. Acompanhe a seguir!

Lembrando sempre que as tendências podem influenciar a forma como os líderes tomam suas decisões. Será que as reuniões online vão continuar? Formatos híbridos de trabalho? Venha descobrir quem é o Líder de 2023.

Líder com Tempo

Desculpe, essa semana não consigo. Estou saindo tarde do trabalho e não tenho tempo para nada. “Está uma correria”.

Nunca ter tempo para nada é um erro comum de líderes sobrecarregados e que, muitas vezes, acabam não delegando o que é necessário delegar. Eles “abraçam o mundo” e não dão conta do recado, afinal o nosso dia tem apenas 24 horas 😉

A tendência da liderança para 2023 é o gestor que sabe administrar bem o seu tempo. O rendimento aumenta ao ter tempo para o que é importante. E, consequentemente, podemos ter um equilíbrio maior entre a vida pessoal e profissional, contribuindo para um clima organizacional mais leve.

Vale a pena também conferir nosso post sobre habilidades que estão em alta no mercado de trabalho, como a inteligência emocional.

Líder com Empatia

O líder empático é aquele que calça os sapatos do seu time e sabe como é o caminhar da empresa. Ele mostra interesse genuíno, cuidado, respeito e preocupação com o bem-estar das pessoas ao seu redor.

A palavra empatia precisa ser colocada em prática e não ficar apenas no campo teórico. Não! Ser empático é saber ouvir e entender a situação para tomar as melhores decisões.

Líder Flexível

Flexibilidade e adaptabilidade são tendências que vieram para ficar. Os líderes precisam aceitar os novos modelos de trabalho. Gerenciando fluxos de trabalho personalizados, onde as circunstâncias e as necessidades de cada pessoa são únicas.

Essa flexibilidade gera uma agilidade instantânea para o dia a dia do seu time. Você passa a resolver problemas de forma mais assertiva e direta.

Líder que Comunica

Por fim, precisamos lembrar que a Comunicação Assertiva é fundamental. O líder precisa comunicar. E o seu time precisa entender qual é o recado.

O líder que não se comunica passa a deixar arestas abertas para possíveis ruídos. “Isso mudou? Ah, mas o gestor nem comunicou nada. Não estou sabendo”.

“O diálogo correto é um motivador de pessoas. Sem ele, você aumenta o isolamento entre a equipe, além de contribuir para frustrações e climas tóxicos. A Comunicação Assertiva proporciona engajamento. Além de agilidade em processos e sentimento de pertencimento à empresa”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

Mais dicas para gestores e líderes?

Para não perder nenhum detalhe, convidamos você a se inscrever na nossa newsletter. Os conteúdos exclusivos da CMP Business Solutions diretamente no seu e-mail. Clique aqui e inscreva-se!

Categorias
Informações

Estratégia na prática neste início de ano! Conheça 3 passos fundamentais

Qual estratégia você vai colocar em prática neste ano? – seja na sua empresa ou na sua carreira profissional. A seguir vamos nos aprofundar no tema Estratégia, um dos módulos fundamentais do Programa de Desenvolvimento de Dirigentes (o PDD) da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral. Ao final do artigo você confere mais detalhes sobre o PDD de 2023.

Lembrando que ao falarmos de estratégia, estamos reforçando uma visão de plano, método e técnicas utilizadas para alcançar um objetivo ou resultado específico. Um exemplo famoso é o craque do xadrez, aquele que analisa todos os possíveis movimentos do jogo para se antecipar a todos eles.

Introdução ao cenário da Estratégia

A estratégia empresarial reúne propósitos, objetivos, metas, políticas e planos para concretizar uma situação futura desejada, considerando as oportunidades do ambiente e os recursos da organização.

Buscar a melhor estratégia é mobilizar a empresa como um todo; tendo o foco no médio e no longo prazo. Como a empresa pretende alcançar os objetivos almejados? A Administração Estratégica é o processo de planejar, executar e controlar – reunindo áreas específicas da empresa, como marketing, operações, pessoas e finanças.

Se você começou o ano com uma estratégia bem definida, então saiba que você largou na frente. Você passa a conhecer as potencialidades e limitações da empresa, a sua razão de existir, as falhas que podem ser evitadas, além de conhecer os melhores caminhos a serem percorridos em busca dos objetivos.

Planejou? Coloque em prática!

“Pensar sempre de forma estratégica é fundamental para quem quer alcançar o sucesso empresarial. Você estará preparado para sobreviver às mudanças constantes do mercado e todas as suas particularidades – sejam mudanças políticas, mudanças econômicas, crises, entre outras questões”, orientou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions.

1: Saiba quais são as suas prioridades. O objetivo da empresa precisa ser claro e simples.

2: Analise os dados. É fundamental rever seus processos, fluxos e desempenhos. Mantenha uma rotina de alinhamento geral com a equipe para o amplo conhecimento do atual momento da empresa.

3: Avaliação da estratégia. Analisando pontos fortes e fracos, quais são as oportunidades e ameaças e como a estratégia será colocada em prática.

Modelos de Estratégia

Aqui podemos destacar diferentes modelos de Estratégia que podem ser implementados durante o ano. Começamos com a Estratégia de Crescimento (aumentar lucros, vendas e participação do mercado). E seguimos destacando Estratégia de Estabilidade (concentrando operações e esforços na realidade atual da empresa); Estratégia de Redução (a sobrevivência está desafiadora); Estratégia de Crise (sobrevivendo à instabilidade); entre outras.

Desenvolvimento agora!

O PDD, da CMP Business Solutions, apoia gestores e empresas no desenvolvimento do pensamento estratégico, na formulação, execução e gestão de estratégias e no desenho de modelos de negócios e estruturas organizacionais que sustentam e potencializam as estratégias definidas.

Com o Programa de Desenvolvimento de Dirigentes você se torna um profissional visionário, com habilidades estratégicas para aplicar conceitos e metodologias que, juntas, potencializam o alcance de resultados.

Saiba mais aqui em Soluções para o seu Desenvolvimento.

Categorias
Informações

Saiu a programação de cursos 2023: para você e sua empresa!

2023 vem aí! E está na hora de se programar com a qualificação profissional necessária para este novo ano. Que tal? Apresentamos neste artigo um guia completo com os principais cursos abertos em 2023. Há cursos e programas presenciais para determinadas regiões. E também projetos oferecidos de forma online. Já vale salvar na agenda para se programar com as oportunidades!

A CMP Business Solutions, em parceria com a Fundação Dom Cabral, oferece soluções de governança, gestão empresarial e educação executiva. Você sabia que a FDC está presente no Top 10 do ranking das melhores escolas de negócios do mundo? O estudo foi divulgado pelo Financial Times. Agora sem mais introduções, vamos com o cronograma! 

Veja os nossos programas abertos em 2023

  1. Maio 2023: LDI Liderança de Impacto. (Conexão e Ação Para Resultados). Será em Guararema. O programa é pautado na inteligência emocional, com ênfase em autoconhecimento e na capacidade empática dos líderes. Ele nos convida a liderarmos a partir do futuro que emerge mesmo nessa complexidade e incerteza que fica cada vez mais visível para todos nós. 
  2. Agosto 2023: GECOM. Será em Guarulhos. Gestão Comercial, Design de Estrutura e Prospecção. Conteúdo pensado para você que está em busca de alternativas na área de gestão ou que quer ampliar o alcance técnico para suportar os desafios do gerenciamento de vendas. O programa pretende solucionar problemas críticos da área com soluções práticas. 
  3. Setembro 2023: Governança em Empresas Familiares. Será em São José dos Campos. O objetivo é desenvolver a gestão de empresas familiares, auxiliando seus membros na criação de um ambiente favorável à discussão e à construção de um futuro maduro e profissionalizado. 
  4. Novembro 2023: Pós-Graduação em Gestão de Negócios. Será em São José dos Campos. O conhecimento sólido dos negócios e do mercado forma líderes transformadores, desenvolve estratégias baseadas nos desafios e incertezas atuais e prepara o participante para atuar de forma antecipada no novo contexto mundial. 

“O nosso cronograma 2023 foi pensado nas transformações pelas quais as empresas estão passando. Vivemos um momento de pós-pandemia. Um momento no Brasil com transição política. Ainda podemos citar crise, guerra, pós Copa do Mundo, enfim, temos um cenário em constante transformação. Então vale lembrar que são programas atualizados e personalizados para a nossa realidade de hoje com o que há de mais moderno e efetivo na área empresarial”, contou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions. 

Quero ficar por dentro de mais novidades em 2023

Para não perder nenhum detalhe, convidamos você a se inscrever na nossa newsletter. Os conteúdos exclusivos da CMP Business Solutions diretamente no seu e-mail.

Além do cronograma destacado acima, há oportunidades que surgirão ao longo do ano e oportunidades que surgem de acordo com a necessidade de cada empresa ou cliente. Para empresas, para famílias empresárias e também para o seu desenvolvimento pessoal. 

  • PAEX (Parceiros Para Excelência): solução educacional com foco no aumento da competitividade e elevação dos resultados para empresas que querem crescer por meio de transferência de conhecimento. 
  • PDD (Programa de Desenvolvimento de Dirigentes): com ênfase em Estratégia, Marketing e Vendas, Finanças, Pessoas, Processos e Projetos; o programa proporciona troca de experiências por meio de workshops presenciais (com vagas avulsas durante o ano). 

Para saber mais, você também pode falar conosco via WhatsApp: 12 99200-4654

Categorias
Informações

3 reflexões importantes antes de fechar o Planejamento 2023 da sua empresa

Já está com o planejamento estratégico de 2023 em mãos? Tudo pronto? Antes do seu OK final como gestor, selecionamos aqui 3 reflexões importantes para a melhor execução desse planejamento na sua empresa. Acompanhe a seguir!

São reflexões para revisitarmos detalhes minuciosos sobre o que vem por aí em 2023. E se você ainda não se planejou, temos uma dica ainda mais urgente ao final deste artigo. Vamos lá!

Reflexões antes do OK Final no Planejamento

1: Objetivos simples e claros?

Os objetivos não podem ser confusos ou complexos demais. O segredo está na divisão por objetivos a curto, médio e longo prazo. Todos factíveis e simples. Você pode ler os objetivos em voz alta com o seu time reunido. Se gerou alguma dúvida após a primeira leitura, então você tem um problema. Lembrando que sem objetivos e metas nós não temos um planejamento estruturado. 

2: Métricas analisadas?

Dados não são mais o futuro. Dados são o nosso presente! Sem medições é impossível saber se o plano está caminhando bem, se necessita de alterações pontuais ou de mudanças mais robustas. As métricas do ontem, do hoje e do amanhã precisam estar na ponta do lápis. Elas possibilitam feedbacks e ajustes. Você pode analisar números de lucratividade, rentabilidade, margem líquida, qualidade, produtividade, custo-benefício, volume, erros, custos, entre outros.

3: Aceita mudanças?

Aqui sugiro a vocês a leitura do nosso artigo sobre “planejar o imprevisível”. Ali citamos a VUCA (mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo). Ou seja, o planejamento de hoje pode estar transformado amanhã. É preciso ter em mente que os ajustes e as mudanças podem ocorrer ao longo do caminho. Sempre visando um crescimento sustentável da empresa como um todo.

“São reflexões importantes que precisamos rever antes de seguirmos com o planejamento estratégico. Reforço aqui palavras como aumentar, reduzir, manter, estruturar, investir e melhorar. Elas precisam estar conectadas a objetivos traçados durante esse estudo”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Está com dúvidas sobre 2023?

Se você precisa de ajuda para a construção/ finalização do planejamento estratégico da sua empresa para 2023, então conheça as soluções oferecidas pela CMP Business Solutions. Você pode clicar aqui e falar com a nossa equipe de atendimento online. Há planos para você e para a sua empresa com Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva.

Categorias
Informações

5 dicas para se tornar líder de si mesmo

Você é líder de si mesmo? O que pensa sobre auto liderança? Aqui neste artigo reunimos dicas e curiosidades para que você possa se tornar líder de si mesmo o quanto antes. Vamos colocar as estratégias em prática e virar essa página a partir de agora. Entenda tudo a seguir.

Como assim líder de si mesmo?

Antes das dicas, vamos reforçar o que é uma auto liderança. Trata-se da capacidade de liderar a si mesmo, um nível básico e essencial da liderança como um todo. Para que você possa ir mais longe, fazer algo novo, enfrentar um desafio, enxergar uma oportunidade e resolver problemas.

Lembre-se: só é possível saber como mobilizar, liderar e inspirar outras pessoas depois que você mobiliza a si mesmo.

Quando você é o seu líder, logo se torna protagonista da própria carreira e sabe onde quer chegar. A competitividade do mercado exige que o líder seja protagonista, capaz de gerenciar comportamentos, relacionamentos e estratégias para alcançar seus objetivos pessoais e profissionais.

5 dicas

1: Planejamento e prática. Não adianta planejar e não cumprir. É preciso cumprir à risca a estratégia. Se você sabe que precisa liderar uma empresa alemã no futuro, o curso de alemão precisa estar em algum momento desse planejamento.

2: Autoconhecimento. Você precisa se conhecer para saber quais são as suas limitações e os seus pontos fortes. Tenho dificuldade em falar em público? Vou potencializar um treinamento nesta área porque sei que é importante. Ao mesmo tempo, vou potencializar quais são os meus pontos fortes para tenham ainda mais destaque no meu dia a dia.

3: Missão, Valores e Objetivos. Você não tem nenhuma afinidade ou gosto por telemarketing. Não concorda com este formato de abordagem. Não batem com os seus valores. Mas você está liderando uma empresa de soluções por telemarketing. Como será possível seguir? Não será. É preciso haver essa coerência bem clara.

4: Paixão. É um clichê, mas vale a pena explicar: “Trabalhe com o que você gosta. E você nunca vai precisar trabalhar”. Não precisa exagerar e achar que vamos encontrar somente questões apaixonantes pela frente. Não. A realidade do empresário apaixonado por carros não é só a de acelerar os carrões. Ele precisa se envolver com números, metas, burocracias, performances, vendas, entre tantas outras áreas. Mas a afinidade com carros – ou o valor muito bem definido sobre o que ele faz – isso fará toda a diferença quando ele precisar olhar para trás ou para frente. Os olhos precisam brilhar para a construção da sua carreira.

5: Conhecimento. Você nunca saberá tudo. E o conhecimento sempre vai te colocar uma nova bagagem para colocar nas costas. Aquele investimento que é transformador e valioso para a sua construção.

“A auto liderança influencia diretamente na maturidade das equipes. Não cabe mais aquele funcionário, por exemplo, que só olha para si e para as suas tarefas listadas. Por que você não fez aquilo? Ah, porque o combinado era eu fazer somente isso. A empresa perde porque vai caminhando a passos mais lentos e mais burocráticos”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

“Liderar é um exercício que exige autoconhecimento e constante aprimoramento de habilidades e competências. Liderar a si mesmo é transformador. É ser o dono da própria história”, acrescentou Marcus.

Liderança de Impacto

É hora de começar a colocar em prática a transformação da sua carreira. Fale com a nossa equipe de atendimento online agora mesmo e saiba mais sobre o Programa Liderança de Impacto. A CMP Business Solutions é associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP. Oferecemos as melhores soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva.

Nosso WhatsApp: 12 99200-4654.

Categorias
Informações

Finanças corporativas: Entenda por que você pode ir além

Você é gestor de uma empresa ou almeja atuar na área de liderança. Mas aí surge a pergunta: como posso enxergar os números do meu negócio de uma forma completa e abrangente? Será um diferencial para mim?

Para se aprofundar sobre crescimento saudável, patrimônio empresarial, expansão, solidez e muito mais, é preciso se debruçar no tema “Finanças corporativas”. A seguir mostramos como você pode ir além nesta área. E fazer a diferença na realidade da sua empresa.

Finanças corporativas: introdução

Finanças corporativas são todas as atividades financeiras que envolvem a operação de um negócio. Estão diretamente ligadas a estudos e decisões estratégicas da empresa.

Aqui podemos falar sobre maximização do valor da empresa, ou seja, o crescimento do patrimônio empresarial, assim como a administração financeira de forma ampla.

Mas por que é importante? Quem consegue controlar, entender e administrar a situação financeira, logo está um passo à frente para expandir e alcançar um crescimento sustentável.

Finanças corporativas: conceitos

Podemos destacar conceitos básicos da área de finanças corporativas para que você tenha em seu radar. Destacamos 5 pontos principais:

  • Investimentos: Comprou uma máquina para a empresa? Contratou um curso para os funcionários? São investimentos comuns.
  • Faturamento e lucro: Volume de dinheiro que a empresa conseguiu faturar e também o que lucrou.
  • Recebimentos: Diferente de faturamento, porque as datas podem ser diferentes.
  • Dívidas e financiamentos: Caso seja necessário buscar esse tipo de recurso.
  • Custos fixos e variáveis: Finalizando com as despesas fixas e também as que podem sofrer variações ao longo do ano.

Finanças corporativas: oportunidade

Mas aí você pergunta: “qual seria a oportunidade de capacitação profissional para que eu possa me desenvolver na área de finanças corporativas?”.

Apresentamos a seguir os diferenciais das soluções oferecidas pela CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral, a FDC.

Na disciplina Finanças Corporativas, da Pós-Graduação, você conhece conceitos e ferramentas que apoiam a tomada de decisão, visando a geração de valor para a empresa, acionistas e sociedade, equilibrando o curto e o longo prazo.

Na lista de conteúdos oferecidos, podemos reforçar temas como: Políticas de Investimento e Financiamento; Gestão do curto prazo; Dinâmica dos Demonstrativos financeiros:; Entendimento dos demonstrativos contábeis; Análise de balanço; Modelo Dinâmico (Michel Fleuriet); Necessidade de Capital de Giro; Saldo de Tesouraria; Fluxo de Caixa; Taxas de desconto; custo médio ponderado de capital (WACC); CAPM; EVA; entre outros.

Finanças corporativas: quem já experimentou

A seguir você confere a visão de dois executivos que experimentaram o programa Finanças Corporativas da FDC. Eles explicam por que vale a pena:

“Consegui entender os termos que têm sido discutidos nas reuniões estratégicas da empresa, como o ciclo financeiro, a necessidade de capital de giro, modelos de fusões e aquisições. São conceitos e metodologias extremamente importantes para você participar e contribuir nas discussões estratégicas e pensar no futuro da empresa”, explicou Danielle Rainha, CPO SHV da Makro Group.

Julia Tinoco, Gerente de Contabilidade e Controladoria do Grupo Águas do Brasil, também deixou a sua opinião: “Você consegue unir teoria e prática em um aprendizado imenso, com muito dever de casa para levar para a empresa, além de várias ideias e aplicações”, observou.

Finanças corporativas: quer saber mais?

Clique aqui e fale com a nossa equipe de atendimento online. A sua oportunidade está na Pós Graduação oferecida pela CMP e que está com inscrições abertas. A CMP Business Solutions é associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP. WhatsApp: 12 99200-4654.

Categorias
Informações

Guia completo do ICME? Faça download do e-book gratuito

Neste artigo você vai conferir o Guia Completo do ICME (Índice de Confiança das Médias Empresas). Vai entender todas as suas vantagens e possibilidades. E, ao final do artigo, é possível fazer um cadastro simples para realizar o download gratuito de um e-book exclusivo sobre ICME. Acompanhe a seguir!

 

Tudo sobre ICME

Com o Índice de Confiança das Médias Empresas em mãos, é possível se aprofundar com os seus resultados. Eles revelam a confiança dos empresários para decisões futuras. Descobrimos qual é a percepção dos empreendedores sobre o ambiente político e econômico – uma das bases para as decisões de negócios.

O levantamento trimestral considera variáveis do contexto competitivo e produtivo para o futuro do segmento. Este material exclusivo é fruto de uma pesquisa inédita que foi lançada no 7º Fórum Anual de Governança da Fundação Dom Cabral, a FDC, em setembro de 2022, no Campus Belo Horizonte.

 

ICME, pelos empresários

Para entender o diferencial da FDC na vida dos empreendedores, nós destacamos a entrevista de Vanderlei Rigatieri, CEO da empresa WDC Networks. Ele ressalta os aprendizados e as melhorias nos resultados da organização após a parceria com a FDC, por meio do programa PAEX.

“A empresa conseguiu fazer com que todos os seus gestores olhassem não só para o seu mundinho, mas que fizessem uma abertura para olhar a empresa um pouco mais de cima (…) Quem não mede, não gerencia (…) a parte mais interessante foi a mudança radical que tivemos no nosso posicionamento estratégico. Depois de toda a construção do mapa de planejamento empresarial, envolvendo todos os executivos da empresa, nosso foco era na eficiência operacional. Foi uma mudança radical que conseguimos reduzir nosso estoque pela metade. Aumentamos nossas médias em 60%. O programa PAEX ensina a gente a entender melhor a nossa empresa e como tirar resultado melhor da nossa organização”, detalhou Rigatieri. 

Não é à toa que a FDC é considerada uma das melhores escolas de negócios do mundo. Quem tem a informação precisa, tem poder.

 

E-book ICME: faça o download de graça!

Agora chegou a hora de realizar um mergulho completo no Índice de Confiança das Médias Empresas. É só preencher o cadastro abaixo. E pronto! Você baixa gratuitamente o e-book completo sobre ICME. 

Categorias
Informações

Líderes do Futuro? Saiba como sair na frente

Virou tema comum nas conversas corporativas entre gestores. “Precisamos nos preparar para a Liderança do Futuro”. Mas como será essa liderança? Quais características você precisa aprimorar para se adequar à nova realidade? Venha refletir sobre os Líderes do Futuro no nosso artigo a seguir aqui no blog. É hora de sair na frente!

Como ponto de partida, te convido a conferir dois artigos anteriores que já destacamos aqui no blog. O primeiro fala sobre Soft Skills. E o segundo fala sobre as habilidades que estão em alta no mercado de trabalho. Os dois posts reúnem curiosidades importantes que estão presentes na pauta Liderança do Futuro.

Mas como é esse líder do amanhã?

Uma das principais características está no aprendizado constante. Quem para, fica para trás. É preciso se desenvolver e evoluir como profissional e como pessoa de forma constante. O objetivo é estar preparado para lidar com os desafios e as oportunidades que surgem em qualquer cenário.

Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, destaca outras características sobre Líderes do Futuro:

“Além do aprendizado contínuo, podemos citar gestão de talentos, relacionamento interpessoal, negociação e mediação de conflitos, inovação, estratégia de negócio, inteligência emocional e adaptabilidade. Não necessariamente nessa ordem. Mas são pontos a serem tratados com muita atenção por parte do líder”, observou o diretor da CMP, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP.

A seguir detalhamos 3 características para Líderes do Futuro:

1: Adaptabilidade: Você precisa estar preparado para mudanças. Elas estão cada vez mais aceleradas. Mudanças políticas, econômicas, sociais, enfim, estamos cercados por mudanças em todos os setores. O líder não pode, por exemplo, ver uma mudança como um obstáculo. Na linha do aprendizado contínuo, é preciso se adaptar às mudanças e reagir de forma ágil e efetiva.

2: Inteligência emocional: O líder precisa de empatia e inteligência emocional para saber administrar o seu time e todas as particularidades desse time. Capacidade de trabalhar em equipe, participação e alinhamento na cultura da empresa, comunicação interpessoal e pensamento estratégico. Tenha atenção com a saúde mental para liderar de forma eficaz.

3: Inovação: Não precisa ser a inovação tecnológica que vai mudar o mundo. Mas é preciso vivenciar a inovação no dia a dia. Estimular ideias inovadoras da equipe e acompanhar as transformações que estão acontecendo ao seu redor. Não preciso ser o expert do assunto. Mas preciso me interessar por inteligência artificial, programação, análise de dados, blockchain, entre outras novidades relacionadas ao meu setor.

Um termo muito utilizado atualmente é o “lifelong learning”, ou seja, uma educação continuada, uma formação contínua. Você busca atualização e conhecimento de forma constante.

Quero ser o líder do futuro!

Que tal sair na frente e se aprofundar no conhecimento exato para a Liderança do Futuro? Clique aqui e saiba mais sobre a Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Fundação Dom Cabral. O início das aulas da turma de São José dos Campos (SP) foi agendado para o dia 4 de novembro.

Você pode sonhar em ser um grande líder. Ou pode se preparar para isso.

Categorias
Informações

Como implantar o Design Organizacional na empresa? Descubra 3 benefícios

“Design Organizacional é (re)definir e (re)organizar as relações e as responsabilidades entre áreas”. O objetivo é alcançar maior celeridade na comunicação e na busca pelos objetivos da organização. Mas qual é o passo a passo para implantar o Design Organizacional aqui na realidade da minha empresa? A seguir mostramos as dicas para esta implantação. Além de 3 benefícios deste modelo de negócios. Acompanhe!

Lembrando que a Pós-Graduação em Gestão de Negócios, da CMP Business Solutions, se debruça no tema Design Organizacional logo no primeiro percurso. Saiba como se inscrever ao final deste artigo.

 

Entendendo o Design Organizacional

O principal ponto de partida do Design Organizacional é a inovação. É não parar no tempo e se mover para inovar. Você promove a otimização dos processos; agiliza a tomada de decisões; reestrutura equipes e lideranças; define a estratégia de gestão e engajamento das pessoas para absorção da nova cultura; além de monitorar e contabilizar os impactos das mudanças.

“Temos mais clareza na comunicação entre as equipes. Você estipula de forma clara quais são os papéis dos líderes e do time operacional. Quem é o responsável por esta atividade específica? Quem tem autoridade sobre este assunto? Quem tem controle sobre esses recursos? Como a informação flui dentro da empresa? Enfim, são perguntas pertinentes e que temos respostas objetivas e práticas dentro do Design Organizacional”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP.

Segundo Alexandra Hutner, professora associada da Fundação Dom Cabral, todos nós deveríamos ser mais “designers” das nossas empresas. Ou seja, essa mudança ajudaria a “analisar conceitos e gerar soluções criativas e adequadas a todo momento; um exercício diário entre as estratégias e as pessoas”, comentou Hutner.

 

Passo a Passo Design Organizacional

Mas, afinal de contas, qual é o passo a passo para implantar o Design Organizacional dentro da realidade da sua empresa? Vamos lá:

  • Quais são os pontos fortes e fracos da empresa hoje?
  • Vamos definir uma estratégia completa para uma nova estrutura organizacional (simplificando, reorganizando e aprimorando)
  • Vamos elaborar uma visão de futuro da sua empresa
  • Identificar cenários e padrões de trabalho
  • Vamos revisar o propósito da empresa com um novo posicionamento
  • Revisar também a estrutura organizacional (há entraves da operação que possam impedir a inovação?)
  • Vamos promover a criação de uma nova cultura organizacional da empresa
  • Vamos investir em pessoas com capacitação e reconhecimento
  • Vamos eliminar possíveis barreiras entre setores e equipes
  • Vamos preparar nossa liderança para um novo modelo de negócio
  • Gestores antes distantes precisam ir linha de frente (entendendo o propósito)
  • Check-list completo com o passo a passo? O Design Organizacional começa a ser colocado em prática

Ainda sobre o passo a passo, é importante lembrar: a colaboração/ participação de todos os níveis da estrutura da empresa, da gestão à operação, é essencial para que todas as opiniões sejam consideradas em busca de consenso, responsabilização e complementaridade quanto ao escopo dos novos processos realizados.

“A liderança precisa promover a clareza de papéis e responsabilidades. Afinal o empoderamento dos times é fundamental, o chamado Ownership. É equilibrar com responsabilidade e autonomia”, acrescentou Marcus Campos.

3 benefícios

1: Reorganização para facilitar a comunicação da empresa (todos trabalhando com um objetivo específico). Comunicação fluindo

2: Mais autonomia para os funcionários trabalharem com objetivos claros. Consequentemente, temos mais assertividade para soluções de problemas

3: Transparência na cadeia de comando – menos barreiras entre liderança e equipe

Interessado?

O que acha de implantar o Design Organizacional aí na realidade da sua empresa? Você pode contar com as soluções da CMP Business Solutions. O curso de Pós-Graduação em Gestão de Negócios oferece um panorama completo sobre Design Organizacional. E as inscrições serão abertas a partir do mês de outubro. Para saber mais, clique aqui e conte com o atendimento online da nossa equipe agora mesmo.

Categorias
Informações

Tudo sobre CSC: Centro de Serviços Compartilhados

O que é, para que serve e como implantar. Apresentamos Guia Completo do CSC com dicas e curiosidades.

Em um mercado em constante evolução e competitividade, as empresas devem buscar maneiras de melhorar a eficiência frequentemente, seja através de novas metodologias, nova ferramentas ou novos modelos de negócios.

Todas as empresas que atuam no mercado – seja no setor industrial, de varejo, de serviços ou qualquer outro setor – possuem diversas atividades de back office (apoio às atividades core) como, por exemplo: RH (Recursos Humanos), TI (Tecnologia da Informação), financeiro, compras, marketing, entre outras.

No contexto da busca incessante de resultados e competitividade, otimizar processos para ganhar em eficiência é fundamental. Uma das formas que as empresas encontraram para fazer essa otimização é o CSC (Centro de Serviços Compartilhados). E os CSCs, que algumas décadas atrás, eram largamente implementados em grandes corporações, agora têm se disseminado para médias organizações e cada vez mais sido pauta nos planos estratégicos e fundadores dessas empresas.

Os centros de Serviços Compartilhados surgiram nas décadas de 1970/1980 e chegaram ao Brasil nas décadas seguintes. Após os anos 2000, foram criados grupos de trocas de experiências e boas práticas de CSCs das grandes corporações no Brasil. Mas o que é CSC? Por que devo implementar em minha empresa? Descubra a seguir.

O que é o CSC?

O Centro de Serviços Compartilhados (CSC) é uma forma de organização dos serviços mais transacionais e repetitivos da empresa que padroniza processo, padrão de serviço, e é regulado através de acordos de nível de serviço com os clientes internos (unidades de negócios, filiais, etc). As atividades típicas de um CSC são os serviços que incluem tudo o que não faz parte do core business da companhia conforme exemplo da figura abaixo:

O CSC é em uma unidade dentro da organização que atende as demais áreas internas da Empresa no conceito cliente-fornecedor. Sejam essas áreas: outras unidades de negócio, filiais, lojas ou demais departamentos.

Qual é a missão do Centro de Serviços Compartilhados?

O Centro de Serviços Compartilhados processa as demandas de colaboradores (de clientes internos), em setores como recursos humanos, compras, contabilidade, administrativo entre outros, com o objetivo de organizar e padronizar processos, dando mais eficiência às atividades e consequentemente competitividade para a empresa.

5 Benefícios do CSC para sua empresa

  1. redução de custos fixos e indiretos. De acordo com levantamento da PwC, a implementação do Centro de Serviços Compartilhados resulta em economia de até 40%, incluindo redução de custos com pessoal e infraestrutura.  
  2. melhoria significativa na qualidade dos serviçosprestados. Isso gera mais satisfação dos clientes da empresa (tanto internos, quanto externos). 
  3. previsibilidade de prestação de serviços: cultura de atendimento e cumprimento de SLA’s, os clientes internos são responsáveis por gerenciar suas demandas
  4. redução do tempo de atendimentodas demandas dos colaboradores. Dá mais transparência ao processo. Ele facilita a comunicação na companhia e melhora a produtividade das equipes. 
  5. Crescimento da empresa sem aumento proporcional do custo dos processos de suporte.

Como implantar um CSC na sua empresa?

Para se implementar um centro de serviços compartilhados não basta somente agrupar tudo o que não é atividade-fim da empresa em um único ambiente, ou uma única diretoria. Existe um passo a passo necessário para garantir que os benefícios desejados sejam obtidos.

Após uma dúzia de projetos implementados pela CMP, descrevemos abaixo algumas etapas sugeridas para a implantação de um CSC eficaz:

Antes de decidir pela adoção de um CSC, é preciso garantir que o projeto faz parte da estratégia da empresa. Se não fizer parte e não tiver o patrocínio da alta liderança e/ou fundadores, não terá sucesso. Também deve ser realizado um ótimo business case, ou seja, uma análise de viabilidade financeira e projeção de ganhos de eficiência.

Passado essas etapas iniciais, os passos sugeridos são:

1- Preparação para a mudança

Nesta fase inicial é preciso realizar um profundo diagnóstico de maturidade dos processos, identificar se os processos estão documentados, se tem políticas, fluxos, procedimentos, indicadores e avaliar também os volumes transacionais dos serviços.

Importante também identificar nesta etapa as pessoas que estão envolvidas com esses processos e que serão afetadas pelo projeto. Existem maneiras de implantação mais radicais, chamadas de “big bang”, ou com implantação mais espaçadas e divididas em ondas em um cronograma pré definido.

Independentemente de qual abordagem você escolheu, lembre-se de determinar o “menu de serviços” oferecidos pelo CSC é fundamental, além de realizar ações para comunicar, e engajar o time e líderes.

2- Menu ou Catálogo de serviços

Agora que você já passou pelo diagnóstico profundo, já pode iniciar o desenho do menu de Serviços. Neste Catálogo, como uma espécie de um cardápio de um restaurante, você deve reunir todos os serviços que o CSC oferece e as principais informações sobre eles.

O menu de serviços geralmente contém a descrição dos serviços, quem pode solicitar, como deve solicitar, níveis de acordos de serviços (Service Level Agreement – SLAs), prazo para a execução do serviço, etc.

3- Mapeamento dos processos atuais (AS-IS)

Nesta etapa o foco é padronização dos processos, e de documentar e registrar como os processos “rodam” na prática na empresa. Se uma empresa possui três CNPJs, por exemplo, e as três possuem áreas de Compras, provavelmente existem pelo menos três jeitos diferentes de gerenciar os processos e despesas com compras no grupo.

Este é o momento em que você vai capturar as melhores práticas e as oportunidades de melhoria, para eliminar desperdícios e criar um processo único posteriormente.

4- Transformação de processos (TO-BE)

Como em um Kaizen, o objetivo dessa etapa é estabelecer um processo único, que traga o melhor de cada uma das versões de processos mapeados anteriormente.

A documentação do processo padrão facilita o treinamento das equipes e de novos colaboradores além de possibilitar criar especializações.

Ao término dessa etapa, poderá gerar uma lista de processos repetitivos que podem ser automatizados, robotizados ou mesmo implantados auto serviços, catálogos ou serviços que podem ser consumidos diretamente pelos clientes internos.

Algumas empresas que implementamos projetos CSC também contrataram ferramentas de BPM, Business Process Management, com objetivo de facilitar a gestão por processos e gerar indicadores KPIs, e gestão dos acordos dos níveis de serviços (SLAs).

5- Operação-piloto

Em alguns projetos, para se reduzir os riscos de implantação do CSC, são realizadas operações pilotos com determinados processos ou determinadas áreas. Outra possibilidade é de criarmos ondas de implantação para avaliar se determinadas áreas ou processos desenhados estão  estáveis e funcionais.

Com essa etapa também é possível de avaliar a reação e engajamento das pessoas envolvidas no projeto e nos serviços, tendo possibilidades de corrigir rotas do projeto.

6- GO-LIVE ou Data de Início

Go Live é a data oficial de início de operação do serviço, ou seja, funcionando após as melhorias e o processo novo implantado.

7- Operação Assistida (Monitoramento)

Uma vez implantado o CSC e após a GO LIVE, você precisa fazer o monitoramento para verificar como está a performance dos processos e da equipe. Geralmente realizamos a operação assistida por 3-4 meses com acompanhamento frequente dos indicadores, até que estejam estabilizados e atendendo adequadamente os clientes internos (demandantes dos serviços).

Conclusão: Tendo em vista que o principal intuito da implantação desse sistema é a satisfação de clientes e redução de custos, pode-se garantir que com a criação da CSC é certa a o melhoria dos processos do atendimento de uma organização, elevando os padrões de qualidade que são desejados e esperados e reduzindo custos.

Marcus Campos:

Conselheiro e Empresário com experiência centenas de projetos organizacionais: Estratégia, Vendas, Supply Chain, Compras, CSC, Qualidade, Gerenciamento de Projetos e Operações em grandes multinacionais americanas na indústria automotiva e aeroespacial e de defesa.

  • Mestrado em Economia PUC-SP e Universidade Panthéon Sorbonne (Paris I), Mestre em Administração de Empresas (MBA Executivo) na Business School SP – BSP com extensão no UVic Canadá
  • Engenharia Mecânica pela Universidade Presbiteriana Mackenzie

Especialidades: Desenvolvimento de negócios, Vendas, Gestão de pessoas, Redesenho de processos e organização, Desenvolvimento de estratégias de longo prazo, Negociação estratégica e ferramentas de compras. Programas Lean-sigma e de melhoria contínua.

Categorias
Informações

O que poucos sabem sobre os professores e orientadores da melhor escola de negócios da América

Saiu no “Financial Times”: a Fundação Dom Cabral é a 9ª melhor escola de negócios do mundo; a número 1 da América Latina, sendo a melhor do Brasil. O ranking global de escolas de negócios é composto por 80% da percepção dos clientes e participantes, que avaliam os programas abertos e customizados da FDC sob vários critérios.

Mas como explicar esse fenômeno mundial? Como trabalham os professores da FDC? Para responder a essas e outras perguntas, entrevistamos Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral. Entenda a seguir como a empresa alcançou o status de referência mundial.

Para começar, Marcus fala sobre o sentimento de orgulho com o resultado do ranking divulgado pelo jornal inglês “Financial Times”.

“Ficamos muito orgulhosos por recebermos essa notícia da continuidade do protagonismo da FDC como melhor escola de negócios da América Latina. E também por figurar entre as 10 melhores escolas do mundo. Para nós, brasileiros, estarmos entre renomadas escolas de negócios do planeta nos enche de satisfação e orgulho. Em especial porque podemos trazer para as nossas regiões de atuação um nível elevado de qualidade para gestores e empresas”, comemorou o Diretor.

Critérios

O ranking do “Financial Times” é composto por critérios importantes como preparação; design do programa; métodos e materiais de ensino; corpo docente; novas competências e aprendizagem; acompanhamento; objetivos alcançados; custo-benefício; probabilidade de voltar para mesma instituição; entre outros.

 

“Temos programas e soluções já com muitos cases de sucesso em todo o Estado, País e até no mundo. A posição leva em conta a opinião e a pesquisa com nossos clientes. Portanto são critérios objetivos que demonstram satisfação e resultados práticos”, comentou Marcus Campos.

Mais que professores

Sobre o corpo docente, Marcus revela uma curiosidade. Na FDC há “Profissionais Professores e Professores Profissionais”. Mas como assim? Entenda a seguir o que poucos sabem sobre os professores da instituição.

  • Profissional Professor: Executivos com larga experiência em gestão e liderança de empresas de ponta que hoje orientam outras empresas e transferem conhecimento, experiência e metodologia.
  • Professor Profissional: Especialistas em temas da gestão, estudiosos e que constantemente desenvolvem e aplicam metodologias e dinâmicas nas empresas e programas.

Essa composição faz com que consigamos unir teoria, prática e aplicabilidade nas empresas e na carreira de líderes. “São profissionais muito qualificados, com ampla visão de mercado e com senso de utilidade”, destaca Marcus.

 

Quero fazer parte!

Já pensou em introduzir os profissionais da sua empresa dentro de uma das melhores escolas de negócios do mundo? Marcus aqui fala sobre as soluções oferecidas em Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva.

“Os programas e as soluções que temos no Vale do Paraíba, no Alto Tietê, em Guarulhos e na região bragantina são os mesmos programas entregues em todo o país. Essa referência mundial está aqui presente no nosso dia a dia. Os profissionais, as ementas, as metodologias, o padrão de qualidade internacional, tudo isso. Mas com atuação a nível nacional e de maneira idêntica. Isso faz com que consigamos garantir um padrão de qualidade superior”, detalhou Marcus Campos.

Para saber mais, fale com a equipe de atendimento CMP Business Solutions no WhatsApp.

Clique aqui e veja o ranking das 20 melhores escolas do mundo.

Categorias
Informações

O que esperar do Programa Gestão Comercial na prática

Você já sabe que a CMP Business Solutions, associada à Fundação Dom Cabral, oferece o Programa Gestão Comercial. Mas o que esperar deste Programa? Quais são os resultados alcançados com ele na prática? Como possibilitar a elevação de suas vendas a um novo patamar?

Para responder a essas e outras perguntas, entrevistamos os participantes da última edição do  GCOM. Acompanhe nos depoimentos a seguir. O Programa propõe um olhar ampliado e estratégico para a área de Vendas, a partir da sua conexão com a área de Marketing e a estratégia do negócio, abordando aspectos essenciais, tais como:

Maturidade de mercado e de gestão; design de estrutura da força de vendas; cultura de força de vendas: políticas, processos e indicadores; ferramentas e práticas de gerenciamento comercial; gestão da carteira de clientes por Curva ABC.

Além de desenvolver competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) relacionadas à capacidade de gestão profissional do setor comercial, o Programa prepara executivos e gestores para entender as variáveis que afetam os resultados da operação de vendas, bem como para propor um conjunto de ações de intervenção (suportadas em conceitos, recursos, técnicas e ferramentas) de melhorias do negócio.

 

Por que fizeram esta escolha?

 

“Para obter conhecimentos de ferramentas e metodologias que me façam conquistar um número maior de clientes”, respondeu Rosane Nóbrega Cordeiro, da empresa Banco Alfa de Investimentos.

“A necessidade de um olhar estratégico para o negócio me fez buscar o curso de Gestão Comercial”, acrescentou Fernanda Couto, Coordenadora de Mercado Interno na SD Gráfica.

 

 

Quais foram os resultados alcançados na prática?

 

“Este é o segundo `curso que faço pela FDC e é impressionante como estrutura muito bem o `desejável e o inesperado`, não é Professor Eduardo Andrade? O Desejável foi fazer vivência e aplicabilidade em tempo real do conhecimento na prática. O Inesperado foi reunir um grupo riquíssimo e experiente de profissionais `desconhecidos` e, de certa forma, devolvendo esse aprendizado para sociedade. Uma troca fantástica de conhecimentos”, comentou Rosane Nóbrega Cordeiro.

 

“A orientação teórica aplicada na prática, como o professor Eduardo conduziu, me proporcionou analisar a operação e enxergar novos horizontes para implementação imediata e tomada de decisões com ferramentas práticas e eficazes de estruturação e prospecção. Tenho certeza de que os resultados serão incríveis e bem aliados à estratégia da empresa”, elogiou Fernanda Couto.


Também temos a opinião de Jéssica Carvalho, Supervisora Executiva de Vendas da GR Indústria Química. “O curso de Gestão Comercial superou minhas expectativas. De uma forma abrangente e objetiva, conseguiu desafiar todos os participantes durante as dinâmicas para aplicar imediatamente os conhecimentos absolvidos durante as aulas, proporcionando uma série de ferramentas e métodos eficazes para o gestor. Quando os objetivos são claros e definidos, os resultados são atingidos”, destacou.

 

 

Mais sobre o Professor Eduardo Augusto Andrade

O Professor Eduardo Augusto Andrade, elogiado nos depoimentos acima, é quem está à frente do Programa GCOM. É doutorando em Ciência da Informação (UFMG), Mestre em Administração de Empresas, Especialista em Gestão Estratégica de Marketing, Bacharel em Publicidade e Propaganda, dentre tantos outros cursos na área de gestão.

Foi consultor, palestrante e desenvolvedor de soluções do SEBRAE, Coordenador da ONG ALBM e contribuinte da Exame.com. Foi coordenador de diversos programas executivos. Mais de duas décadas de vivência em marketing/vendas como empreendedor, executivo e consultor de empresas de diversos portes e segmentos.

É professor convidado em programas abertos, customizados, parcerias e especialização da Fundação Dom Cabral (FDC);

Ficou interessado no GCOM?

Que tal alcançar os resultados do Programa Gestão Comercial aí na sua empresa? Clique aqui e fale com a nossa equipe de atendimento para tirar possíveis dúvidas.

Categorias
Informações

Descubra quais habilidades estão em alta no mercado de trabalho

Houve uma época em que o curso de datilografia fazia a diferença para quem estava ingressando no mercado de trabalho. Depois chegaram as vagas exigindo inglês avançado. Dois, três, vários idiomas. Conhecimentos avançados em informática. Ok, mas e nos dias de hoje? Quais são as habilidades exigidas pelo mercado de trabalho e que estão em alta para diferentes setores?

Entrevistamos especialistas na área de educação executiva, e destacamos a seguir as principais dicas e tendências para ficarmos de olho no nosso atual cenário econômico. São reflexões fundamentais para líderes e gestores de diferentes áreas. A ideia é entender quais são as particularidades do momento.

1: Habilidade Growth Hacking

Começamos com o termo Growth Hacking. Você pode ouvir essa expressão no mercado de trabalho. Trata-se de um subcampo do marketing focado no rápido crescimento de uma empresa. É conhecido como um processo e um conjunto de habilidades interdisciplinares.

Esta forma de trabalhar o crescimento de seu negócio tem base na construção empírica de melhores práticas a partir de hipóteses e experimentos. A ideia é a seguinte: focar esforços no principal problema da empresa; pensar em melhorias para esse problema; priorizar as melhores ideias; modelar a forma mais simples de testar essas ideias; aplicar a nova ideia; aprender com os sucessos e os insucessos dessa ideia; usar esse aprendizado para gerar novos testes. O ciclo se repete para o rápido crescimento da empresa ou de determinado setor.

O termo de Growth Hacking tem origem em 2010, por Sean Ellis. Ele era gestor de Growth do Dropbox e foi fundador do GrowthHackers. Ellis analisou empresas com um crescimento acelerado e descobriu que elas tinham pontos em comum. Justamente com essa linha de raciocínio de crescimento sustentável.

Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, explicou em entrevista quais são os principais pontos de atenção para analisarmos: “São três as premissas principais que devemos atentar no que tange o Growth Hacking: crescimento, métrica norte e experimentos/ferramentas”, declarou Marcus. 

2: Resiliência

A resiliência é a capacidade que o profissional precisa ter para lidar com problemas, se adaptar a mudanças, superar obstáculos e resistir à pressão de situações adversas. Seja um estresse, uma pandemia, um evento traumático, entre outros obstáculos.

Além da palavra resiliência, podemos acrescentar a palavra adaptabilidade. Ou seja, se adaptar com as mudanças e transformações que possam aparecer. O ambiente profissional impõe desafios frequentes. Você tem a opinião A de manhã, mas precisa ter a adaptabilidade para mudar para a opinião B logo depois do almoço. As empresas querem ter em seus quadros profissionais dispostos a superar problemas, persistir e seguir em frente.

3: Inteligência emocional

No terceiro ponto falamos sobre inteligência emocional. O profissional precisa seguir três pilares importantes no cuidado com a sua saúde: Alimentação Saudável, Corpo Saudável (atividades físicas) e Mente Saudável (onde inserimos a inteligência emocional).

Aqui há um ponto fundamental que é o exercício da empatia. Ou seja, se colocar no lugar do outro e compreender a sua realidade. Em momentos de negociação ou em momentos de atendimento direto ao cliente (ouvindo reclamações), é preciso ter empatia para calçar os sapatos do outro e sentir qual é a sua realidade.

O gestor precisa de empatia e inteligência emocional para saber administrar sua equipe e todas as particularidades dessa equipe. Aqui podemos acrescentar uma lista de Soft Skills importantes como controle das emoções, pensamento criativo, colaboração, comunicação eficiente, ouvir, gerenciar tempo, ter positividade, entre outros. Leia nosso artigo sobre Soft Skills aqui.

“Entre as soft skills  mais demandadas pelas empresas na atualidade estão: a capacidade de trabalhar em equipe, participação e alinhamento na cultura da empresa, comunicação interpessoal, adaptabilidade e pensamento estratégico”, analisou Marcus Campos.

 

4: Autogestão da carreira

Em tempos de home office e trabalho híbrido, o autogerenciamento se tornou um ponto decisivo. O gestor não precisa ficar desenhando, de hora em hora, quais são as obrigações da sua equipe na rotina do trabalho. Não. É necessário ter a autogestão.

Sempre com pró-atividade e dispostos a aprender (aprendizado ágil para novas ferramentas e necessidades). Autogestão é executar suas tarefas profissionais sem a supervisão de superiores. Para conquistar essa competência é preciso organizar a rotina com disciplina, cumprindo metas e objetivos sem precisar de cobranças. Responsabilidade acima de tudo para fazer a diferença.

5: Inovação

Por fim, no nosso Top 5, destacamos as palavras Inovação e Criatividade. É necessário saber como inovar dentro do mundo corporativo. Empreendendo dentro das empresas.

O chamado Empreendedorismo Corporativo funciona da seguinte forma: se posicionar como empreendedor, gerando inovação, vantagens e oportunidades de crescimento para você e para a empresa.

Leia mais: Como inovar dentro de empresas tradicionais? Veja dicas

Quais habilidades você precisa desenvolver hoje?

Mas e você? Qual é a realidade da sua carreira hoje? Quais pontos você ou sua empresa precisariam desenvolver? Fale com a CMP Business Solutions hoje mesmo para desenvolvermos as melhores soluções de acordo com a sua necessidade. A CMP é associada à Fundação Dom Cabral. WhatsApp (12) 99200-4654.

Categorias
Informações

Como planejar o imprevisível? Conheça estratégias e cenários

Vivemos em tempos de riscos e incertezas. Esse assunto tão relevante virou tema para debate no Comitê de Presidentes e Dirigentes da Rede PAEX: Como se preparar para o imprevisível? O debate reuniu estratégias e cenários em encontro realizado pela CMP Business Solutions em São José dos Campos. Os professores e palestrantes Carlos Alberto Primo Braga e David Martins Zini destacaram reflexões fundamentais para o nosso atual momento.

A seguir destacamos dicas importantes sobre o planejamento imprevisível. E ao final deste artigo, explicamos como funciona a Rede PAEX e como você, gestor, pode entrar para este time também.

Quem é quem?

Antes, apresentamos um breve resumo com as biografias dos professores. Carlos Alberto atua nas áreas de economia internacional, cenários macroeconômicos, estratégia empresarial e organismos internacionais. É Ph.D e M.A. em Economia e é graduado em engenharia mecânica, pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica. É professor associado da Fundação Dom Cabral.

Já David Martins Zini tem formação com MBA Executive pela Kellogg. Com pós-graduação em Administração e Marketing Estratégico. É graduado em Direito pela PUC do Rio Grande do Sul e atua na orientação de empresas da Rede PAEX.

Quem tem bola de cristal?

Uma das frases que abriu a tarde de apresentações foi essa, de Ben Bernanke, ex-Chair do Federal Reserve nos EUA: “a ciência econômica pode auxiliar governantes a entender precisamente por que as escolhas que eles fizeram no passado estavam erradas. Já sobre o futuro, nem tanto (precisely why the choices they made in the past were wrong… About the future, not so much)”.

Sobre o futuro, só com bola de cristal? A melhor saída é o conhecimento ao se aprofundar nas particularidades do nosso atual cenário (nacional e mundial). Interpretando os fatos que se multiplicam na chamada Era da Ansiedade, repleta de riscos e incertezas.

Mundo VUCA

Você sabe qual é o significado do termo VUCA? Ele foi criado na década de 90 no cenário pós-Guerra Fria. O acrônimo das palavras em inglês VUCA (Volatility, Uncertainty, Complexity e Ambiguity), que podemos traduzir como Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade.

O atual Mundo VUCA é volátil, incerto, complexo e ambíguo. Representa as características do mundo que vivemos hoje, apresentando dificuldades para empresas ou apresentando novas oportunidades para empresas.

Encaramos Elefantes Invisíveis e Cisnes Negros?

·                 Disrupções previsíveis: ataques cibernéticos, mudanças climáticas e terremotos – (elefantes invisíveis).

·    Disrupções imprevisíveis: então falamos de riscos e ameaças que não conseguimos mapear com antecedência. Gripe Espanhola, Pearl Harbor, 11 de Setembro e 24 de Fevereiro de 2022 (Guerra na Ucrânia) – (cisnes negros).

Velocidade que assusta

A reflexão apontada pelo professor chega a assustar quando analisamos a velocidade da transformação do nosso mundo atual. Veja, por exemplo: quanto tempo cada produto abaixo levou para alcançar a marca de 50 milhões de usuários?

·        O avião levou 68 anos.

·        O automóvel levou 62 anos.

·        O telefone, 50 anos.

·        A Internet, 7 anos.

·        O Facebook, 3 anos.

·        O Twitter, 2 anos.

·        E o Pokémon Go foram 19 dias!

Guerra na Ucrânia, Covid-19 e Eleições 2022

Os cenários são apresentados com a análise dos fatos. Covid-19, por exemplo: números arrasadores do início da pandemia no Brasil. 165 países entrando em recessão em 2020. Mas, olhando para frente, o otimismo se dá com a aceitação da população brasileira com a vacina.

E a Rússia? O que se passa na cabeça de Vladimir Putin? O chamado Mundo Russo (Russkiy Mir) foi apresentado com suas características e particularidades. É fundamental entender o que se passa na cabeça do presidente da Rússia e quais são as suas intenções com a Guerra.

A frase de Mike Tyson sobre “planejamento” arrancou gargalhadas dos convidados nesta análise da palestra sobre a Rússia: “Todo mundo tem um plano. Até levar uma porrada na boca”, disse Mike Tyson.

Sobre Eleições no Brasil, é preciso entender todos os possíveis cenários. Com as pesquisas apontando para dois nomes (polarização), enquanto que a terceira via se apresenta com mais distância inicialmente.

Desemprego, inflação, PIB e Guardiola

Os professores também destacaram informações e análises sobre o cenário econômico brasileiro. O pior já passou? Avaliações sobre PIB, desemprego, inflação e muito mais.

Ao exemplificar o índice de confiança do empresário com o avanço da tecnologia, o caso apresentado para ilustrar a situação remeteu ao técnico de futebol Josep Guardiola. Em visita ao MIT, nos EUA, Guardiola presenciou a criação de um time de robôs. Aceitaria treinar aquele time? “Não. Robôs seguem o código que você prepara no desenvolvimento. Você programa, ele executa. Eu prefiro a liderança humana, o conceito de time, a orientação que é ensinada e colocada em prática”,  teria respondido o treinador.

Uma frase de Guardiola que ficou famosa no mundo empresarial foi a seguinte:

“Não estou lidando com jogadores, estou lidando com pessoas. Eles têm medos, preocupam-se em falhar na frente de 80 mil pessoas. Eu tenho que fazê-los ver que sem uns aos outros eles não são nada”, afirmou o técnico.

Plano de crescimento constante e sustentável para o futuro

Teoria é uma coisa. Prática é outra. Mas em tempos imprevisíveis, é fundamental não ficar parado. Sair da zona de conforto e estar sempre buscando soluções e transformações. Afinal, no mundo tecnológico e conectado, estar fora desse ambiente é um risco ainda maior.

Como disse o professor David Martins, “os gigantes também tombam”. Citando cases mundiais como Kodak, BlackBerry, entre outros. A melhor estratégia é traçar um plano de crescimento constante e sustentável para o futuro. Riscos existem? Sim, claro. Mas o Mundo VUCA é este aí. E a melhor saída é se mexer.

“Teoria é quando você entende tudo, mas nada funciona. Prática é quando tudo funciona, mas ninguém entende o porquê. Nessa estação, teoria e prática estão unidas, de forma que nada funciona e ninguém sabe o porquê” – Jan Mayen (Fisher, 2011).

Quer participar do próximo encontro do PAEX?

Buscar conhecimento constante é uma chave estratégica para se planejar para o imprevisível. Venha fazer parte da Rede PAEX! O PAEX (Parceiros Para Excelência) é uma solução educacional com foco no aumento da competitividade e elevação de resultados. É voltado para empresas e gestores que querem crescer por meio do conhecimento.

Fique ligado nas últimas notícias da CMP Business Solutions para se programar com os novos eventos da Rede PAEX. A CMP Business Solutions, associada à Fundação Dom Cabral, oferece Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Clique aqui e fale com a nossa equipe de atendimento online. 

Categorias
Informações

Empresa pioneira na área de Defesa quer acelerar alcance global

A IACIT, referência da Base Industrial de Defesa do Brasil, completa 36 anos em 2022. Fundada em 1986 e com sede em São José dos Campos – SP, a empresa possui capacitação tecnológica para o desenvolvimento de produtos e sistemas aplicados ao Auxílio e ao  Controle  do Tráfego Aéreo e Marítimo; Defesa e Segurança Pública; Fábrica de Software; Meteorologia; além de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação e Telemetria.

Entrevistamos o presidente da IACIT, Luiz Teixeira, que destacou curiosidades sobre o desenvolvimento da empresa. Uma das metas atuais, por exemplo, é a aceleração do alcance global da IACIT na área de Defesa e Inovação.

“Somos certificados como empresa estratégica de Defesa, pelo Ministério da Defesa do Brasil. E a internacionalização da IACIT é uma meta atual que nós temos. Acredito que flexibilidade e adaptabilidade, com o cenário global, têm sido determinantes neste planejamento que traçamos”, comentou Luiz.

A IACIT atende as três Forças brasileiras: Força Aérea Brasileira, Exército e Marinha. Um dos grandes diferenciais está na tecnologia. Há exemplos de produtos de vanguarda desenvolvidos em São José dos Campos e que se tornaram referências internacionais.

Na lista de exemplos de produtos para citarmos, temos:

·        Radar Além do Horizonte, com vigilância marítima e cobertura de 200 milhas náuticas marítimas.

·        Radar Meteorológico com transmissão em estado sólido – primeiro em estado sólido no mercado mundial.

·        Soluções de softwares aplicados à meteorologia e ao controle do tráfego aéreo para a Força Aérea Brasileira.

·        Sistema de proteção contra invasão de drones, que foi aplicado pelo Exército Brasileiro nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Desafios com a pandemia

Luiz Teixeira comentou sobre o atual cenário econômico global diante da pandemia. A instabilidade se tornou um desafio que exigiu transformação. “No passado fazíamos o planejamento estratégico olhando para curto, médio e longo prazo. Hoje mudou muito. A revisão precisa ser constante e num curto espaço de tempo. Se não tiver atenção, um olhar crítico, um monitoramente constante do planejamento estratégico, você tem problemas logo ali”, analisou.

“A gestão precisa proporcionar um controle mais rápido da situação. Com condições de adaptabilidade de acordo com a mudança de cenário. Podemos citar questões imprevisíveis alterações significativas de logística, inflação,  câmbio, juros, Recursos Humanos e outros”, acrescentou.

PAEX

Dentro do PAEX (Parceiros Para a Excelência), a IACIT passou a simular cenários de curto, médio e longo prazo. O programa é da CMP Business Solutions, associada à Fundação Dom Cabral.

“Simulamos possíveis cenários que proporcionam mais rapidez na tomada de decisão. Você não consegue a exatidão que tínhamos no passado por conta da imprevisibilidade. Então a preparação do nosso grupo de líderes dentro do PAEX foi fundamental neste processo”, contou Luiz Teixeira.

Atingir a excelência na governança da empresa foi o ponto de partida da IACIT para acelerar a busca pela internacionalização dos seus produtos. O PAEX englobou disciplinas e módulos como Planejamento Estratégico, Transformação Digital, Planejamento de Sucessão, Preparação de Conselho, Trabalho de Liderança, Gestão de Projetos, Gestão de Processos, entre outras disciplinas.

“Sempre digo o seguinte: nossos pilares são Pessoas, Planejamento e Tecnologia. Com essa estrutura forte, é possível fazer a diferença. E nos dias de hoje, com toda vulnerabilidade, é fundamental ter sempre flexibilidade, agilidade e perseverança”, concluiu o presidente da IACIT.

Quer saber mais?

Para saber mais sobre a IACIT, clique aqui e acesse o site oficial da empresa.

Se você se interessou por este case, assine a nossa Newsletter para receber nossos conteúdos com antecedência. Você também pode ter o case da sua empresa contado aqui. A CMP Business Solutions oferece Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Aguardamos os seus comentários e a sua participação aqui no nosso Blog.

Categorias
Informações

Agenda de cursos para 2022? Veja nosso Guia Completo e programe-se

Está na hora de se programar com o que vem pela frente em 2022. Para facilitar a sua vida, apresentamos nossa agenda de cursos com os principais programas abertos no ano. Acompanhe a seguir. Há cursos e programas presenciais para determinadas regiões. E também projetos oferecidos de forma online. Programe-se agora!

Antes da programação e do cronograma, vale lembrar que a CMP Business Solutions, em parceria com a Fundação Dom Cabral, ampliou o seu alcance pelo estado de São Paulo. Além do Vale do Paraíba, com sede em São José dos Campos, também estamos em Arujá, Biritiba-Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano. Além de Guarulhos, Cajamar, Caieiras, Mairiporã e Franco da Rocha.

Soluções de governança, gestão empresarial e educação executiva é com a CMP Business Solutions. Veja os nossos programas abertos em 2022:

 

Janeiro

  • LDI – Liderança de Impacto (Conexão e Ação Para Resultados). De 17 a 19 de janeiro de 2022, em São José dos Campos, com a Professora Izabela Miotto. O programa é pautado na inteligência emocional, com ênfase em autoconhecimento e na capacidade empática dos líderes. Ele nos convida a liderarmos a partir do futuro que emerge mesmo nessa complexidade e incerteza que fica cada vez mais visível para todos nós.

 

Maio

  • LDI – Liderança de Impacto. De 02 a 04 de maio de 2022, na região de Guarulhos, com a Professora Izabela Miotto.

 

  • GECOM – Gestão Comercial, Design de Estrutura e Prospecção. De 09 a 10 de maio de 2022, em São José dos Campos, com o Professor Eduardo.

 

Agosto

  • PDG Saúde. O Programa de Desenvolvimento de Gestão em Saúde. De 05 a 06 de agosto de 2022, na região de Guarulhos. Mais de 40 empresas da área da saúde já se beneficiaram com resultados significativos nas áreas de finanças, tributação, gestão com pessoas, processos, estratégias e monitoramento.

 

  • PGGN (T1). O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios. De 26 a 27 de agosto de 2022, em São José dos Campos. O conhecimento sólido dos negócios e do mercado forma líderes transformadores, desenvolve estratégias baseadas nos desafios e incertezas atuais e prepara o participante para atuar de forma antecipada no novo contexto mundial.

 

Outubro

  • PGGN (T6). O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios. De 21 a 22 de outubro de 2022, na região de Guarulhos.

 

Novembro

  • LDI Advanced – Liderança de Impacto. De 10 a 11 de novembro de 2022, em São José dos Campos, com a Professora Izabela Miotto.

 

Outras oportunidades?

Além do cronograma destacado acima, há oportunidades que surgirão ao longo do ano e oportunidades que surgem de acordo com a necessidade de cada empresa ou cliente. Para empresas, para famílias empresárias e também para o seu desenvolvimento pessoal. Aqui podemos destacar programas como:

 

  • PAEX (Parceiros Para Excelência): solução educacional com foco no aumento da competitividade e elevação dos resultados para empresas que querem crescer por meio de transferência de conhecimento.

 

  • PEG (Parceria para Estruturação da Gestão): criada para organizações de pequeno porte que precisam desenvolver e aprimorar a capacidade de gestão em vários aspectos do negócio.

 

  • PEO (Programa de Excelência Operacional): criada para fomentar a produtividade e a competitividade nas indústrias com foco em: capacitação, melhorias de processos, kaizen e célula lean.

 

  • Consultorias: estratégias e operações que viabilizam a evolução dos nossos clientes em seus mercados de atuação. A partir do diagnóstico empresarial, atuamos no desenvolvimento de projetos personalizados.

 

  • PDA (Parceria Para Desenvolvimento do Acionista e da Família Empresária): com o objetivo contribuir para o desenvolvimento e a gestão de empresas familiares, auxiliando seus membros na criação de um ambiente favorável à discussão e à construção de um futuro maduro e profissionalizado.

 

  • PDC (Programa de Desenvolvimento de Conselheiros): com objetivo de preparar para o exercício pleno e eficaz do papel de conselheiro. Promove a compreensão profunda sobre a função e as responsabilidades do Conselho de Administração.

 

  • PDD (Programa de Desenvolvimento de Dirigentes): com ênfase em Estratégia, Marketing e Vendas, Finanças, Pessoas, Processos e Projetos; o programa proporciona troca de experiências por meio de workshops presenciais (com vagas avulsas durante o ano).

“Desenvolvemos o cronograma de 2022 pensando nas transformações pelas quais as empresas estão passando atualmente. Então são programas atualizados e personalizados para a nossa realidade de hoje. Com opções presenciais em diferentes cidades que abrangem o alcance da CMP”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions.

Quero saber mais!

Cadastre-se aqui para ficar por dentro das últimas novidades na programação da CMP Business Solutions em 2022. Para eventuais dúvidas e consultas, nossa equipe de atendimento está à disposição no WhatsApp: 12 99200-4654.

Categorias
Informações

Perspectiva econômica para 2022? Saiba como se adiantar ao cenário

Enxergar as perspectivas e tendências do futuro é fundamental para traçarmos o melhor caminho, escapando dos obstáculos que o cenário nos apresenta. A seguir falamos sobre a perspectiva econômica para 2022. Qual será o nosso cenário econômico? Quais são as projeções do Brasil? Descubra como se adiantar ao cenário do amanhã para tomar as melhores decisões como líder e gestor empresarial hoje.

O manual que foi a nossa principal referência para a construção deste artigo se chama “Economia Global e Brasil – Um Panorama e Perspectiva”, do Professor Gilmar de Melo Mendes, publicado em novembro de 2021 pela Fundação Dom Cabral.  Logo na introdução, Gilmar nos avisa: “Escrever sobre a perspectiva econômica nunca se mostrou uma tarefa fácil. No contexto atual, a dificuldade é ainda maior, pois é preciso conciliar os fenômenos que já regiam a geopolítica global com os efeitos econômicos da pandemia e, com isso, identificar impactos momentâneos derivados da retomada econômica, bem como aqueles que podem ser estruturais originados de mudanças que vieram para ficar”.

Pandemia das incertezas

Nunca, na história do capitalismo, houve nada que possamos comparar com a pandemia da Covid-19. Mas como fica a retomada econômica que ganha corpo em 2022? “Sabia-se que haveria alguns efeitos nas demandas por bens, em primeiro plano, e por serviços, na sequência. Isso acarretaria, quase que necessariamente, o aumento dos preços dos bens e, portanto, uma pressão inflacionária global, mas, em período curto e logo se estabilizaria. Ocorre que alguns fenômenos, não exatamente previstos, parecem interferir no tempo de ocorrência dessa inflação e sua consequente persistência em períodos mais extensos que os estimados”, explicou.

Como fica a inflação?

2022 é ano de Eleições. 2022 é ano de Copa do Mundo. Mas a pergunta que não quer calar se refere à alta dos preços em decorrência da crise mundial. Como fica essa inflação aqui no Brasil? “Em que pese o fato de o problema da inflação ser global, no Brasil surgem algumas surpresas com índices que superam as expectativas do mercado e do Banco Central. Isso se deve, sobretudo, aos preços de energia elétrica, dos combustíveis e dos alimentos. A crise hídrica enfrentada pelo país hoje é uma das maiores dos últimos 20 anos. Isso acarreta o aumento do custo de energia. Em contrapartida, a subida dos preços do petróleo e derivados se combina com a alta nos preços dos alimentos”, pontuou Gilmar de Melo.

Números do PIB

Na pandemia de 2020, o PIB brasileiro caiu 4,1%. Para o encerramento de 2021, havia perspectiva de retomada por volta de 5%. O que podemos esperar do Produto Interno Bruto no Brasil?

“Há a forte expansão dos gastos do governo durante a pandemia, associada com a capacidade de reação por parte das empresas brasileiras (…) com a abertura de gastos dessa natureza, se podia esperar um descontrole nas contas do governo em suas despesas e uma elevação significativa da relação dívida/PIB. No entanto, os diversos números apresentados revelam uma situação fiscal sob controle com gastos decrescentes e relação dívida/PIB projetada para final de 2021 em torno de 80%. Ainda que existam problemas para serem contornados com as questões dos precatórios e aumento do valor do Auxílio Brasil para R$ 400, parece no geral que o rumo está mantido. Mas o risco fiscal aumenta e cabe ao Ministério da Economia demonstrar que se trata de um ajuste isolado e que futuras medidas, ainda que sejam de natureza social, não deteriorem as contas públicas em médio e longo prazos”, analisou.

Tendências e dicas para 2022

Ok, já falamos sobre pandemia, incertezas, inflação, PIB, mas, e agora, hein? Quais tendências preciso observar de olho no cenário empresarial aqui do Brasil?

Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, detalhou em entrevista quais são as principais tendências para observarmos de perto. “Trabalho híbrido, entre presencial e remoto. Flexibilidade para trabalhar com imprevisibilidade, demandas de consumo de serviços e produtos oscilando, oportunidades e desafios também. É preciso estar sempre atento e ligado aos sinais e tendências do mercado”, declarou o Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP.

 

Sobre dicas e recomendações, o empresário deve planejar 2022 trabalhando com três cenários distintos: um mais pessimista, um mais realista e um mais otimista. Além de se manter cada vez mais próximo aos clientes, entendendo exatamente quais são as necessidades, dores e apresentando uma proposta de valor diferenciada.

 

“Transformação Digital e Inovação devem ser iniciativas constantes em qualquer negócio. Há muitas soluções de mercado a custo acessível”, orientou Marcus Campos.

 

Principais erros para fugir

 

O que não fazer em 2022? Agora apresentamos os principais erros que líderes e gestores precisam passar longe neste ano. Um dos mais comuns, sem dúvida, é abrir  ano já como se o “jogo estivesse ganho antes do apito final”.

 

“Um dos erros é de achar que o ano já está ganho. Eventualmente com um backlog ou uma carteira consistente, muitos empresários acham que orçamento/ metas serão cumpridos organicamente. Mas muitas vezes é preciso encher o pipeline de oportunidades, trazer novos clientes, desenvolver novas soluções e sempre orientar o negócio ao mercado. Outro erro comum é não ter um Plano Estratégico ou Plano de Negócios. São alertas importantes para não se perder”, explicou Marcus Campos.

 

5 pontos finais para observação

 

  • O mercado volta as atenções para a humanização e prioriza o bem-estar e a saúde (pandemia foi marcada por doenças como Síndrome de Burnout e transtornos de ansiedade).
  • Trabalhar em redes e conexões: integração total entre o mundo digital e o mundo físico.
  • Consolidação do home office, onde o trabalho remoto deve perdurar como uma exigência dos colaboradores, oferecendo oportunidades mais flexíveis de gestão.
  • Vivenciando experiências: num mundo tecnológico e conectado, a ânsia por experiências é o foco.
  • Gestão inteligente e híbrida: as mudanças do “novo normal” obrigam as empresas a se adaptarem a novas demandas, desde a necessidade de um propósito associado à marca até a gestão efetiva.

 

Quer saber mais?

 

Vamos para um mergulho mais profundo sobre 2022? Aqui oferecemos duas opções para você. A primeira delas é disponibilizar na íntegra o estudo “Economia Global e Brasil – Um Panorama e Perspectiva”, do Professor Gilmar de Melo Mendes. É só clicar aqui, preencher nome, e-mail e empresa, e enviaremos este conteúdo gratuitamente para você. A segunda opção é acionar a nossa equipe de atendimento via WhatsApp para uma conversa inicial. Invista em Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Conte com a CMP Business Solutions.

Categorias
Informações

Crise? 8 dicas para criar um time dedicado aos desafios nas PMEs.

Não importa o ramo de atuação: qualquer empresa, mesmo a mais cautelosa, está exposta a eventuais crises. Demandas inesperadas podem surgir a qualquer momento, impondo a necessidade de se repensar operações e realinhar processos.

No ambiente corporativo cada vez mais conectado, o volume de informações em tempo real tem transformado os negócios e exigido de todos ainda mais flexibilidade para adaptações. A capacidade de se antecipar a situações de excepcionalidade e o foco em planejamento têm se tornado a tônica para a sobrevivência de empresas em contextos complexos e voláteis.

Para os gestores, as tomadas de decisão se apresentam inevitavelmente mais desafiadoras. Em cenários de crise, as respostas são ambíguas e incertas, o que pode fragilizar e gerar ansiedade diante da imprevisibilidade do desfecho dos fatos. É como estar no olho do furacão, testemunhando tudo acontecer em uma velocidade assustadora.

Contextos assim exigem a implantação ou a ativação de um comitê de crise, que seja capaz de dar respostas rápidas e de minimizar o impacto na imagem e reputação da organização, além de evitar perdas e prejuízos visando a sobrevivência no mercado. Seja qual for o tamanho e a gravidade da crise o que é importante é a agilidade e objetividade tanto na formação do comitê quanto nas suas resoluções e tratativas.


Como criar um comitê de crise na sua empresa

1- Defina um modelo de atuação

Qual será o modus operandi do comitê em termos de hierarquias, rotinas, prazos e responsabilidades? É fundamental orientar o objetivo-tarefa de cada time, incluindo um modelo de comunicação e atualização que alinhe o processo de transparência e dê fluidez na comunicação com relatórios oficiais de mão dupla, diminuindo os ruídos.


2- Organize a infraestrutura

Prepare uma sala adequada com infraestrutura, serviços de comunicação, segurança e apoio de áreas suplementares para que uma equipe multifuncional possa se reunir e se inteirar rapidamente dos fatos. Uma sala adequada deve possuir itens como equipamentos de vídeo conferência e computadores com acesso à internet, quadros para apresentação de material expositivo, aparelhos de TV com acesso a informações em tempo real, espaço para descanso, ócio criativo e para desenvolvimento da inovação.


3- Indique a equipe de trabalho

A equipe deve ser enxuta para facilitar e agilizar decisões e ser composta por times: decisor, tático e conselheiro externo, de comunicação com o mercado externo e interno, de resposta rápida (áreas envolvidas de acordo com o tipo de crise) e de inteligência (TI, marketing e vendas, também de acordo com o tipo de crise). É crucial que as equipes tenham autonomia para decisão, agilidade para fazer acontecer, visão da organização, foco no resultado, além de paciência, perseverança e processos.


4- Estruture a documentação Crie um manual de gerenciamento do comitê, que deve incluir a definição de crise para a

empresa e a indicação de quando um comitê deve ser implantado. O material também deve sinalizar os procedimentos a serem adotados; os grupos participantes em seus níveis hierárquicos de acordo com a gravidade da crise e risco para a organização; os procedimentos de comunicação, forma, tom, público-alvo, hierarquia, processos e documentação; as fontes de dados externas e internas e informações de onde buscar e quem contatar em momentos de crise, dentre outros itens que a organização achar fundamental ao seu modelo.


5- Estabeleça um protocolo de comunicação

Defina o fluxo de informações priorizando a hierarquia do processo de liberação da informação, incluindo seu modelo de transparência e agilidade. Não seja afoito no dispensar da comunicação: cheque as fontes, avalie o impacto antes da publicação, verifique se a mesma pode gerar riscos em relação à imagem e reputação da organização perante o mercado, colaboradores e stakeholders.

É recomendado que a informação seja top dow seguindo a hierarquia até os colaboradores e que seja inicialmente interna para apenas posteriormente ser difundida para o mercado e órgãos externos. A comunicação precisar ser clara, objetiva, transparente, simples e multidirecional. Adote todos os canais oficiais em que seja possível conversar. Defina um porta-voz e prazos, datas e horários das comunicações.


6- Avalie a situação atual e os impactos

Reúna o máximo de informação possível e faça uma análise das fontes antes de qualquer ação ou decisão. Adote um modelo lógico de entendimento, tenha uma visão do ponto macro para o ponto focal do problema de forma a entender a casualidade. Analise os riscos e as vulnerabilidades do impacto da crise para a organização e defina objetivos a serem conquistados, que justifique a implantação do comitê.


7- Estipule uma agenda inicial e um fluxo de trabalho

A atuação e entregas da equipe de trabalho devem ser acompanhadas em reuniões presenciais ou remotas em que cada time apresenta e discute a evolução dos objetivos iniciais mapeados pelo comitê.

O time decisor define as novas agendas e tarefas e dispensa o grupo todo ou não, de acordo com a criticidade do momento. É este time que também se reúne para tomar as decisões mais estratégicas e agressivas e que, após definições, convoca o time de comunicação ou time de ação rápida para as devidas ações.

O time decisor sempre toma as decisões estratégicas baseadas no suporte dos demais times (tático e conselho). O time de inteligência reúne dados e informações. Já o time de ação rápida, munido de dados recebidos da TI e de informações colhidas pela equipe interna de cada área funcional, executa as ações de curtíssimo prazo, ou fazendo ou delegando a equipe abaixo com prazos e metas definidas. O time de comunicação por sua vez desenvolve estratégia em duas frentes: comunicação interna e comunicação externa.

Também fica a cargo do time de ação rápida coletar resultados junto a equipe responsável pela execução. Cabe ao time avaliar a situação e reorientar novas ações quando necessário e, em seguida, encaminhar ao time decisor para novas decisões de alinhamento. Em paralelo, o time de inteligência apresenta os dados de monitoramento e as análises solicitadas ao time decisor

e aguarda novas instruções ou já começa a preparar novas informações. O time de comunicação também apresenta os resultados do processo de comunicação e as suas análises.


8- Fortaleça a cultura da vigilância

Para se evitar surpresas e prevenir novas crises é necessário desenvolver uma cultura de vigilância na empresa, especialmente se forem percebidas falhas constantes em processos internos que possam levar a consequências graves e impactos externos. Ou ainda, quando se identificar desvios em resultados que não são comuns e que atingem de forma grave a organização. Nesses casos, deve-se aplicar de imediato uma ação corretiva mais intensa para neutralizar a tendência antes que esta se torne uma crise em potencial. Geralmente grandes crises nascem de pequenos sinais, que não são percebidos no momento certo.

Essas oito estratégias para implantar um comitê de crise na sua empresa revelam que uma boa gestão de crise somente terá resultado se houver alinhamento de objetivos e engajamento de todos os envolvidos. Agilidade nas tomadas de decisão também é crucial, bem como a importância de priorizar a clareza e transparência no processo de comunicação. Em conjunto, essas diretrizes são determinantes para o sucesso da estratégia traçada para o gerenciamento de crise em qualquer empresa.

Categorias
Informações

Saiba como as startups podem chamar a atenção dos investidores

Como as startups podem chamar a atenção dos investidores; saiba o que não fazer

O “novo normal” é da inovação. Se o mundo parou durante a crise da pandemia, a área da inovação apareceu como solução. Você sabia que o investimento em startups cresceu 57,6% no período de auge da Covid-19? A crise econômica gerada pelo coronavírus forçou empresas a buscar soluções para acelerar processos digitais de forma a reduzir custos e buscar novas receitas. A consequência veio com transformações e mudanças lideradas pelas chamadas startups.

Neste artigo vamos destacar como as startups podem chamar a atenção dos grandes investidores. O que elas não devem fazer neste processo de captação de investimento. E quais são as dicas para colocar em prática o seu projeto.

Começamos explicando o que é uma startup. Estamos falando de uma “empresa emergente”, que tem o objetivo de desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio, preferencialmente escalável, disruptivo e repetível. É usar tecnologia e inovação para fazer diferente.

Mas qual diferencial é necessário reunir para chamar a atenção do empresário investidor?

 

8 dicas iniciais

Selecionamos 8 pontos para começo de conversa:

  1. Qual é o problema? Descreva quais são os problemas que a sua startup enxerga no mercado. Quais são as falhas desse setor que ainda não houve solução.
  2. Qual é a solução? Agora deixe bem claro qual é a solução que a sua startup vai oferecer.
  3. Crie uma apresentação completa do projeto: Com logotipo, nome e identidade visual. A comparação com grandes modelos de sucesso pode ser um diferencial. Por exemplo: sou o Uber do transporte escolar; sou o iFood do mercado da moda; entre outros.
  4. Qual é a concorrência? Estude seus concorrentes. Se ainda não existem, é preciso analisar como eles poderiam surgir.
  5. Qual é a sua equipe? Os investidores querem saber quem é a sua equipe. Qual é a paixão e a dedicação que estão em jogo. Explique os pontos fortes dos membros do grupo, as áreas em que são especialistas e quais são os seus diferenciais.
  6. Modelo de negócio: como vai ganhar dinheiro com a startup? Quanto este negócio poderia crescer? Crie projeções com números e dados.
  7. Marketing, distribuição e dinheiro: Como será essa divulgação? Quanto você quer vender? Como vai investir o dinheiro? Tenha uma projeção da valorização da empresa e de futuras rodadas, de modo que o investidor possa ter uma ideia do sucesso que você planeja para a companhia.
  8. Seja diferente. Sem extravagancias, mas busque a confiança dos investidores. Busque matérias na imprensa, apoios de terceiros ou prêmios relevantes que possam ser destacados.
 

O que não fazer? Atenção para os erros comuns

A maioria das startups busca investimento ainda na fase de idealização do negócio, ou seja, quando ainda está pensando em como resolver o problema. Nesta etapa inicial ainda não é possível provar para o investidor a tração do negócio. A sua força e consistência.

“O ideal é a startup buscar investimento quando já tiver ultrapassado a fase de validação da ideia e também a fase de teste do produto. Estamos com solidez e entregando a solução? Ok, então estamos prontos para crescermos aumentando a base de clientes e o faturamento. Esse sim é o cenário ideal para os investidores”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP.

 

Uma boa ideia já basta para uma startup?

De acordo com pesquisa da Fundação Dom Cabral, uma em cada quatro startups (25%) fecha com menos de um ano de funcionamento. E 50% não sobrevivem a quatro anos de funcionamento. Os motivos, segundo a pesquisa, vão da falta de capital à divergência entre sócios, passando pela falta de planejamento, inexperiência em gestão, ausência de processos e problemas com o time.

Fica claro, portanto, que somente “uma boa ideia” não basta. É preciso adquirir conhecimentos sobre o negócio, aprender a liderar, criar ferramentas de gestão e aprimorar cada vez mais o time, mesmo que ele tenha poucas pessoas. Está aí a diferença entre um sonho de uma ideia genial e a criação de um business ancorado com visão e futuro sólido.

 

Exemplo na prática

Amigos na faculdade de arquitetura, Giovanna Machado e Lucas Serrano se tornaram sócios na criação de uma startup na área de decoração de móveis. Em entrevista, os empreendedores explicam que o passo a passo, na prática, é de muito suor e entrega até chegar à etapa do investidor.

“Sem orientação, sem capacitação, sem equipe, sem uma mentoria especializada… é praticamente impossível você chegar lá. A minha dica para quem está na prática e começando, como nós, é a seguinte: tenha planejamento profissional e siga as estratégias necessárias. Porém, jamais perca a paixão e o brilho no olhar pela startup, pela grande ideia de inovar e transformar”, comentou Giovanna.

 

Dicas finais

Na lista de dicas finais, destacamos:

  • Investimento no time. Sozinho não chegamos a lugar algum. Tenha a melhor equipe. E a equipe mais apaixonada.
  • Tenha uma estratégia com o Plano de Negócios bem definido.
  • Busque o suporte financeiro adequado. Aceleradoras, incubadoras e redes de apoio (com networking bem trabalhado) podem ser fundamentais para o seu projeto.
  • Dedique energia na sua startup. Sem tempo e energia dedicados, você não vai chegar lá. É preciso encarar o desafio com coragem e entrega completa.
 

Vamos inovar?

Pronto para fazer a sua startup decolar? Conte com as soluções oferecidas pela CMP Business Solutions. Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Escolhida por mais de 250 empresas e mil executivos. Clique aqui e fale com a nossa equipe de atendimento.

Categorias
Informações

ICP de Vendas funciona como? Acompanhe dicas para não errar

O assunto ICP de Vendas virou pauta de debate na sua empresa. Mas ficou aquela dúvida sobre como funciona o ICP de vendas na prática. Quais seriam os erros mais comuns cometidos pelas empresas? Quais seriam as dicas voltadas para gestores e empreendedores? Reunimos informações, dicas e curiosidades aqui neste artigo com o que você precisa saber sobre ICP de Vendas para fazer a diferença.

Começamos com a introdução básica no assunto. ICP você pode chamar de Perfil de Cliente Ideal, o Ideal Customer Profile. Trata-se de um perfil representativo de clientes-chave para o qual a empresa deve direcionar esforços de prospecção para obter mais resultados em vendas. Tenho o perfil do meu cliente bem definido. Vou conseguir mais vendas e realizações através desta estratégia.

Definição e Personas

O Cliente Ideal pode ser definido por elementos como região, cargo e setor. A elaboração da “persona” é uma etapa tática que deve apoiar a elaboração de campanhas de vendas e marketing. Lembrando que Persona e ICP são coisas diferentes.

A persona apresenta características físicas, psicológicas e comportamentais (preferências e costumes de compras e consumo, por exemplo). Também apresenta uma criação de histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações. Já o ICP é quando o cliente se mostra engajado com a sua marca e possui as necessidades atendidas através do que é oferecido. Logo, um único ICP pode ter várias personas.

Uma empresa B2C (comercializa com o cliente final) levanta informações importantes na hora de traçar o ICP. Como: frequência de compra, engajamento com a marca, importância do produto, ticket médio e, por fim, se o produto consegue atender as necessidades do cliente.

Uma empresa B2B (comercializa com outras empresas) levanta as seguintes informações: área de atuação, localização, porte da empresa, estrutura, qual é o ciclo de vendas realizado, ticket médio, entre outros.

É importante reforçar que a identificação do melhor Perfil de Cliente é uma tarefa fundamental para que o seu serviço ou produto tenha fácil aceitação e os resultados sejam efetivos. ICP e persona são processos importantes quando falamos em planejamento de vendas – seja no digital ou no ambiente de lojas físicas.

Dicas na prática

Selecionamos dicas para colocar em prática na sua empresa com a estratégia do ICP de Vendas. Vamos lá:

  1. Use dados de clientes reais da empresa, caso estejam disponíveis
  2. Desenhe um único perfil
  3. Saiba quais as dores e os desafios do cliente
  4. Entenda qual é o comportamento de compra desse cliente
  5. Saiba quais são as objeções do cliente sobre produto ou serviço
  6. Saiba quais são os objetivos e a missão com a função na empresa e no negócio
  7. E saiba também qual é a jornada do cliente dentro do seu negócio, com pontos de contato com seu produto ou serviço

 

Alerta para os erros mais comuns

Ok. Vou trabalhar com ICP de Vendas na minha empresa. Mas antes de começar, um alerta importante: selecionamos quais são os erros mais comuns neste início de implementação do ICP de Vendas. Acompanhe a seguir para não errar:

  • Não investir tempo e agenda para construir, com base no histórico, qual é o ICP da empresa; como ele se comporta e quem são as personas
  • Não mapear as dores e as necessidades dos leads gerados para equipe de vendas
  • Não saber qual não é o perfil do cliente ideal do seu negócio

 

CRM ideal para chegar ao Cliente Ideal

“Ter o CRM é muito importante, pois ira ajudá-lo com base estatística e com dados. A base de clientes é uma importante fonte de informações para a definição e, principalmente, os indicadores de performance. É no CRM com a base de clientes que os dados reais de valores, tempo de permanência do cliente, perfil com melhor exploração, vendas e margens serão encontrados para a definição do ICP”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP.

“Algumas empresas, em início de operação, podem entrar num mercado completamente diferente. Ou empresas que nunca acompanharam a performance de forma sistêmica. Nesses casos temos que criar suposições e cenários com base no mercado e nos principais concorrentes”, acrescentou Marcus Campos.

Lembrando que as empresas que já trabalham com ICP de Vendas também precisam ter atenção com as atualizações constantes desse planejamento estratégico, ajustando o funil de vendas com base no histórico de conversões. Ter o total controle da jornada do seu cliente, conhecendo-o de forma ampla e profunda, fará toda a diferença nos resultados obtidos a curto, médio e longo prazo.

Além dos resultados imediatos, outro ponto de destaque está no atendimento mais consultivo ao cliente. Ou seja, aqui falamos de maior fidelização dos clientes com a sua empresa.

Tenho dúvidas sobre a área comercial da minha empresa

Acompanhando esse processo de evolução das empresas, você ficou com dúvidas? Será que a maturidade comercial da sua empresa está desenvolvida e atuante com a realidade atual? Neste link, oferecemos um diagnóstico gratuito sobre a maturidade comercial. É de graça. Faça o diagnóstico para saber mais.

Você também pode entrar em contato conosco através dos nossos canais de atendimento. A CMP Business Solutions é associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP. WhatsApp: 12 99200-4654.

Categorias
Informações

Customer Centric: Entenda exemplos para colocar em prática

Vamos mostrar na prática e com exemplos como funciona o Customer Centric. Você sabe o que é? Já pensou em colocar em execução um projeto neste sentido? Acompanhe a seguir nossas dicas e informações voltadas para este projeto dentro da sua empresa.

Conceitos Customer Centric

Começamos explicando o que é Customer Centric – o Cliente no Centro. Trata-se de uma estratégia que coloca o consumidor como o foco principal de todas as decisões da empresa.

A Centricidade no Cliente resulta em benefícios imediatos. Como, por exemplo: aumento das taxas de aquisição, conversão e retenção de clientes – a fidelidade. O objetivo de fidelizar os clientes é fundamental neste projeto. Com consumidores mais satisfeitos, as empresas garantem que eles voltem sempre. É preciso conhecer o perfil de cada cliente e treinar os colaboradores; modificar a sua cultura organizacional; além de planejar e programar medidas para que o cliente tenha uma boa experiência.

Nos últimos anos, presenciamos um aumento desta centricidade. A distância física para os clientes (com home-office e trabalho online) é um dos motivadores deste aumento. Isso sem falar na suspensão de algumas atividades por causa da pandemia ou na comercialização de produtos pelas redes sociais.

Os números do Customer Centric

Você sabia que buscar novos clientes pode custar até cinco vezes mais do que manter os clientes existentes? Mas como garantimos essa fidelidade? Antes das dicas, outro número importante: um aumento de 2% na retenção de clientes tem o mesmo efeito nos lucros que os custos de corte em 10%. De acordo com pesquisas do Sebrae divulgadas em 2021, as empresas brasileiras perdem em média aproximadamente 10% de sua base de clientes a cada ano.

O termo dessa perda também é conhecido como “churn do cliente”. Para calcular a taxa de churn, é preciso mensurar o número de clientes que saíram nos últimos 12 meses divididos pela média de clientes totais (durante esse mesmo período).

Outro cálculo muito buscado é o Valor do Tempo de Vida do Cliente, o CLV – Customer Lifetime Value. Ou seja, há quanto tempo você tem aquele mesmo cliente consumindo os produtos oferecidos pela sua empresa?

Pontos de atenção e características

“Alguns pontos de atenção que vejo estão na cultura empresarial e na cultura da liderança no trato com o cliente. Empresas que tratam clientes como vilões estão fadadas ao fracasso. Sem cliente nenhuma empresa privada existe ou sobrevive”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP.

As principais características desta mudança nós podemos destacar assim:

– Ter agilidade no atendimento ao cliente;

– Ser pró-ativo e se antecipar às necessidades do cliente;

– Ter uma equipe treinada no atendimento ao cliente e alinhada aos conceitos de gerar valor efetivo.

Exemplos na prática

Na lista de exemplos para colocarmos em prática, podemos destacar o projeto Customer Experience – termo em inglês que significa “experiência do cliente”. Aqui é importante não se preocupar apenas com a satisfação do cliente em relação ao produto, mas também em todas as interações que ele tiver.

* Uma fábrica de produtos para higiene pessoal de São José dos Campos, coloca o cliente no centro ao convocar o público-alvo da marca de shampoo infantil para a experimentação do produto. Os pais recebem o shampoo, conhecem toda a estratégia por trás da criação e depois retornam para o Customer Experience com o feedback específico daquele produto.

* A fábrica de calçados convoca uma lista de clientes para a apresentação das novas sandálias de verão. Os clientes calçam o produto, experimentam e entendem todo o planejamento do projeto.

* Por fim, podemos citar a empresa de software que cria aplicativos. Ela pode convocar o cliente para acompanhar os bastidores da programação e do desenvolvimento. Explicando como o app funciona e quais são suas vantagens na prática. Também é uma experiência mais próxima.

“Na prática é preciso criar uma jornada do cliente oferecendo uma ótima experiência desde o primeiro contato com a marca até a relação posterior à compra”, acrescentou Marcus Campos.

O passo a passo para praticar

Vamos praticar o projeto Cliente no Centro? Então anote as dicas:

* Ouça o cliente. Envie perguntas poderosas a ele. Faça com que ele exemplifique e destaque quais são seus anseios, dúvidas e críticas.  

* A satisfação do cliente é fundamental para o seu trabalho. Não adianta se conformar com a entrega correta do produto. O carro foi entregue perfeitamente. Porém o cliente não gosta de vermelho. E os carros são vermelhos. Pronto. Temos um erro aí.

* O cliente precisa ser parte da solução. Participar ativamente do desenvolvimento do produto.

* Tenha estratégia e planejamento para criar a jornada completa do seu cliente.

* Também é importante monitorar os dados e realizar verificações constantes. Mapeando os clientes digitalmente.

* Por fim, é preciso empoderar e recompensar clientes e funcionários com frequência.  

O segredo para criar uma cultura centrada no cliente? Mude a mentalidade em torno da compreensão das necessidades dos clientes. O foco precisa estar na satisfação das necessidades dele.

Erro comum?

“O principal erro que vejo nessa centralização é a empresa ser entusiasta com o cliente, mas sem ser genuína. Não está no DNA da empresa focar efetivamente no cliente e prover uma boa experiência. Então fica algo que não funciona, fica algo forçado”, alertou o especialista Marcus Campos.

Quero colocar meu cliente no foco!

Mas e você? Qual é a realidade da sua empresa? Vamos trabalhar com Customer Centric? Deixamos nossos contatos a seguir.

A CMP Business Solutions é associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos, Região Bragantina e Cidades da Zona Norte Metropolitana de SP. Aguardamos seu contato no WhatsApp: 12 99200-4654.

Categorias
Informações

Fundação Dom Cabral: Conhecimento que se renova há 45 anos

A educação como um movimento que muda tudo à sua volta em um raio infinito. Que se expande e faz pulsar a sociedade. É assim que a Fundação Dom Cabral (FDC) se transforma e transforma o mundo há 45 anos. E, a cada novo ciclo, surge uma nova FDC. Mais forte e mais atual. Diferente. Ao mesmo tempo, a FDC de sempre: inquieta, curiosa, inovadora, empreendedora. E, acima de tudo, consistente. E sua trajetória é repleta de conquistas. Entre rankings e certificações, milhares de alunos, centenas de professores, 23 associados regionais em todo o Brasil, a instituição se consagrou, em 2020, a 9ª melhor escola de negócios do mundo, de acordo com o jornal inglês Financial Times.

 

O caminho percorrido pela FDC ao longo destes 45 anos contou com alguns pensamentos norteadores, de acordo com seu cofundador e presidente da Diretoria Estatutária, professor Emerson de Almeida. A intenção da FDC foi se consolidar como uma “catedral”, no sentido de ser vista de longe, como uma referência, com cada pessoa da instituição tendo seu papel e sua contribuição. Outra escolha importante, foi trabalhar em parceria com empresas e estabelecer alianças com outras escolas. Para o professor Emerson de Almeida, “uma organização só vai bem se as outras também forem bem-sucedidas”, destacou.

 

Desde o início da jornada da FDC, o professor Emerson conta que as pessoas envolvidas nesta consolidação abraçaram a ideia se construir um legado para o país. “A equipe se moveu por uma força mágica, invisível. Pairava no ar um sentimento de aventura e isso era o suficiente para tornar o impossível um desafio prazeroso”, conta o professor. Algo muito importante para a evolução da FDC foi a busca pelo conhecimento mundo afora e seu compartilhamento interno. “Trabalhar com o cliente e não para o cliente é um dos pilares da instituição, além do conhecimento acumulado no ambiente das organizações”. Neste ponto, ele ressalta a importância dos gerentes, professores e associados regionais para uma escuta sensível aos anseios do mercado.

 

Sobre os momentos de desafios, principalmente, aqueles que o mundo atravessa agora, o professor Emerson é categórico. “Estamos convencidos de que as crises não são necessariamente nem catastróficas, nem demonstrações de fracasso. Aprendemos a transformá-las em oportunidades”, finaliza em tom otimista.

 

Celebração

Com 45 anos, a FDC se renova com objetivo de criar conexões e formas de aprendizagem em um mundo que exige coragem e mudanças. Sem perder de vista a relevância, o sentido e a função social, várias atividades serão realizadas ao longo deste ano, com início no mês de agosto, para celebrar a data que tem como marco o dia 9. Entre elas, grandes nomes do cenário político, empresarial, ambiental e social, se reunirão para inspirar e mobilizar a sociedade brasileira para a construção de um novo projeto para o Brasil. O tema ESG, sigla usada para se referir às melhores práticas ambientais, sociais e de governança, também será contemplado na programação comemorativa.

 

Consciente de seu papel de ser útil à sociedade e de seu compromisso com o desenvolvimento e inclusão social por meio da educação, em 2020, a Fundação Dom Cabral lançou o FDC – Centro Social Cardeal Dom Serafim. Foi concebido com o intuito de oferecer oportunidades para a redução das desigualdades sociais e promover o desenvolvimento econômico no Brasil. Trabalha para atender pessoas em situação de vulnerabilidade social, empreendedores populares, gestores de organizações sociais e as próprias instituições do terceiro setor, por meio do desenvolvimento e capacitação, além de ofertar um programa de bolsa de estudos para programas da FDC e de graduação.

 

Dentro do pilar do empreendedorismo social, o FDC – Centro Social Cardeal Dom Serafim disponibiliza o Movimento Pra>Frente, criado para contribuir com o desenvolvimento econômico, por meio da educação de nano e microempreendedores populares e que vai trazer como novidades para este ano especial, uma nova plataforma de ensino, mais acessível e dinâmica.

 

Educação para o futuro

Para atender o mercado, principalmente em tempos desafiadores, a FDC inovou seu portfólio com a criação de novos programas. Hoje a FDC conta com cerca de 60 programas em seu portfólio, além de programas customizados voltados para o setor público e para as grandes organizações privadas. Investiu vigorosamente no modelo on-line de suas soluções educacionais, sempre em consonância com as necessidades das organizações privadas e públicas.

 

Segundo o presidente executivo da Fundação Dom Cabral, Antonio Batista da Silva Junior, a FDC acredita no importante papel transformador da educação e, desde sua origem, atua de forma proativa nesta constante jornada. “A nossa instituição escolheu a educação como o caminho para contribuir com o desenvolvimento sustentável da sociedade. Acreditamos que a educação é transformadora. Ao completar 45 anos, nos amparamos na nossa história e nos nossos princípios para sonhar os próximos anos”, afirma.

 

História

Fundada em 1976 por Dom Serafim Fernandes de Araujo e pelo professor Emerson de Almeida, a Fundação Dom Cabral nasceu como uma instituição autônoma e sua governança contempla um Conselho Curador e um Conselho Fiscal, além das Diretorias Estatutária e Executiva. A FDC Iniciou seus trabalhos em empresas localizadas em Minas Gerais e, aos poucos, expandiu sua atuação para os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, apoiando empresas no processo de modernização gerencial e desenvolvimento de recursos humanos, adaptando os conceitos de administração à realidade brasileira.

 

Ao longo de seus 45 anos, a FDC enfrentou e superou vários desafios que ajudaram a fortalecer seu crescimento, sempre alinhado com a missão de contribuir para o desenvolvimento da sociedade. Neste percurso, um trecho que se destaca é a construção do principal campus da FDC: o campus Aloysio Faria, que é um dos fatores de promoção e prestígio internacional da Fundação Dom Cabral. Toda a infraestrutura, que engloba a arquitetura da construção, a tecnologia por trás das instalações e até mesmo a beleza dos arredores, proporcionam uma experiência única aos participantes e visitantes do campus, vindos de diversos lugares do mundo.

 

“No dia 9 de agosto, além dos 45 anos da FDC, celebramos também os 20 anos de inauguração do campus Aloysio Faria, cuja viabilização tem muito a ver com os fundamentos e anseios do nosso time em fazer a diferença na região onde nascemos. Alcançarmos nosso objetivo de oferecer um campus único”, conta o professor Emerson de Almeida. O reconhecimento oficial de tudo isso aconteceu em 2019, quando a FDC conquistou o inédito 1º lugar no ranking da Financial Times na categoria Instalações com o campus Aloysio Faria.

 

Internacional e relevante

A FDC desenvolveu uma bem-sucedida estratégia de internacionalização ao estabelecer alianças com instituições de ensino desde o início de suas atividades. Em 2009, ampliou suas conexões o exterior ao criar o Conselho Consultivo Internacional composto por membros de mais de 20 países. Suas parcerias possibilitam a atuação em países como África do Sul, Argentina, China, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, México, Peru, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suíça e Venezuela.

 

Para completar o caráter global da instituição, a FDC é certificada pelo Europen Quality Improvement System (EQUIS) e The Association of MBAs (AMBA®). Faz parte da Business Education Alliance (AACSB), da European Foundation for Management Development (EFMD), do Consejo Latinoamericano de Escuelas de Administración (CLADEA), do International University Consortiun (UNICON), do International Consortium for Executive Development Research (ICEDR), da Global Business School Network (GBSN) e do Executive MBA Council.

 

Ranking

Desde 2020, a escola ocupa a 9ª posição entre as melhores do mundo. Este é o 15º ano consecutivo em que a FDC figura entre as melhores, de acordo com o ranking do conceituado jornal inglês Financial Times, tendo se destacado em diversas categorias. Entre os programas abertos ofertados, foram destaques na avaliação em Métodos de Ensino e Materiais (3º lugar), Design nos cursos (6º lugar) e Metas Alcançadas (7º lugar). Já entre os customizados, os destaques foram para: Instalações (7º lugar) e Uso Futuro (8º lugar).

 

Informações para a imprensa:

FSB COMUNICAÇÃO

Amanda Barbosa

(11) 95281-7782

Flávia Costa

(31) 98309-8419

Krishma Carreira

(11) 99467-8080

 

Contato

CMP Business Solutions, Associada à FDC no Vale do Paraíba e Alto Tietê – (12) 3206-8401/ (12) 99200-4654.

Categorias
Informações

Como inovar dentro de empresas tradicionais? Veja 5 dicas

Inovação é para empresa jovem e moderna, certo? Errado. Inovação é um pilar que pode ser utilizado por todos os tipos de empreendedores. Neste artigo reunimos dicas e informações para as empresas tradicionais que buscam a inovação. Para pequenos, médios e grandes. Como eu posso começar a inovar? Quais são os diferentes modelos? Há exemplos de empresas inovadoras para nos inspirarmos?

A seguir vamos nos aprofundar no tema. E, ao final do artigo, deixamos o link com a oferta gratuita de diagnóstico para a sua empresa começar a inovar ainda neste mês. 

O que é uma empresa tradicional?

Antes de qualquer coisa, é importante relembrar qual é o significado de uma empresa tradicional. No dicionário, tradicional significa “conservado ou fundado na tradição do passado”. O negócio tradicional é aquele que trabalha para resolver uma necessidade já bem conhecida. Este negócio está inserido num mercado consolidado e previsível. E o histórico dele está disponível e pode ser consultado pelos empreendedores.

Ok, entendido. Mas uma empresa tradicional que comercializa roupas, por exemplo. Ela pode se transformar com características inovadoras para fazer a diferença no mercado? A resposta é sim. E explicamos mais detalhes a seguir.

Como inovar na minha empresa?

A inovação pode estar presente nos detalhes mais simples. E também em mergulhos mais profundos e complexos. Um mural físico e aberto, por exemplo, com espaço para os funcionários contribuírem com ideias inovadoras. Poderia ser um primeiro passo.

Ainda nesta linha, há empresas que realizam ações relacionadas ao Programa Boa Ideia. Uma fábrica de automóveis, por exemplo. Criou o Programa Boa Ideia, recebendo sugestões através dos gestores. Um dos funcionários sugere separar as peças descartáveis na linha de produção. E não somente jogá-las no lixo. O reaproveitamento gera economia para a empresa. Bingo! O funcionário é premiado com a sugestão. A empresa, portanto, investe em inovação.

Sobre características e diferentes modelos, podemos destacar dois tipos:

  • Inovação Aberta: Grandes empresas utilizam muito. “Abrem” suas portas para mentores externos, inserem startups em sua cadeia de valor com estímulo para criação de soluções, entre outras possibilidades que surgem fora da companhia.
  • Inovação Fechada: É mais tradicional. A própria empresa estimula a inovação internamente entre a sua equipe. Há, inclusive, empresas que criam uma área específica de inovação.

“São estratégias importantes para a transformação das empresas. A Inovação Aberta desenvolve a economia local, atrai projetos interessantes e resolve possíveis gargalos da empresa. As startups reúnem agilidade e a busca por soluções até então desconhecidas para a empresa tradicional”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba, Alto Tietê, Guarulhos e Região Bragantina – e que já foi escolhida por mais de 250 empresas na região.

Outros modelos bem conhecidos no mercado são “Programa de Ideias Kaizen” e “Design Thinking”. O primeiro com método japonês, da Toyota, em sistema de gerenciamento corporativo; e o segundo reunindo ideias e insights para abordar problemas relacionados a futuras aquisições de informações, análise de conhecimento e propostas de soluções.

5 dicas

  1. Boa Ideia: Criar projetos internos dentro da empresa com o objetivo de estimular (e premiar) os funcionários de acordo com as ideias que são colocadas em prática.
  2. Networking: Procurar cases de sucesso com outros empreendedores que trabalharam com projetos inovadores. Ampliar sua rede de contatos e realizar benchmarkings.
  3. Diversidade de pensamentos: Estimule a diversidade de pensamento dentro da sua equipe. Ter diferentes pensamentos será fundamental para o estímulo da criatividade no seu time.
  4. Tecnologia e Vendas: Unir as áreas de tecnologia e vendas é uma estratégia útil para alcançar resultados a curto e longo prazo pois com isso poderá conectar oportunidades de mercado com métodos internos de inovação.
  5. Inovação Aberta: Por fim, destacamos a possibilidade de abrir as portas da sua empresa para observações externas. Startups podem acelerar possíveis lacunas já existentes.

Exemplos de empresas inovadoras

Começamos com o exemplo clássico de empresa inovadora: Apple. Já imaginou se Steve Jobs não abrisse a Apple Store para demais desenvolvedores criarem seus aplicativos? Essa abertura democrática foi fundamental para o boom da marca mundialmente.

Mas agora vamos com o exemplo de empresa inovadora e regional. Você conhece o Grupo Oscar Calçados? Uma empresa consolidada. E que investiu na Inovação Aberta com o chamado “Acelera Oscar”. 

“Esta é a hora de conectar as suas ideias às reais necessidades do varejo”, anunciou Oscar Constantino, fundador do Grupo Oscar, em entrevista para divulgação do projeto.

No site oficial (aceleraoscar.com.br) é destacado: “o programa de inovação aberta tem o objetivo de conectar o Grupo Oscar, modelo de negócios mais tradicional, com o ecossistema de startups. A ideia é encontrar soluções para os desafios existentes no nosso negócio, o varejo de modo geral”, conta Bruno Constantino, diretor geral, em vídeo promocional.

O programa foi idealizado para reunir ideias e projetos de startups de todo o Brasil tem parceria com a Fundação Dom Cabral, através da CMP Business Solutions. “Vamos participar dos comitês avaliando os projetos inscritos. E também faremos o plano de crescimento e aceleração das startups finalistas, com mentoria e estudo aprofundado de mercado. É a empresa se conectando ao ecossistema de inovação”, explicou Marcus Campos.

Quero inovar!

Mas e você? Qual é a realidade da sua empresa? Vamos trabalhar com inovação na sua gestão? Deixamos dois links úteis neste sentido a seguir:

Aguardamos o seu contato. A CMP Business Solutions é associada à FDC no Vale do Paraíba e Alto Tietê, Guarulhos e Região Bragantina. (12) 3206-8401/ WhatsApp (12) 99200-4654.

Categorias
Informações

3 razões para mergulhar nos indicadores econômicos da sua empresa

Já acompanhou os indicadores econômicos hoje? O assunto ganha cada vez mais destaque no cenário empresarial. Neste artigo vamos mergulhar no tema, selecionando 3 razões para você saber mais sobre os indicadores econômicos do seu trabalho. Qual é o impacto positivo dos indicadores econômicos e financeiros nas empresas? Quais são os principais exemplos e as principais características? E quais dicas podemos deixar para quem quer ficar por dentro deste assunto? Acompanhe tudo a seguir. 

Entendendo os conceitos de indicador econômico

É preciso entender os números. Para que a sua empresa possa crescer de forma sustentável. Analisando os indicadores, é possível entender o cenário atual da sua organização e como ela pode dar os próximos passos com planejamento estratégico.

Mas o que são indicadores financeiros? São parâmetros que medem e avaliam o desempenho do controle da empresa. Essas métricas de resultado geram informações do âmbito financeiro para a análise de desempenho e de resultado. Ou seja, são dados obtidos através de demonstrativos que medem os resultados e o desempenho do negócio.

Índice de liquidez, margem de contribuição, fluxo de caixa e Demonstrativo de Resultado do Exercício são exemplos de indicadores financeiros para negócios. Veja a seguir características e curiosidades sobre diferentes exemplos de indicadores. Reunimos razões para você saber mais sobre o tema.

1: Entender o Indicador de Lucratividade

Não confundir com lucro. Lucratividade é o que indica a capacidade de um negócio obter resultados. Enquanto que o lucro seria o ganho da empresa, tirando impostos, despesas e etc. A lucratividade é uma porcentagem que mostra o ganho alcançado nas vendas realizadas. Para chegar nessa matemática, é preciso pegar o lucro, dividir pelo total de vendas e multiplicar pelo número 100.

Se o seu índice de lucratividade, por exemplo, for lá para baixo, é preciso tomar as estratégias necessárias imediatamente. Por isso se torna fundamental o mergulho neste tema.

2: Entender o Indicador de Rentabilidade

É rentável? Ou seja, qual é o retorno de determinado investimento sobre os gastos a longo prazo? Se o resultado atingiu o que se esperava no planejamento, então temos uma rentabilidade com resultado positivo. Caso o resultado tenha sido abaixo, então temos um quadro negativo e com a necessidade de tomada de decisões em relação à precificação, às despesas ou ao regime tributário.

3: Entender o Indicador de Liquidez

Este indicador financeiro mostra a velocidade e capacidade com que um ativo pode se transformar em dinheiro dentro da empresa. Temos o cálculo da liquidez de acordo com a possibilidade de cumprir os encargos de curto prazo. Aqui podemos falar de liquidez geral (medindo a capacidade de cumprir obrigações no curto prazo), liquidez corrente (predisposição em realizar obrigações no curto prazo), liquidez imediata (sobre caixa, aplicações financeiras e saldos bancários – de curto prazo), entre outras.

Ferramentas de controle financeiro

Há ferramentas gratuitas disponíveis na internet para o controle do indicador econômico da empresa. Modelos mais simples, além de modelos mais elaborados e pagos.

Na lista de softwares mais conhecidos na área de gestão financeira, podemos destacar ContaAzul, ZeroPaper, Nibo e Granatum. Os softwares são alimentados com os números da sua empresa. E as soluções através de relatórios e alertas já começam a ser apresentadas.

Mais dicas e curiosidades

Ainda poderíamos falar de giro de caixa, fluxo de caixa, entre tantos outros. Mas quais são as dicas práticas e imediatas para analisarmos os indicadores financeiros da empresa neste exato momento?

“A maioria das empresas, pequenas e algumas médias, faz gestão pelo saldo bancário. Quanto entrou, quanto saiu e quanto sobrou. Pronto. Porém fazer gestão pelo saldo bancário é como dirigir olhando apenas pelo retrovisor. Não é suficiente. Para dirigir e chegar a um destino com segurança, é preciso ter a visão completa da empresa. O motorista deve ver pelo para-brisa, pelo retrovisor dos dois lados, ver o display com informações básicas do tanque de gasolina. Na gestão empresarial não é diferente”, disse Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê – e que já foi escolhida por mais de 200 empresas na região.

“Ter dados de demonstrativo de resultados. Orçamento. Centros de custos bem estruturados com acompanhamento sistemático. Fazer a gestão do fluxo de caixa com uma visão futura, projeções de cenários. Essa rotina deve ser uma constante para qualquer empreendedor”, acrescentou Marcus.

A analogia do Carro

Com direito a um exemplo simples, como se a sua empresa fosse um carro, nossa analogia fica assim:

  • Empresa olhando somente o retrovisor? Está olhando para trás, o passado, algo que já foi.
  • Para brisa é o fluxo de caixa da empresa.
  • O capital de giro é o combustível do carro.
  • A velocidade do carro dita o ritmo que você quer alcançar. Se acelerar muito, aumenta o risco.
  • O freio ou desaceleração pode ser seguro, mas também pode te deixar para trás.
  • A área de Operações da empresa é o motor desse carro
  • É preciso haver sincronismo entre Operações, Finanças e Vendas para que as engrenagens do motor funcionem perfeitamente. Vai consumir mais combustível? Vai gastar mais dinheiro. Finanças é a consequência do processo de vendas e operação.

Vale lembrar que, independentemente do tamanho da empresa ou do mercado, é essencial conhecê-los profundamente, com mergulho completo, e saber realizar as interpretações de forma correta e clara. Ao dominar os indicadores econômicos, o gestor conhece mais o seu negócio, consegue enxergar os próximos passos com planejamento estratégico, além de saber bem quais são os principais pontos fortes e pontos fracos da sua empresa.

“A gestão econômica na empresa também varia de acordo com o porte da empresa, de acordo com a sua maturidade e de acordo com o seu segmento. Falar sobre índice de liquidez numa empresa com dois funcionários pode ser exagero. Então é preciso entender bem essa realidade da companhia para então desenvolver as melhores estratégias”, concluiu Marcus Campos.

Quer esse mergulho mais profundo?

Para mergulhar ainda mais no tema, temos um convite especial a você. Vem aí a palestra “Impacto positivo dos indicadores econômicos e financeiros nas empresas”, com Silvério Dias, uma realização CMP Business Solutions e BNI (Business Network International), em Mogi das Cruzes. A palestra é gratuita. Trata-se de um evento online e remoto, com dicas e informações sobre gestão financeira para pequenas e médias empresas. A data do evento é 10 de agosto de 2021. O horário: 19h00. É preciso se inscrever com antecedência clicando aqui.

Categorias
Informações

Soft skills: como desenvolver e se destacar

O que são soft skills e hard skills? Veja significado, diferenças e dicas para colocar em prática no seu dia a dia.

O termo “soft skills” está presente nos processos seletivos mais competitivos da atualidade. Gestores de Recursos Humanos querem saber se os candidatos estão preparados, também, emocionalmente para as vagas que concorrem. Essa preocupação é realidade nas seleções de novos líderes. Além de ser essencial para o melhor desenvolvimento dos novos empreendedores.

Mas qual é o significado de soft skills? Começamos explicando a diferença do termo para hard skills.

Hard skills: a tradução rasa poderia ser “habilidades difíceis ou pesadas”. São habilidades técnicas que você pode aprender e que são facilmente mensuráveis. Aprendi um novo idioma. Eu me formei em técnico de informática. É sempre mensurável.

Soft skills: a tradução rasa neste caso seria “habilidades suaves”. Mas não é essa a ideia, não. Melhor traduzir para “habilidades interpessoais”. São habilidades no relacionamento, na interatividade com outras pessoas, a parte mais emocional.

Os especialistas costumam exemplificar desta forma a diferença de Hard para Soft:

Sou formado em Química (Hard Skill) e fui contratado por este motivo para dar aulas na universidade. Porém, para garantir uma promoção na empresa, vou precisar das habilidades interpessoais (Soft skill). E se for nota zero neste quesito, a justificativa da minha demissão também pode ser a ausência de habilidades interpessoais.

Quais são as principais características do profissional que se destaca em habilidades interpessoais? Podemos falar de resiliência, empatia, colaboração, comunicação assertiva, inteligência emocional, entre outras.

“Há líderes e empreendedores se preocupam muito com o hard skill. Mas que deixa de lado o soft skill. E não pode. O lado humano é o diferencial nas gestões das empresas. Principalmente em tempos de trabalho remoto e pandemia, com as pessoas mais sensíveis, a habilidade interpessoal é um diferencial e tanto”, declarou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê – e que já foi escolhida por mais de 200 empresas na região.

Dicas de soft skills para se destacar

Selecionamos abaixo algumas reflexões e considerações que você pode colocar em prática no seu dia a dia no trabalho. Líderes e empreendedores precisam dominar essas técnicas e diferenciais para que se tornem referências para os seus times.

  • Saúde mental: Tenha atenção não somente com alimentação saudável e corpo saudável (prática de atividades físicas). O terceiro pilar, a mente sã, é tão fundamental quanto os demais. Significa saber administrar as suas emoções. Entender o que está sentindo. E se preparar para momentos de estresse, por exemplo. Estudar técnicas de meditação ou relaxamento para períodos do dia pode ser uma tática interessante neste sentido.
  • Gerenciar o tempo: Ah, está uma correria. Ah, me desculpe, mas ainda não li seu e-mail. Ah, minha cabeça está uma loucura essa semana. Ah, minha agenda está cheia. Essas desculpas não são nada positivas. Não pense que é interessante afirmar: “Trabalhei ontem até de madrugada”. Isso é péssimo. Significa que não soube administrar seu tempo. Significa que não soube delegar. Significado que está cansado e exausto.
  • Faça testes consigo mesmo: A ideia aqui é estimular o feedback livre das pessoas que estão no seu dia a dia. Peça para que elas te avaliem periodicamente. E dê também o feedback para quem está no seu time. Essa troca, sincera e aberta, é fundamental para crescermos.
  • “Independência emocional” e “bom senso em dia”: também são características do soft skill. Saber a hora certa de ouvir. Saber a hora certa de falar. Saber o melhor momento para o feedback. Coloque essas observações em prática.
  • Dicas finais: para as últimas dicas, destacamos características como Colaboração (ajudar os colegas no dia a dia); Flexibilidade (aprendendo a se adaptar com as mudanças); Empatia (se colocar no lugar do outro); e Comunicação (passando uma mensagem clara e assertiva).

Dicas até para o currículo

Até mesmo no relacionamento do LinkedIn ou na elaboração de um currículo, o soft skill pode fazer a diferença. Uma habilidade que tem se tornado o diferencial para retomar profissionais ao mercado de trabalho. Portanto, pode destacar suas qualidades como pró-atividade, facilidade com trabalho em equipe, entre outras.

Nossa dica final é a leitura do livro “Inteligência Emocional”, do autor Daniel Goleman.

Preparado para fazer a diferença? Lembre-se que um profissional repleto somente de Hard Skills não é um profissional completo.

Quero saber mais sobre soft skills

A nossa equipe de atendimento online aguarda o seu contato. A CMP Business Solutions é referência nacional nas áreas de Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Escolhida por mais de 200 empresas. Clique aqui e saiba mais.

Categorias
Informações

Diagnóstico gratuito: Como está a maturidade comercial da sua empresa?

Falamos sobre consultoria na área de vendas. Destacamos diagnóstico gratuito e online para avaliar maturidade comercial da empresa que você trabalha ou lidera. Faça o teste agora!

Seja em momento de crise econômica ou não, é necessário acompanhar de perto como está a área comercial da sua empresa. Um ponto fundamental para empreendedores e líderes. Estamos vendendo da forma correta? E alcançando os melhores resultados possíveis?

Aqui no Blog da CMP Business Solutions, oferecemos um assessment gratuito e online. Basta responder às perguntas abaixo. Mas acompanhe as instruções com atenção. Essa avaliação em formato de orientação é uma espécie de Raio-X para saber como está a maturidade da área comercial da empresa. Acompanhe a seguir.

O diagnóstico gratuito é um pontapé inicial para entender qual é a realidade da área de vendas neste momento. Lembrando que esse diagnóstico é confidencial. A equipe CMP vai entrar em contato com você, através do telefone deixado nos campos abaixo. Oferecemos essa orientação de forma gratuita e com recomendações práticas.

“Esse projeto do Diagnóstico Gratuito e Online é fruto de uma parceria que desenvolvemos com um professor especializado nesse tipo de assessment. Nossa ideia é oferecer esse apoio instantâneo e imediato, de forma inicial. Com o Raio-X em mãos o empresário terá dicas e orientações importantes para realizar os próximos passos”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê – e que já foi escolhida por mais de 200 empresas na região.

Quais assuntos são abordados no diagnóstico

Questionamos quais são os indicadores de performance que a sua empresa utiliza para acompanhar a gestão comercial e a gestão de marketing. No campo da resposta, além das opções em alternativas, também deixamos um campo aberto para comentários adicionais. Fique à vontade para detalhar mais como está essa realidade.

Outros campos importantes são os de contato. Nome, e-mail e telefone para que possamos dar um retorno, no prazo de 15 dias, com o seu diagnóstico online e gratuito.

Também perguntamos:

  • Qual o nível de concentração que sua empresa tem em termos de clientes?
  • Qual o nível de concentração que sua empresa tem em termos de produtos ou serviços?
  • Como você faz a sua gestão comercial?
  • Quais são as suas práticas de marketing?
  • Quais são os canais de vendas que a sua empresa adota?
  • Qual o nível de dependência dos seus canais de vendas?
  • Como você faz a análise da sua concorrência?
  • Como é desenvolvida a proposta de valor da empresa?
  • Qual é a sua estratégia de marketing digital?

Pontos de atenção antes de responder

Antes de começar o teste, lembre-se: é fundamental que tenhamos respostas sinceras para que o resultado do diagnóstico seja preciso. 

O diagnóstico leva cerca de 5 minutos, em média, para ser realizado.

Quer saber mais da CMP Business Solutions? Clique aqui para falar com a nossa equipe de atendimento online. A CMP Business Solutions é referência nacional nas áreas de Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Escolhida por mais de 200 empresas.

Diagnóstico

Categorias
Informações

Liderança Solitária? Solidão ao empreender? Como colocar para fora nossos erros e acertos

Empreendedores solitários precisam criar alternativas para o compartilhamento de derrotas e vitórias na gestão do dia a dia. Entenda por que esse desabafo é importante

A liderança é solitária. Empreendedores e gestores, certamente, já ouviram essa frase em determinado momento da carreira profissional. A arte de liderar (ou de empreender) sempre foi assim. Porém, em tempos de pandemia, essa solidão dos empreendedores se tornou ainda maior em função do isolamento. A equipe está de home office. As reuniões são por vídeo. E o empreendedor ou gestor sente falta de compartilhar ideias no tête-à-tête.

A seguir explicamos por que é fundamental não se afundar na gestão 100% solitária. E reunimos dicas para empreendedores que querem colocar para fora os erros e acertos do dia a dia. Comemorar e extravasar com as vitórias profissionais. E desabafar para tirar lições das derrotas.

“A liderança é solitária. Na hora de tomar uma decisão importante para a empresa, por exemplo. Vou demitir os funcionários da minha equipe? Será que estou tomando a decisão certa? Ou ainda: aquela inovação funcionou tão bem; queria ter alguém para comentar essa vitória. O gestor precisa tomar as decisões. E colocar isso para fora, compartilhando, tem muita importância”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê.

São empresários no divã. Com as tensões da crise econômica causada pela pandemia, mais do que nunca eles querem colocar para fora o que estão passando. A solidão é ainda maior entre o pequeno empresário. Afinal, muitas vezes, ele não tem sócio, gerente ou diretor dentro da companhia para a troca de informações.

“A minha empresa sou eu e eu mesmo. Ou sou eu e Deus. Às vezes desabafo com minha esposa (com meu marido). Mas ele (ela) não me entende. Será que outros empreendedores da minha área de atuação passam pela mesma coisa? Ah, mas não posso me abrir com um concorrente. Preciso passar a imagem de que está tudo bem. Não estou enlouquecendo. Eu acredito na salvação do meu negócio. Mas ninguém com quem converso acredita”.

Os diálogos acima estão frequentemente destacados por equipes especializadas que realizam diagnósticos de empresas e empreendedores. Durante a crise do coronavírus, a necessidade de conexão ficou forte. Pode ser para buscar novos negócios. Ou mesmo apoio um para quem teve de se reinventar.

Dicas para encarar a solidão

Na lista de dicas, começamos com as redes de networking para empresários. Pode ser um caminho interessante para a troca de experiências. Vale a rede social como o Linkedin. Vale o grupo formado no WhatsApp entre empreendedores. Mas mais do que isso: vale a pena buscar ajuda profissional e aprofundada sobre mentoria.

“Na CMP temos programas como o PAEX – Parceiros Para Excelência. O PAEX é uma solução para líderes com foco no aumento da competitividade e elevação dos resultados para empresas. Trabalhamos com metodologias ágeis e flexíveis que conduzem os líderes em discussões profundas de maneira customizada mas também coletiva, sobre a empresa em seu contexto e os capacitam para a gestão estratégica como um processo contínuo”, explicou Marcus.

“São programas que têm esse momento de networking, essa troca de experiências contra a solidão. Os comitês de presidentes, por exemplo. Os empresários percebem que suas dores muitas vezes são iguais, independentemente do setor. E ali, naquela conversa informal, eles descobrem soluções simples para problemas complexos. Desabafam sobre derrotas, comemoram as vitórias. Torna-se um ambiente propício não somente para a troca de experiências. Mas também para se fazer novos negócios”, acrescentou.

Mais dicas? O Sebrae, em São Paulo, criou uma mentoria gratuita de inteligência emocional para empreendedores. A oficina online é realizada pelo site do Sebrae. Acesse o site para mais informações sobre inscrições e metodologias aplicadas.

Mais dicas:

– É hora de solidificar a sua rede de networking. Envie mensagens não somente para falar de trabalho. Mas também para conversar sobre outros assuntos.

– Participe de palestras, oficinas, entre outros eventos online para a troca da experiências.

– Nas conversas com a equipe, troque as suas respostas por perguntas. Questione seu time dando abertura para a troca de opiniões e visões. Não venha com a resposta pronta e não flexível como dono da verdade o tempo todo.

– Tenha amigos e hobbies fora do trabalho. Aproveite os pequenos detalhes da vida. Dentro de uma conversa rápida no elevador pode pintar aquela ideia que vai mudar a trajetória da sua empresa.

– Cuide da sua saúde. Lembre-se: corpo saudável, alimentação saudável, mente saudável. Com esses três pilares, a gestão se torna mais efetiva porque você terá o foco necessário para as conquistas do trabalho.

Quer saber mais?

Fale com a nossa equipe de atendimento online. Aguardamos o seu contato. A CMP Business Solutions é referência nacional nas áreas de Soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva. Escolhida por mais de 200 empresas.

Categorias
Informações

Conheça as principais características do intraempreendedorismo

Selecionamos dicas para o intraempreendedor funcionário e também dicas para o intraempreendedor na liderança de empresas. Descubra curiosidades.

Você sabe o que é intraempreendedorismo, certo? Em inglês é usado o termo ”intrapreneur”. O significado direto é o empreendedor interno. Empreender dentro de uma empresa. Não confundir com empreendedorismo (a busca por novos negócios e organizações). O ato de intraempreender é a prática dentro de uma determinada empresa. Pois bem. Fechando o parêntesis da introdução, acompanhe a seguir as principais características do intraempreendedorismo. Selecionamos dicas para quem está na liderança. E também dicas para funcionários que querem fazer diferente em suas organizações. Acompanhe!

Características

A principal característica está na curiosidade. Busca por inovação, busca por atualizações e o intuito constante de fazer a diferença dentro da organização.

“É a fome por conhecimento. Aquele perfil que não se conforma com a zona de conforto, e está sempre buscando novas soluções”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê.

Ainda nas características, temos capacidade de assumir riscos, identificar oportunidades e um alto nível de criatividade.

O que o intraempreendedorismo reflete nas empresas? Reflete na melhora dos resultados!

Exemplos de intraempreendedorismo

O funcionário é estimulado para usar a criatividade e empreender dentro da empresa. Logo ele percebe que na fabricação das Havaianas, por exemplo, há um gasto excessivo para colorir as sandálias. E se nós utilizássemos aquele outro tipo de tinta? Mantenho a qualidade e reduzo os custos. Ponto para o intraempreendedor!

A liderança aprova o projeto. E melhores resultados são alcançados.

Na lista de exemplos, um destaque especial reconhecido mundialmente por utilizar o intraempreendedorismo da melhor forma é a 3M Company (a antiga Minnesota Mining and Manufacturing Company). O grupo econômico multinacional americano de tecnologia diversificada é reconhecido por investir em inovação e na valorização da criatividade da sua equipe.

Dicas para empresas

Na lista de dicas para a liderança e para as empresas, podemos destacar:

Crie um ambiente de inovação. Dê abertura para que colaboradores tragam sugestões, ideias. Beneficie o funcionário que fizer a diferença. Crie um Programa de Aceleração. Com time de inovação dedicado, como se fosse um acelerador interno. Destine investimento para tecnologia e novas ferramentas.

Dicas para funcionários

Na lista de dicas para funcionários e colaboradores, destacamos:

Sempre esteja atento aos movimentos de mercado. Inovações e mudanças. Não se contente com o status quo. Não fique acomodado e na zona de conforto. Navegue pela organização com inteligência e sabedoria. Invista no relacionamento com empatia com seus colegas.

Gestão para intraempreendedores

O desafio é que a empresa tenha estratégias eficientes para aproveitar ao máximo essas habilidades dos seus colaboradores. A gestão tem como meta otimizar e compartilhar o conhecimento de seus colaboradores, desenvolvendo suas habilidades como ferramentas de inovação.

Remodelar a cultura organizacional é um desafio que precisa ser encarado para essa implementação. A liderança deve gerenciar o aperfeiçoamento contínuo de seu capital humano e proporcionar qualificações através de cursos, treinamentos, remanejamentos e etc.

Como aplicar o intraempreendedorismo agora!

Quero me tornar um intraempreendedor na minha empresa. Quero liderar minha empresa no processo de intraempreendedorismo. Para saber mais, consulte a equipe de atendimento online da CMP Business Solutions. Referência na área, a CMP tem o plano ideal para a sua necessidade.

Categorias
Informações

Gestão Financeira sem errar? Descubra 3 erros mais comuns

Dicas, acertos e erros para uma gestão financeira efetiva em tempos de crise.

O assunto é Gestão Financeira em tempos de crise ou em momentos mais tranquilos. Como cuidar das contas de forma efetiva? Neste artigo selecionamos os 3 erros mais comuns em Gestão Financeira. São alertas para que você não erre também. Somando com dicas e sugestões de livros para se aprofundar neste assunto. Acompanhe!

O primeiro passo é conseguir, minimamente, fazer o planejamento financeiro olhando para frente. Não somente no retrovisor. “Quanto entrou, quanto gastou, quanto sobrou”. Não. É preciso haver planejamento do fluxo de caixa com um visão de pelo menos, nos próximos três meses. Mas quais são os erros mais comuns de líderes e empreendedores?

1: Misturar o lado pessoal com o empresarial

Esse é batata. Empreendedores caem nessa cilada todos os dias. Há muitos exemplos no segmento empreendedores como por exemplo médicos. O consultório está cheio de pacientes. Mas nas planilhas da equipe de finanças, temos ali gastos com um consórcio de carro; gastos dos filhos do médico; gastos com supermercado; enfim, não se recomenda.

Misturar pessoa física com pessoa jurídica nunca dá certo. Empresas familiares caem muito nesse erro. A Gestão Financeira não consegue enxergar o nível de capital que a empresa está gerando. Muito menos sua rentabilidade.

2: Fluxo de caixa?

Sim, fluxo de caixa. Fazer a projeção é fundamental. Um bom início é projetar o DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício). Mas o fluxo de caixa também deve estar ali no planejamento e na rotina com o controle de lançamentos diários. A gestão precisa entender qual o saldo que vai ter para girar ao longo de determinado período.  E entender o saldo de capital, o saldo acumulado, entre outros indicativos fundamentais para fugir dos erros em gestão financeira.

3: Não sei o que é preço de venda

Encerrando a lista dos erros mais comuns, temos o preço de venda. Vamos ao exemplo. Você comprou determinada mercadoria por um preço bem mais barato para a sua loja. Está com o seu produto pronto. E colocou na prateleira com o preço lá embaixo.

Mas detalhe: você não avaliou o seu preço de venda. E descobriu que os concorrentes estão vendendo bem e por um preço muito maior. Portanto, a sua margem de lucro neste caso será mínima ou as vezes até negativa. Sendo que a demanda existe e com potencial de lucro maior.

O mesmo vale para o inverso. Comprei uma mercadoria acima do preço. Coloquei meu produto com o valor lá em cima. Mas os concorrentes estão vendendo por preço inferior. Portanto, também terei problemas pois não serei competitivo em relação aos competidores.

Fazer o cálculo correto é necessário para obter o retorno almejado. Por isso é preciso saber calcular o preço de venda ideal, acompanhando diversas variáveis (custo do produto, depreciação, valor agregado, experiência de consumo, concorrência, entre outros).

“São erros comuns que encontramos no mercado, principalmente com empresas familiares. Entramos com um diagnóstico inicial, levantamos essas questões, e depois desenvolvemos um planejamento estratégico completo para que a empresa tenha uma Gestão Financeira assertiva”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê.

Ainda poderíamos citar a falta de controle de estoque, elaboração correta de plano financeiro, ferramenta para gerir finanças, gestão de lucros, entre outros pontos.

Dicas de livros sobre Gestão de Finanças

Para encerrar, selecionamos dias de livros para quem quer saber mais sobre essa área. Um livro como sugestão para empresários e líderes. Outro livro como sugestão para quem está iniciando suas pesquisas neste segmento.

“Princípios de Administração Financeira”, de Lawrence J. Gitman.

“Pai Rico, Pai Pobre”, de Robert Kiyosaki e Sharon L. Lechter.

Boa leitura! E nossa equipe de atendimento online aguarda o seu contato. Para saber mais sobre Gestão Financeira, fale com a CMP Business Solutions.

Categorias
Informações

Entenda BSC e OKR e saiba qual escolher

Explicamos o que é BSC; o que é OKR; descubra qual é a melhor escolha para a atual realidade da sua empresa. Falamos sobre estratégias de gestão de negócios.

O que é BSC. O que é OKR. Qual a diferença de BSC e OKR. E qual é a melhor opção para a realidade da sua empresa. Detalhamos as diferentes estratégias de negócios neste artigo. E explicamos por que o Google, com OKR, transformou seus resultados tão rapidamente.

BSC: longo prazo

Balanced Scorecard, ou Indicadores Balanceados de Desempenho, é uma metodologia de medição e gestão de desempenho desenvolvida em 1992 pelos professores de Harvard, Robert Kaplan e David Norton. Empresas do mundo inteiro utilizam a metodologia BSC desde então para alcançarem os melhores resultados.

“BSC é mais indicado em planejamento a longo prazo. Uma estratégia olhando para daqui a dois, três anos, por exemplo. Aquela semente plantada, aquele investimento ou projeto estratégico com foco lá na frente”, analisou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê.

Balanced Scorecard (BSC) em gestão estratégica reúne objetivos estratégicos e resultados avaliados através de métricas. Métricas, as measures no BSC, ajudam a avaliar se estamos tendo sucesso nessa busca pelos objetivos traçados.

A arte abaixo exemplifica 4 perspectivas de planejamento do BSC.

1: Financeiro. Para ter sucesso, quais devem ser os resultados para os acionistas e investidores?

2: Cliente. Para alcançar nossa visão, como devemos ser vistos pelos clientes e como gerar valor?

3: Processos internos do negócio. Para satisfazer os clientes, em quais processos devemos nos sobressair, como ganhar eficiência.

4: Crescimento e aprendizado. Como sustentar a habilidade de mudar e progredir? Retendo os melhores talentos na empresa?

Ao definir Balanced Scorecards, os objetivos são geralmente definidos com um horizonte a longo prazo. A partir daí definem seu roadmap de iniciativas.

OKR: curto prazo

A sigla ORK significa Objectives and Key Results (Objetivos e Resultados Chave). Trata-se de metodologia utilizada por empresas para medir os resultados de um determinado período. O objetivo da OKR é organizar resultados e metas das empresas. A criação é atribuída a Andrew Grove, chamado de Pai do OKR. Trabalhou na década de 70 na Intel com a implementação da metodologia.

OKRs compreendem uma meta clara definida. E um ou mais resultados chaves. A meta é encontrar ações concretas, específicas e mensuráveis.

“OKR é para atender o curto prazo. Ciclos mais curtos. Você pode trabalhar por trimestres, com prazos mais imediatos e um time engajado em prol do objetivo. Principalmente em tempos de crise, os objetivos e as metas das empresas mudam com mais frequência. Então OKR tem essa flexibilidade necessária para o que está logo ali. Problema sério no fluxo de caixa na empresa, tem que ser resolvido imediatamente, cria-se um time e um OKR específico e não posso utilizar BSC pensando a longo prazo para esta situação”, destacou Marcus Campos.

Definindo os objetivos de OKR, observamos:

Objetivos precisam ser claros e de fácil memorização. Sucinto. Simples. A leitura deve ser rápida, garantindo ao leitor que grave praticamente instantaneamente. Esses objetivos podem e devem se adaptar a fim de se adequarem à cultura da empresa e seus funcionários. Uma curiosidade: gírias e jargões internos são bem-vindos.

Quais são as características de bons key-results? Ao se definir as KRs (Resultados chave), há os seguintes pontos a serem observados.
Um objetivo bem feito tem de 3 a 5 KRs. Mais que isso, atrapalha o foco. E cada KR deve ser motivador e desafiador de ser cumprida. Se a sua realização for algo sem riscos, não se justifica a sua presença.

Quem popularizou a metodologia de OKRs no Vale do Silício?

Aqui estamos falando do Google. A gigante de tecnologia, com Larry Page (CEO), iniciou a metodologia OKR em 2011, com ciclos de seis meses a um ano. Conforme publicou em sua biografia, Larry Page conseguiu multiplicar os resultados de sucesso da empresa a curto e longo prazo.

Com o Google como exemplo positivo no mercado mundial, o OKR passou a ser visto com bons olhos por várias empresas do Vale do Silício. Veio então a popularização mais global da metodologia.

OKR ou BSC

A dica da CMP Business Solutions é encontrar uma solução híbrida entre as duas metodologias, de acordo com a necessidade de cada empresa. Se há urgências para o curto prazo, a melhor opção é o OKR. Trabalhando com planejamento estratégico a longo prazo, podemos falar de BSC e ambos podem ser combinados.

O fundamental é ter a flexibilidade para se transformar de acordo com os sinais da empresa. A CMP reúne resultados positivos com OKR e BSC com diferentes clientes. Nossa equipe de atendimento aguarda o seu contato para esclarecer possíveis dúvidas sobre OKR e BSC. Até mais 🙂

Categorias
Informações

Mentoria em Gestão de Negócios. Começo por onde?

O que é mentoria empresarial. Como funciona. Diferenças de mentoria e consultoria. Mentor precisa ser mais velho? Quais são os valores? Treinando sucessores da família. Veja um resumo para se atualizar com este tema.

Apresentamos o pontapé inicial para o assunto Mentoria em Gestão de Negócios. Por onde começar? Vamos lá. Criar uma empresa, levando-a ao desenvolvimento e ao sucesso, é um desafio diário para os empreendedores. Empresários precisam tomar decisões difíceis. E precisam da experiência necessária para encontrarem as melhores soluções. A orientação de um Mentor se faz necessária. E a seguir nós explicamos por quê.

O que é?

O que é Mentoria em Gestão de Negócios? É uma solução que auxilia empreendedores ou funcionários de uma empresa a conhecerem melhor o mercado e suas possibilidades, através de estudo aprofundado e relevante. O objetivo é proporcionar ao empresário uma assistência, com o mentor disposto a compartilhar seu conhecimento adquirido ao longo dos anos em determinada área. O mentor é capaz, por exemplo, de analisar outras empresas e aconselhar os proprietários sobre os pontos positivos e negativos da companhia e traçar um plano para desenvolvimento em conjunto com o orientado.

Como funciona?

Mas como isso funciona? Como alcançar os melhores resultados? A mentoria dá suporte e encoraja outra pessoa a desenvolver suas habilidades, dando a ela base para um aprendizado contínuo na prática.

Mas por que eu preciso de um mentor? No Brasil, o índice de empresas que fecham as portas após 5 anos de existência cresceu ainda mais durante a crise do coronavírus. De acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE, a cada 10 empresas, apenas 4 permanecem de portas abertas após os 5 primeiros anos.

Empresas familiares. Treinando sucessores

O empreendedor alcançou o sucesso. Da sua “simples” ideia que muitas vezes nasce de uma paixão ou necessidade, lá de trás, agora já consegue empregar mais de 100 funcionários, abriu lojas e unidades em diferentes cidades e está vendendo online para o Brasil inteiro. Sim, obteve um sucesso em sua jornada de maneira organiza, mas……

Mas como preparar as próximas gerações da família? Será que o filho herdeiro está pronto para assumir a, agora, mega empresa? Empresas familiares. Ou mesmo empresas que preparam seus funcionários para novos cargos de liderança.

“A Mentoria em Gestão de Negócios tem sido escolha certeira de empreendedores que querem treinar futuros líderes, herdeiros e sucessores. O pai e a mãe criaram a empresa. Querem preparar os filhos para a condução da companhia. E com esse investimento, o olhar mais preparado dos filhos somará resultados imediatos para o atual desenvolvimento da empresa e com isso o sucesso poderá trilhar sua própria jornada de sucesso”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê.

Filhos sucessores precisam de amadurecimento. E sabemos que “santo de casa não faz milagre”. Entender que “eu vou passar tudo para eles”, é como imaginar que o professor de matemática não precisa levar o filho à aula de matemática.

A ideia é que os pais ou líderes passem para os sucessores ou novos líderes quais são os valores, as missões e as visões da empresa. A sua história. As suas crenças. A identidade da história da companhia.

Porém, as questões de metodologia, mudanças de mercado, tecnologia e profissionalização para encarar a nova responsabilidade, aí são metas da Mentoria em Gestão de Negócios.

Mentoria, consultoria e coaching

Não confundir com coaching ou consultoria. A mentoria empresarial não tem um prazo estabelecido. Também não consiste em treinamento ou metodologia. Ela é personalizada e pode durar até quando o cliente não achar mais necessário o auxílio do profissional.

Sobre consultor, é aquele que apresenta uma proposta específica para um projeto da empresa, uma determinada questão que tem que ser resolvida. Contratei uma consultoria pontual para a criação de um novo produto. Para colocar a mão na massa. Já na mentoria, o empresário discute periodicamente com o profissional sobre os desafios do negócio, com um suporte mais abrangente, não apenas focado na empresa, mas também no sucesso pessoal do empreendedor. Transfere conhecimento para que você faça.

Tipos de mentoria

Há diversas modalidades de mentoria que são oferecidas. Mentoria formal ou natural. Mentoria presencial. Mentoria online. Mentoria em grupo. Mentoria para negócios. Mentoria para carreira (carreer mentoring). Mentoria em vendas. Mentoria espiritual. Mentoria esportiva. Mentoria para pais e mães de primeira viagem. Entre tantas outras.

Mentor é aquele velhinho sábio?

O mentor não necessariamente precisa ser alguém mais velho que você. Ele precisa ter a habilidade complementar e a experiência necessária para colocar o projeto de Mentoria em Gestão de Negócios em prática.

Meu mentor, meu guru. Quando falamos de mentores, logo nos lembramos de personagens famosos do cinema. Aquele mestre mais velho, sábio, que orienta o herói e protagonista do filme para chegar ao sucesso.

Como Yoda, em Star Wars. O sábio mestre Jedi auxiliou o jovem Luke Skywalker. Ou como Gandalf, em O Senhor dos Anéis, sendo responsável por orientar guerreiros, anões, elfos e hobbits. Ou como o personagem de Robin Williams em A Sociedade dos Poetas Mortos. O professor John Keating transformando a vida de seus alunos. E, por fim, o guru Senhor Miyagi, em Karatê Kid, ensinando o jovem Daniel San.

Como não ser enganado com mentoring

Quando posso contratar a Mentoria? O serviço pode ser contratado na fase inicial do empreendedor. Na fase de desenvolvimento. Ou também em fases de crises e fases mais críticas. Mas como fugir de armadilhas e não ser enganado com mentoring?

“É preciso ter critérios técnicos para não se arrepender com a escolha. Optar por uma mentoria com experiência histórica, com resultados alcançados, com exemplos de casos de empreendedores que se destacaram com o projeto, enfim, entender por inteiro esse know-how oferecido”, comentou Marcus Campos.

Com o contato frequente do mentor, o empresário tem ajuda para evoluir não somente na área profissional, mas também na vida pessoal. A mentoria auxilia na análise de consequências das ações do líder, principalmente em decisões que causam grande impacto na empresa. A experiência do profissional permite que ele observe os processos por um outro ângulo, dessa forma, os empresários podem evitar erros cometidos por falta de formação ou vivência na área.

Mentoria empresarial online agora

A CMP Business Solutions oferece a solução que você procura em Mentoria para Gestão de Negócios. Fale com a nossa equipe de atendimento online. Aguardamos o seu contato para oferecermos as melhores soluções para a sua necessidade.

Categorias
Informações

Gestão de Compras Estratégica: Descubra 3 dicas infalíveis

Como estruturar um departamento de compras? Neste resumo, explicamos quais são as novas tarefas realizadas pelo setor de compras e por que essa área pode transformar os resultados da sua empresa.

Área de Gestão de Compras. O que é? Neste artigo especial, mergulhamos na área e mostramos por que uma Gestão de Compras Estratégica pode transformar os resultados das empresas. Principalmente em tempos de crise. Descubra como estruturar um departamento de compras com planejamento moderno. Ao final do artigo, deixamos o contato para atendimento online gratuito com o objetivo de tirar possíveis dúvidas de uma consultoria especializada – sempre de acordo com a sua necessidade.

O que é a nova Gestão de Compras

Você já parou para pensar na importância desta área para a sua empresa? Pois considere Gestão de Compras uma área estratégica que ajuda a agregar valor ao seu negócio. Mas nem todos os empreendedores têm essa visão.

Tradicionalmente o setor de Compras ainda é visto como um departamento com processos transacionais, operacionais e tarefas banais do dia a dia. Uma visão muito antiga, que não a enxerga como uma área estratégica e poderosa.

Com essa visão distorcida, a imagem que se formou do departamento tem pontos negativos: é uma área lenta, inflexível, burocrática e operacional.

Mas não. O profissional de Compras ganha cada vez mais espaço e relevância nas organizações por razões como: tecnologia da informação (que assegura uma diminuição das despesas e do tempo); e busca por relacionamentos mais próximos com os fornecedores (assegura maior qualidade e menor custo).

“O Comprador ajuda a definir as necessidades da empresa. Como especificar o produto, buscar reduções de custos, selecionar os melhores fornecedores disponíveis no mercado, garantir preços atrativos com qualidade. Com isso, a empresa ganha vantagem competitiva em relação aos concorrentes”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

3 dicas para elevar a Gestão de Compras com estratégia

1: Redesenho dos processos

Os fluxos de processos de compras devem deixar de ser vistos isoladamente. A tarefa de “colocar pedido”, por exemplo, deve ser tratada de maneira integrada com outros departamentos, sincronizando com demandante/cliente interno e fornecedores.

2: Esqueça os métodos antigos para reduzir custos

O aumento da competitividade fez com que as empresas buscassem diminuir os custos de mão de obra, materiais e processos. O setor de Compras fez isso por meio da adoção de práticas de terceirização e pelas negociações com fornecedores. Porém essas negociações não podem ser “barganhais”. Ou seja, elas precisam de preparação e técnicas de negociação adequadas ao mundo contemporâneo. É clichê, mas esse “barato vai sair caro”.

3: Novo relacionamento com fornecedores

A área de Compras, com estratégia, percebeu que valia mais a pena firmar um relacionamento colaborativo com os fornecedores. A preocupação aqui é a entrega de valor mais alto para o cliente final, em parceria com a Cadeia de Suprimentos, o chamado Supply Chain.

Além disso, a área passou a ser vista como um processo contínuo que tem a finalidade de integrar os fornecedores aos processos.

Como colocar as dicas em prática?

Mas para conseguir todos os benefícios, a atual configuração do setor de Compras abrange as seguintes funções – Tarefas realizadas pelo setor de compras:

  • Coordenação do fluxo de produtos e materiais, equilibrando as demandas e o estoque, que não deve estar em excesso;
  • Aquisição de materiais e serviços, além da verificação dos pedidos para identificar se estão de acordo com o pedido de compra;
  • Desenho de políticas de abastecimento com os fornecedores, com o objetivo de garantir prazo, qualidade e preço;
  • Desenvolvimento e capacitação de fornecedores para que eles atendam às necessidades e padrões definidos pela empresa;
  • Avaliação da performance dos fornecedores realizada por meio de indicadores de acordo de níveis de serviços, com gestão e plano de ação quando necessário;
  • Pesquisa de mercado de fornecedores. Objetivo é conseguir soluções inovadoras;
  • Análise da previsão de vendas com outros setores da empresa. Objetivo é assegurar que as aquisições realizadas sejam adequadas à realidade.

Compras, Financeiro e Estoque

O trabalho integrado de compras nas pequenas e médias empresas deve ser realizado de maneira mais próxima com o financeiro e o estoque. Mas todos os demais departamentos são importantes para que as previsões corretas possam ser realizadas.

Planejamento e Gestão de Compras

A Área de Compras Estratégica, dentro da empresa, tem o objetivo de encontrar as melhores alternativas entre os fornecedores disponíveis no mercado, avaliar a oferta e a procura dos produtos, fazer um bom processo de negociação baseado em fatos e criar uma expectativa de valor.

Gestão de compras na Negociação

Essa é uma das principais funções da área de compras estratégicas. Nesse caso o setor entra como um negociador de preços com os fornecedores. E é o que determinará o valor final dos produtos. Como consequência, a competitividade da organização.

Gestão de compras e Estoque

O setor de Compras tem funções inter-relacionadas com o estoque, pois é quem apoia no abastecimento e gestão de entregas junto à Cadeia de Suprimentos, o Supply Chain. O objetivo é controlar a quantidade de produtos que devem ser adquiridos para que todos os outros departamentos fiquem satisfeitos.

“É preciso aperfeiçoar os investimentos para fomentar a eficiência do uso dos recursos financeiros e reduzir a necessidade de capital investido em estoque. Sempre lembrando que um bom nível de estoque assegura que a produção continue operando normalmente. De outra forma, o estoque excessivo gera custos altos para a empresa devido ao armazenamento e controle constante”, orientou Marcus Campos.

É tarefa do departamento de Compras fazer um monitoramento dos níveis de estoque para ter certeza de que estão equilibrados. A área, realizando todas essas tarefas, agrega valor e atinge os objetivos listados.

Como estruturar um departamento de compras

Mas e você? Como está alinhada a área de Compras na sua empresa? Ou, como funcionário, como é trabalhar na área de Compras? Há essa relevância toda que destacamos no artigo? Participe deste blog falando conosco através das nossas redes sociais. Podemos atualizar o artigo após a sua participação e contribuição.

Para estruturar um departamento de compras com o que há de mais moderno na área, fale com a equipe de Atendimento Online da CMP Business Solutions clicando aqui. Com soluções de Governança, Gestão Empresarial e Educação Executiva, a CMP é referência nacional na área. Aguardamos o seu contato.

Categorias
Informações

7 dicas para retomada das empresas no pós-pandemia

Como fazer o retorno das atividades após a quarentena. Conheça Plano da Retomada Estratégica para empresas. Reunimos dicas e ações para colocar em prática agora.

Já mostramos os erros mais comuns de empresas e empreendedores na retomada. Pois neste artigo chegou a hora de reunirmos 7 dicas para a retomada das empresas no pós-pandemia. Qual é a melhor estratégia para fazer o retorno das atividades em 2021? Apresentamos o Plano da Retomada Estratégica. São dicas e orientações que você pode colocar em prática a partir de hoje mesmo.

Empresa em tempos de pandemia

Tivemos um ano atípico em 2020. E com ele aprendemos sobre muitos temas não tão conhecidos pelo mundo empresarial. Relações trabalhistas, retração de demanda, aumento de custos, desabastecimento, falta (ou excesso) de estoque, entre muitos outros.

“A tendência, em 2021, é que aos poucos tudo volte ao normal. Mas já com os olhos abertos para o chamado ‘novo normal’ em 2022, 2023 e etc. É essencial que as empresas tenham um plano de retomada para garantir a segurança de funcionários e clientes”, orientou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Reabertura das empresas com ansiedade

As empresas precisam estar preparadas para enfrentar essa nova realidade sem grandes complicações. Já que o cenário de um modo geral causou muitas tensões para empresários e empregados.

Empresas tiveram suas economias afetadas. E é natural que os empreendedores estejam ansiosos para dar continuidade às operações. Ou ansiosos para discutir a retomada do crescimento.

Cuidados no retorno ao trabalho

Porém, antes de tudo, a primeira situação a ser levada em conta é o aspecto social presente na preservação da vida. Preservar a saúde das pessoas envolvidas na corporação. As empresas têm o dever de disponibilizar protocolos de segurança, visando a preservação da saúde dos colaboradores. Além, é claro, de se prevenir contra possíveis falhas que possam resultar em ações trabalhistas futuramente.

Plano da Retomada Estratégica para Empresas

A criação de um plano de retomada é essencial para que a empresa possa registrar e planejar todas as ações que precisam ser tomadas. Tanto para evitar a disseminação do vírus dentro do ambiente corporativo, quanto para buscar os melhores resultados ao negócio.

O planejamento feito para o término da pandemia deve considerar as possíveis alterações de mercado. Mas principalmente as mudanças relativas às regras de prevenção do contágio. Assim a empresa demonstra preocupação – e ética – com a saúde de seus funcionários e clientes.

Como elaborar o plano e quais informações considerar? Dicas!

Para que realmente seja efetivo, um plano de retomada deve conter alguns aspectos importantes. Detalhamos em 7 dicas a seguir. Acompanhe:

1: Informações sobre a Covid-19. É fundamental designar uma equipe para se informar sobre as atualizações do novo coronavírus. Pode ser o setor de Recursos Humanos, por exemplo. Estarão atentos com as orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde. As etapas da vacinação já atendem aos funcionários da empresa? Há possibilidade de consultar o setor privado para aquisição de vacinas que são desenvolvidas? Murais e e-mails podem ser canais de comunicação para informar e atualizar os funcionários da empresa.
2: Como lidar? O plano precisa prever como a empresa irá lidar em casos suspeitos ou confirmados de coronavírus entre a equipe. “Qualquer suspeita de gripe ou resfriado, a orientação é não comparecer à empresa”. Ou “todos os funcionários estarão de home office até que sejam vacinados”. Enfim, é preciso traçar os planos e estar atento com as mudanças. Uma opção interessante é realizar testes periódicos de Covid-19 juntamente com o plano de saúde da empresa.
3: Grupo de risco. Funcionários que pertencem ao grupo de risco terá qual tipo de tratamento especial? E os funcionários que convivem que pessoas do grupo de risco? É preciso detalhar tudo e deixar sempre de forma transparente para que todos tenham acesso.
4: Adaptações. Vai utilizar algum espaço comum na empresa para reunir informações sobre Covid-19? Por exemplo, na entrada teremos uma sala para troca de roupa e também higienização com álcool gel e máscaras. As máscaras serão oferecidas pela empresa ou os funcionários chegarão com máscaras de suas casas?
5: Transporte. O transporte também entra no plano estratégico. Isso porque o transporte público é um risco maior de aglomeração para a sua equipe. Até mesmo os transportes fretados. Uma alternativa seria o home office, economizando com o valor do transporte. Ou até mesmo a utilização de parcerias com empresas de transporte individual, como Uber, por exemplo.
6: Adequação do espaço físico. Serão instalados acrílicos para separar os funcionários do escritório? Essas separações são importantes para a segurança de funcionários que trabalham juntos na mesma sala. Ou ainda “vamos utilizar a área aberta e externa da empresa para evitarmos ambientes fechados”. Toda essa adequação e atualização precisam ser estudadas.
7: Perspectiva de aumento de demanda ou retração? Por fim, vamos aos números. A entrega da empresa diminuiu com a pandemia? Ou aumentou? Os números precisam ser atualizados para que a Gestão possa tomar as medidas assertivas desse planejamento estratégico.

As principais dúvidas das empresas

Minha cabeça está explodindo com as mudanças da pandemia, mesmo em 2021. Será que é só comigo? Não. Calma. Vamos lá. A pandemia mundial mexeu com empresários do mundo inteiro. Neste momento delicado é preciso ter cautela para refletir sobre todas as questões levantadas abaixo.

No retorno das atividades após a quarentena, continuo orientando o uso de máscaras e todas as precauções?

No plano de retomada da minha empresa, preciso levar em conta o fim do home office. Ele trouxe economia de gastos com alimentação e transporte. Deveria manter o home office?

Como fazer a gestão dos funcionários à distância em home office?

O funcionário está cobrando hora extra, porque enviei um e-mail depois do expediente. E agora?

Preciso pagar o ticket de alimentação mesmo com o home office?

O pós-pandemia é um bom momento para rever o plano de saúde da empresa?

Orientação profissional para retomada

Que tal fazer uma consulta, sem compromisso, sobre o Plano da Retomada Estratégia ideal para a sua empresa, hein? Clique aqui e fale com a equipe de atendimento online da CMP Business Solutions. Encontre as melhores soluções personalizadas para a sua necessidade.

Supere os seus desafios em 2021 com as soluções da CMP.

Categorias
Informações

O que você precisa saber sobre a nova relação Empresa – Cliente no B2B

A transformação no relacionamento entre empresas e clientes. Como se atualizar para evitar erros e não ficar para trás? Selecionamos dicas e curiosidades.

O ano de 2020 foi diferente em todos os sentidos. E a pandemia do novo coronavírus também refletiu no mercado comercial. Neste artigo apresentamos as transformações no relacionamento Empresa e Cliente no mercado B2B, ou seja, de empresa para empresa (business-to-business). O B2B sempre foi pautado na palavra confiança para a construção de relacionamentos.

“O mercado de serviços costuma ser muito relacional, ou seja, antes de experimentar um serviço, você compra a confiança de quem está vendendo. A relação direta sempre foi muito importante, mas agora houve uma mudança de direcionamento com formas mais práticas de fazer negócio. Grandes eventos e negociações continuarão tendo toque pessoal e presencial, mas o dia a dia pode ser tocado virtualmente e de forma muito objetiva”, explicou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Essa transformação é realizada aos poucos. Mas o trem segue passando. Empreendedores precisam arregaçar as mangas “pra ontem”. E quem ainda não entrou, a melhor saída agora é pular com o trem andando e se adaptar com as mudanças o quanto antes. É questão de sobrevivência.

Nós perdíamos tempo?

A primeira reflexão que a pandemia apresentou nesta área foi a seguinte: valeu a pena passar tanto tempo em aviões para realizar reuniões presenciais de uma horinha? Pegar a estrada para prospectar um novo cliente ou agendar uma reunião por Zoom?

Cresceu o investimento em iniciativas digitais. Diminuiu o investimento em eventos físicos, como feiras e palestras presenciais. As versões digitais, muitas vezes, alcançam melhores resultados, alcançam mais pessoas e com um investimento mais baixo. Mas e aquela conversa sobre futebol? E aquele cafezinho?

“É claro que a conversa olho no olho faz falta. Um Rapport por videoconferência, por exemplo, é muito difícil. Então essa confiança, essa relação mais próxima, ela ganha barreiras com o mundo online. Mas é a realidade. É a tendência que veio para ficar. O mundo ideal do pós-pandemia é um modelo híbrido, aproveitando as vantagens que apresentam”, detalhou Marcus Campos.

Rapport é uma palavra de origem francesa. O significado é “trazer de volta” ou “criar uma relação”. Na psicologia, Rapport é uma técnica para criar uma ligação de empatia com outra pessoa, com olhos nos olhos, seguindo gestos e posturas. Essa técnica tem o objetivo de deixar a conversa mais leve, mais pessoal e com mais confiança.

Mercado inteligente

Iniciativas de inteligência de negócios estão em alta. O chamado business intelligence. No artigo sobre Vendas 4.0 (leia aqui) destacamos ferramentas digitais que fazem parte dessa transformação. É o digital, somado à análise humana, alimentando rapidamente as possibilidades de reinvenção das empresas.

Temos vendas digitais, logística acelerada e sistema Omni Channel (Omni significa tudo e Channel é canal, ou seja, a ideia é utilizar todos os canais – online e off-line – para comprar e vender). Nas redes sociais, as Lives se destacam oferecendo capacitação profissional. Assim como o LinkedIn, com presença cada vez mais forte de CEOs, empresários e líderes de forma geral. Todos oferecendo dicas, informações, compartilhando experiências e explicando caminhos.

Quem são os seus influenciadores profissionais? No artigo “Gestão de Carreiras: PDF para se desenvolver hoje”, reunimos dicas para não errar na utilização do LinkedIn.

Mercado humano

Há especialistas que já estão adaptando as siglas B2B para H2H (Human-to-Human), humanizando essa relação. A experiência do cliente é fundamental. Vai além da venda ou do serviço prestado. As pessoas devem ser o centro das atenções neste relacionamento. Mesmo em tempos de videoconferência.

Mas como humanizar? Entenda quais são as dores e necessidades do cliente. O consumidor do “novo normal” quer agilidade, quer estar empoderado e quer participar ativamente da tomada de decisões, entendendo o significado do produto ou serviço. É preciso humanizar a comunicação no relacionamento entre marcas e clientes. Relações frias e distantes ficaram para trás. Transparência e boa comunicação são segredos para quem faz a diferença.

Dificuldades do novo B2B

Quais são as maiores dificuldades ou maiores desafios? Está mais desafiador olhar nos olhos dos prospects (com reuniões presenciais, por exemplo). Está mais desafiador ouvir dos clientes que o orçamento está estourado ou limitado ainda por conta dos reflexos da pandemia. Está mais desafiador fazer aquele follow-up presencial de rotina. Além disso, temos a gestão de times à distância (leia aqui) e o cancelamento de eventos.

Quem se deu bem?

O coronavírus parou muitos empreendedores. Empresas precisaram ser fechadas. Desemprego, medo, transformações, cancelamentos, enfim. As notícias estão aí na história, registradas nos jornais. Mas também há exemplos positivos. Exemplos de empresas que se transformaram. A reinvenção na pandemia. A reinvenção que trouxe bons frutos.

De acordo com pesquisa divulgada pelo Sebrae em abril de 2020, houve quedas significativas em áreas como economia criativa (86%), serviços educacionais (67%) e turismo (88%). Empresas que dependiam diretamente do contato humano tiveram mais problemas.

Áreas de tecnologia, delivery, limpeza e higienização são exemplos que, também segundo as pesquisas, souberam aproveitar a transformação. Passamos a conviver mais com nomes como Google Classroom, Facebook Groups, Microsoft Teams, Slack, Zoom, WhatsApp Business, entre tantas outras ferramentas que facilitaram nossa comunicação virtual.

Gustavo Barbosa Dias, diretor executivo da “Imagem – Sistemas”, explica como o B2B foi transformado na empresa. Em entrevista, Dias detalhou o quão fundamental foi o trabalho de consultoria e mentoria executiva com a CMP Business Solutions.

“Foi importante olhar para dentro e olhar para fora. Dentro com o trabalho híbrido, presencial e remoto. Com as transformações dos nossos desafios internos. E o olhar para fora foi a relação com o nosso cliente. Não pôde ser presencial, mas se tornou ainda mais essencial. O ponto chave foi entender a Jornada do Nosso Cliente”, comentou Gustavo.

“Parece clichê, mas a jornada mudou. E cada cliente tem a sua jornada, tem a sua particularidade. Trabalhamos com as 10 maiores empresas de energia do Brasil. E cada uma recebeu a pandemia de uma forma. Com semelhanças, sim. Mas com características bem singulares e que precisam ser compreendidas da melhor forma”, acrescentou o diretor.

Precisa de ajuda com o mercado B2B?

Quer tirar mais dúvidas sobre B2B? Clique aqui e fale com a nossa equipe de atendimento online. Você receberá a orientação personalizada para a sua necessidade. Conheça o trabalho desenvolvido pela CMP Business Solutions.

Categorias
Informações

10 Piores erros que os líderes cometem à distância

Como motivar a equipe em home office? “Liderando em tempos de Zoom”. Acompanhe dicas para gerir e liderar mantendo o isolamento social.

Alertamos neste artigo quais são os piores erros que os líderes cometem à distância em tempos de coronavírus. Reunimos dicas e informações sobre como motivar a equipe à distância. Como liderar com reuniões por Zoom. Como manter elevado o grau de engajamento e performance com o trabalho de home office. Você sabe como motivar uma equipe inteira em home office? Descubra a seguir os segredos de quem fez a diferença liderando equipes remotas.

Gestão com home office

Apesar da distância física, a gestão de times remotos exige o contato mais frequente entre líderes e seus times, assim como conversas sobre feedback. “As avaliações de desempenho e análises de performance estão sendo mais recorrentes. Aquela cultura de fazer uma reunião de desempenho a cada seis meses com o gestor vai deixar de existir. Com uma gestão à distância, o contato mais frequente também é necessário”, explica Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions.

Os 10 piores erros

1: Sem sair do tradicional. Empresas ou empreendedores que querem todos os funcionários trabalhando ali pertinho. Debaixo do guarda-chuva. Não acreditam no potencial do home office. Fecham os olhos para transformações e mudanças.

2: Sem criar rotina ou horário. Sabe aquele chefe que manda um pedido de relatório depois do expediente? O funcionário está de home office, mas trabalha até 18h. São 22h e ele está respondendo e-mails e com a cabeça a mil. É preciso criar rotinas, regras, um manual das melhores práticas do home office. Sempre com bom senso e transparência.

3: Sem flexibilidade. Aguarde só um minuto, porque vou ali atender a campainha. A chegada do home office vem com a palavra flexibilização. É preciso ter bom jogo de cintura para entender que o filho pode passar atrás da câmera da videoconferência. E que o ambiente “casa + trabalho” está sujeito a ruídos externos e imprevistos que precisam ser encarados como normais. O novo normal.

4: Sem regras. Cuidado com as regras trabalhistas. Uma opção para o cartão de ponto, por exemplo, pode ser um check-in na ferramenta de trabalho utilizada pela equipe. Check-in e check-out. Ou seja, hora para começar e hora para acabar. A regra do jogo precisa estar bem clara e objetiva. Para evitar que funcionários reclamem, posteriormente, porque estão trabalhando em horário estendido. O que é combinado, não sai caro.

5: Sem etiqueta. Não é preciso seguir aquela formalidade completa à risca. Mas o padrão de etiqueta para videoconferência precisa ser seguido. Câmera ligada, uma roupa aceitável para o ambiente, o cabelo penteado, a atenção redobrada contra ruídos (não estou falando, coloco no modo Mudo), enfim, é preciso ter bom senso para não escorregar.

6: Sem exemplo. O líder pede produtividade para a equipe no home office. Mas ele posta fotos no Instagram tomando uma cervejinha no começo da tarde. Ele não liga a câmera do Zoom na videoconferência e pede para todos ligarem. Ele não se comunica com a equipe no horário de trabalho e só faz cobranças em horário fora do expediente. É preciso liderar pelo exemplo, sempre.

7: Sem propósito. Defina de forma objetiva qual é o propósito de cada membro da equipe. Aonde o time precisa chegar? É preciso dar sentido para o trabalho remoto. Com foco e destacando os benefícios da situação vivenciada por todos à distância.

8: Sem integração. Lembre-se que trabalhamos em equipe. É preciso haver integração e sinergia entre os funcionários. Mesmo que à distância. Destaque os resultados alcançados com esse trabalho em conjunto. E não apenas as tarefas individuais. É preciso inspirar cada um para que o coletivo esteja com brilho nos olhos.

9: Sem reconhecimento. Reconheça o valor de cada funcionário do time. Às vezes, um simples parabéns em mensagem particular no WhatsApp pode fazer grande diferença. O líder mostra que está acompanhando. Que está por dentro. E que valoriza e reconhece todos os detalhes do trabalho. Se o funcionário fez uma entrega excelente, à distância, mas sem reconhecimento algum, provavelmente vai se desmotivar e rever aquele trabalhão suado quando aparecer o próximo desafio.

10: Sem diversão. Ninguém merece passar o dia inteiro no Zoom. Não dá. Por isso o líder precisa ter o feeling para descontrair a videoconferência quando for necessário. Ter pausas. Ter momento para um papo mais leve. Ter a hora certa da piada leve. O termo Zoom Fatigue ganhou repercussão nos EUA e nada mais é que o cansaço das reuniões por Zoom. Portanto, crie ambientes leves.

Uma curiosidade: você sabia que o dicionário britânico de Oxford escolheu uma série de termos para traduzir 2020? Uma delas é o “blursday”, neologismo que define dias que parecem todos iguais, como se estivessem borrados. Nos “blursday”, com isolamento social, as telas de computadores, celulares e tablets viraram nossa principal forma de relacionamento com o mundo.

Quem fez a diferença à distância?

A “Imagem – Sistemas” fez a diferença com a transformação do home office. Com cerca de 300 funcionários, a empresa atua na área de tecnologia da informação. Entrevistamos o diretor executivo da Imagem, Gustavo Barbosa Dias, que falou sobre o ganho de produtividade com o trabalho online. Gustavo explica que uma cultura enraizada fez a diferença para que os melhores resultados fossem alcançados.

“Nosso trabalho de criação de cultura organizacional já vinha no sentido de não ser dependente de presença física. A cultura nunca foi pautada por horários, por exemplo. Mas por resultados. Isso foi cultural. E ajudou muito quando a pandemia chegou com o distanciamento social”, observou.

“A comunicação virtual, com essa gestão à distância, é mais efetiva, mas ao mesmo tempo é mais fria. É efetiva porque é direta ao ponto. Uma reunião presencial que antes durava duas horas, passou a durar uma hora no máximo no online. A produtividade aumenta. Mas, claro, o presencial tem mais olho no olho e aproximação”, acrescentou.

Gustavo também alertou para o número excessivo de reuniões. Um dos segredos é dividir essas conversas em reuniões síncronas e assíncronas. As síncronas são reuniões agendadas no calendário e mais elaboradas. As assíncronas são informais, um pedido no WhatsApp, um recado no chat.

“No contato assíncrono, você pode deixar uma mensagem: ‘Olá, quando puder vamos falar sobre aquilo?’ Mas sem a urgência de querer a resposta de imediato. Quando ele puder ver a mensagem, aí te dá um retorno. Essa divisão ajuda muito, além das ferramentas virtuais disponíveis para facilitar comunicação e gestão”, detalhou Gustavo.

A “Imagem – Sistemas” investe em consultoria contínua com a CMP Business Solutions. No site oficial da empresa, a apresentação é detalhada assim: “Ajudamos empresas e governos a dominarem o poder dos dados, entendendo padrões, realizando análises, simulando cenários e trazendo respostas aos grandes desafios dos negócios e da sociedade, para que construam um futuro de sucesso e liderança”.

Dicas finais

Olhe para o futuro sem descartar as lições de 2020. Trabalho híbrido, mesclando home office com presença física? Uma das tendências que veio para ficar no mercado de trabalho foi o trabalho remoto.

Mas, voltando a falar sobre reuniões, vale a reflexão final: será que aquela reunião não caberia num simples e-mail? Será que aquela reunião não seria resolvida com um simples telefonema? Seja no presente, seja no futuro, a palavra simplificar precisar estar presente. Seja prático. Seja simples.

Para saber mais e receber a orientação personalizada para a sua necessidade, clique aqui e fale com a nossa equipe de atendimento.

Categorias
Informações

Gestão de Carreiras: PDF para se desenvolver hoje

Como está o desenvolvimento da sua carreira? Selecionamos dicas para começar agora mesmo a Gestão da Carreira. Baixe PDF gratuito e coloque em prática.

Há três cenários para abordarmos o tema Gestão de Carreiras: com empresários que buscam a profissionalização de seus funcionários; com profissionais que buscam especialização nesta área específica e tem apoio da organização ; e, por fim, com todos os trabalhadores que se preocupam com o desenvolvimento de suas carreiras profissionais individualmente.

Nesta reportagem especial atualizamos informações sobre Gestão de Carreiras de acordo com as tendências que se apresentam ao mercado. Há dicas para colocar em prática hoje mesmo, logo após terminar esta leitura. Disponibilizamos “Gestão de Carreiras PDF” para download gratuito. Acompanhe a seguir. Qual a importância da gestão de carreira para o profissional? Como funciona a gestão de carreira nas organizações? Tem dica de livro de gestão de carreira? Tem sim. E curso? Tem também. Vamos lá! Boa leitura e sucesso na carreira.

Gestão de Carreiras 2020. O que mudou?

No passado, as empresas definiam como seria o desenvolvimento da carreira dos seus funcionários. Mas, hoje em dia, essa situação mudou muito. Agora é o profissional quem cuida da própria carreira. O seu principal ativo é o seu conhecimento. E você leva esse conhecimento para qual empresa for trabalhar e também para sua vida pessoal.

Houve uma época em que as empresas financiavam cursos 100% para seus trabalhadores. Era o comum. Hoje o comum está na parceria. Com descontos e facilidades para que o funcionário se desenvolva. Mas em formatos bem diferentes.

A responsabilidade da carreira é do funcionário. Do indivíduo. Ele precisa estar em constante desenvolvimento e fazer a própria gestão de sua carreira. A nova geração não tem mais aquela ideia de passar 20, 30 anos na mesma empresa. Não. Esse vínculo vem de outras formas. 

Gestão de Carreiras: como motivar minha equipe?

O salário, por si só, não é garantia de permanência de funcionários motivados na empresa. Esse tempo ficou para trás. A nova geração vem sendo motivada por outros benefícios e desafios. Podemos destacar a boa liderança, o bom ambiente de trabalho, a autonomia, o estímulo à criatividade, a flexibilidade (home office), o acesso ao conhecimento, a segurança, entre outros fatores.

“O funcionário ávido por conhecimento não vai ficar feliz somente com um salário bom. É preciso olhar para o todo. Como está a gestão de sua carreira na empresa. Uma solução que muitas empresas estão buscando são os convênios empresariais. Você pode buscar escolas de negócios para a sua equipe. E proporcionar novas possibilidades para eles se desenvolverem”, observou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Os tipos de carreiras

Temos diferentes tipos de carreiras para uma gestão efetiva. Desde a carreira tradicional, aquela de crescimento contínuo na mesma empresa. Passando por carreira sem fronteira, com o funcionário sendo movido a desafios e outros pontos que abordamos acima. Como também a carreira empreendedora, a carreira de liderança, a carreira do especialista, carreira na nuvem (freelas, não sabe nem mesmo quem é o seu contratante), entre outras.

Na carreira de liderança o funcionário começa a receber orientações e capacitações para a área de gestão. Já a carreira Y, ou carreira especialista, é aquela em que o funcionário que se especializa em determinado assunto e se torna referência para os demais da equipe. Mas sem o objetivo de liderar.

“Independentemente de qual seja o seu tipo de carreira, é fundamental buscar o desenvolvimento. Buscar a orientação, a capacitação. Aquela história de levar com a barriga por causa do salário ou da estabilidade, isso é uma cilada. Para funcionário e para empresa”, orientou o Diretor da CMP Business Solutions.

Como não errar no LinkedIn

As redes sociais estão aí. E não existe mais a possibilidade de mostrar um lado pessoal nas redes, como algo que não se misture com o seu lado profissional. Não dá. É aquele exemplo: você contrataria um veterinário que no LinkedIn “anda na linha”, mas que no Facebook e no Instagram comete gafes constrangedoras para um profissional da área? Fica a reflexão. Cuidado com Facebook, Instagram e companhia. A sua vida pessoal está ali. Mas muitas vezes as conquistas profissionais também aparecem ali. E elas se misturam.

Porém, independentemente dessa etiqueta na web, a rede social da Gestão de Carreira chama-se LinkedIn. E é sobre LinkedIn que vamos falar aqui. Sabe quais são os erros mais comuns para uma boa Gestão de Carreira no LinkedIn?

• Criar um perfil e não interagir com ninguém.
• Não oferecer conteúdo relevante sobre a sua área.
• Tenho 10 mil conexões. Mas não interajo. Nunca parabenizo alguém que foi promovido. Ou nunca comento em posts relacionados ao meu setor.
• Falta de planejamento

“É preciso encarar o LinkedIn como um compromisso profissional. Crie um planejamento para atualizar com periodicidade. Seja relevante. Crie conteúdo útil. E participe. Hoje essa é uma das principais ferramentas que temos de networking. Mas se não estiver ativo, aí vira uma paisagem”, indicou Marcus Campos.

PDF Gestão de Carreiras: Baixe gratuitamente

Baixe Gestão de Carreiras PDF – um guia para começar hoje mesmo a transformar o desenvolvimento da sua carreira. Neste download você também encontra uma dica de leitura na área de Gestão de Carreiras.

Interessado em Cursos de Gestão de Carreira? Clique aqui e saiba mais sobre os cursos da CMP Business Solutions.

“Sempre vou levar a bandeira da FDC (Fundação Dom Cabral) pelas ferramentas que aprendemos e utilizamos para raciocinar, ordenar e diagnosticar os problemas, planejar, agir e resolvê-los (…) temos a liberdade de acessar os professores em qualquer hora. Essa proximidade e interação é um diferencial que enriquece o processo de aprendizado”, destacou o Diretor Comercial da TV Record de São José dos Campos, Mario Toledo.

Categorias
Informações

Gestão Empresarial: 5 razões para dominar o tema

Selecionamos dicas e informações da área de Gestão Empresarial; encontre motivos para se aprofundar nesta área e alcançar melhores resultados.

Ah, Gestão Empresarial é assunto para empresa grande.

Hã? Não.

Se você acredita na afirmação acima, mais do que qualquer outra pessoa você precisa acompanhar este artigo até o fim. Gestão Empresarial é fundamental para pequenos e médios empreendedores. E nós explicamos por quê. Selecionamos 5 razões que te mostram que Gestão Empresarial é um tema que qualquer empreendedor precisa dominar. Vamos a eles.

Gestão Empresarial: Conceito

No dicionário do empreendedor, “Gestão Empresarial é o conjunto de ações e estratégias aplicadas na empresa, utilizando recursos financeiros, estruturais e humanos, com o objetivo de fazer a empresa triunfar”.

A gestão é realizada com o foco em crescimento e alcance de melhores resultados. Ou seja, a gestão empresarial é uma maneira de organizar a estratégia e os processos da empresa, para que ela se mantenha e cresça.

A máquina empresarial precisa estar em sintonia perfeita para que tudo funcione bem nessa engrenagem. Como está a produção? Recursos Humanos? E as vendas e marketing? Como está o financeiro? Jurídico? O todo da instituição precisa estar alinhado. Se uma peça der problema, você pode comprometer o pleno funcionamento da máquina.

“Uma base para qualquer empresa, por exemplo, é ter bem definido quais são suas metas, sua missão, sua visão, seus valores. A gestão precisa passar isso para suas equipes. Para que todos estejam alinhados, na mesma página, correndo para o mesmo lado”, orientou Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions.

Diferentes áreas na Gestão Empresarial

Tudo sobre gestão empresarial? Quando falamos das diferentes peças para engrenagem perfeita, temos áreas distintas dentro da instituição. Começando pelas pessoas. A área de Recursos Humanos: vai definir estratégias e planos de desenvolvimento de carreiras dos funcionários. Assim como estratégias para harmonia no ambiente de trabalho, além de processos seletivos eficazes, comunicação ao funcionário sobre novidades da empresa, entre outros pontos.

Outras áreas como Marketing, Vendas ou Produção, por exemplo, estariam com metas e objetivos diferentes. Mas com o foco comum entre todas – com propósito, missão e valores. Com Gestão Empresarial efetiva, a sinergia entre as áreas precisa estar perfeita.

Reflexões antes de investir em Gestão Empresarial

Algumas perguntas importantes para qualquer empresa: Tem insatisfação de funcionários em diferentes níveis? Houve perda de clientes em algum momento ou temos poucos clientes e sempre os mesmos? Conhecemos claramente quem é o nosso público-alvo ou quem são os nossos concorrentes? Estamos realizando um processo seletivo eficaz para contratação de novos talentos? E como está o nosso cuidado com o desenvolvimento desses talentos? Há falhas no nosso controle financeiro? Como estão os números efetivos da produção?

Para todas essas perguntas, desde as mais simples até as mais complexas, a melhor resposta está na Gestão Empresarial.

Ferramentas para Gestão Empresarial

Há uma lista extensa de softwares e ferramentas para gestão de pequenas, médias e grandes empresas. Mas vale lembrar que somente a ferramenta não basta. Ela é uma ferramenta, como o próprio nome diz. Mas não pode ser encarada como um único investimento para solução.

Nas buscas do Google se destacam SAP, Totws, Sankhya, Contmatic, SAP, GoEvo, WCorp, entre outras marcas.

Na lista de pilares da Gestão Empresarial, a Tecnologia tem muita importância. Sobre recursos tecnológicos, temos os ERPs (Enterprise Resource Planning) ou sistemas integrados de gestão. O ERP interliga todos os dados e processos de uma empresa em um único sistema.

Além da tecnologia, há pilares como Planejamento Estratégico, Alinhamento entre a liderança, Métricas e Monitoramento, RH, entre outros.

“O ERP garante uma acuracidade nos dados da sua empresa. Você tem a ferramenta para fazer essa integração. Mas se não tem o plano estratégico da empresa, faltará uma peça somente a tecnologia”, alertou Marcus Campos.

Gestão Empresarial: Salário; e o que estuda?

Cresceu no mercado a busca por formação profissional em Gestão Empresarial. Não são somente os empreendedores que estão interessados nessa capacitação. Mas também os funcionários, líderes de empresas, buscando cargos estratégicos na área. O salário de Gestão Empresarial varia muito. Para uma pequena empresa, por exemplo, ele teria uma faixa. E para uma multinacional, os valores seriam bem diferentes. A base importante para se ter uma ideia é a de um salário de um líder, de um gestor.

De acordo com o portal “Educa Mais Brasil”, o analista empresarial trainee pode ganhar salário de cerca de R$ 2.800 em uma média empresa. Já o profissional mais sênior, na mesma empresa, teria salário de cerca de R$ 5.400.

“Sobre o que estudar, é um pouco de tudo. Mas, sem dúvida, é preciso ter uma especialização em gestão de negócios que engloba: pessoas, gestão de projetos, gestão financeira, ser um bom líder, gestão de marketing e vendas, acompanhar a transformação digital, entre outros atributos”, explicou o Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral.

Gestão Empresarial: Curso para começar agora e livro para inspirar

A dica para começo de conversa é buscar um diagnóstico para a sua empresa (saiba como ao final deste artigo). É preciso formular um plano estratégico, que desdobra em indicadores e iniciativas estratégicas, além de painel de gestão de indicadores e acompanhamento contínuo.

Também é preciso ter um programa estruturado de desenvolvimento e treinamento da liderança. Já associado ao modelo de gestão da instituição. Na lista de pontos de tendências e novidades da área, destacamos o dinamismo.

“É preciso dinamizar o modelo de gestão. O mundo está volátil. Então é preciso revisar constantemente. Nós, na CMP Business Solutions, passamos por mudanças no nosso modelo durante a pandemia, por exemplo. Então esse dinamismo é fundamental”, comentou Marcus Campos.

A empresa precisa se autoconhecer. Uma dica imediata é criar uma Análise SWOT da organização. Identifique forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. De ambiente interno e externo. Este pode ser um pontapé importante para novas reflexões sobre a gestão da empresa.

Dica de livro sobre Gestão Empresarial e Liderança? Anote aí: “Pipeline de liderança, o desenvolvimento de líderes como diferencial competitivo”. Dos autores Ram Charan, Stephen Drotter e James Noel.

Para quem procura por um programa completo de Gestão Empresarial ou curso mais aprofundado na área, a nossa principal dica é a seguinte:

Conheça o PAEX – Parceiros Para Excelência. Trata-se de uma solução educacional com foco no aumento da competitividade e elevação dos resultados para empresas que querem crescer. Para saber sobre outros cursos da CMP Business Solutions, clique aqui.

Categorias
Informações

Desenvolvimento de Conselheiros: O que é? Vale a pena?

Profissionalização das pequenas e médias empresas passa pela Jornada do Conselheiro. Entenda como funciona esse desenvolvimento e por que é importante.

Você sabia que 90% dos negócios realizados no Brasil são de médias e pequenas empresas familiares? Os dados são do IBGE. E esses dados também mostram que aumentou o número de empreendedores que buscam capacitação na área de Desenvolvimento de Conselheiros. Mas o que é a Jornada do Conselheiro? E por que esse investimento vale a pena? Mostramos essas e outras respostas a seguir destacando curiosidades deste atual cenário.

Minha família, minha empresa. Não quero opinião externa

No passado, no Brasil, funcionava bem assim: a empresa é da minha família e eu não quero ninguém xeretando e dando palpites nos nossos negócios.

O tempo passou. E o tempo nos provou que esse exemplo de empresário, citado acima, na maioria dos casos se deu mal. O filho do empreendedor da área de carros não gostava de carros. O sobrinho do empreendedor não estava pronto para assumir a direção executiva da empresa. Exemplos assim se multiplicaram.

Marcus Campos, diretor da CMP Business Solutions, explica que o Desenvolvimento de Conselheiros faz parte do processo de profissionalização das empresas e das famílias empresárias no Brasil. E que um dos maiores receios dos pequenos e médios empreendedores está no custo-benefício da Jornada do Conselheiro. “É caro demais, não é pra mim, minha família não precisa disso, não confio em opinião externa, eu sei de tudo”.

“Temos o empresário que quer se afastar um pouco da empresa para estabelecer o conselho. E temos aquele profissional que foi executivo de empresa, foi CEO, foi presidente e que hoje quer se preparar para o cargo de conselheiro. Mas, realmente, em muitos casos há a síndrome de pequenez, acreditando que aquilo não é para ele porque é muito caro ou que é só para empresas gigantes. E não é assim”, observou Marcus Campos.

Durante a crise do coronavírus, em 2020, também houve procura de empresários preocupados com a sucessão da sua empresa. Será que vou deixar um abacaxi para o meu filho?

“A crise te assusta. E faz você se mexer. De uma forma geral, o pequeno e médio empresário foi em busca de profissionalização”, acrescentou Campos.

Desenvolvimento de Conselheiros

O papel do conselho é definir as diretrizes estratégicas do negócio. Aquilo que nos trouxe até aqui, não é necessariamente o que nos levará para um futuro com crescimento rentável e sustentável. O Programa de Desenvolvimento de Conselheiros tem quatro pilares:

  • Governança corporativa: situa o que é o conselho de administração, como funciona e quais são as peculiaridades.
  • Finanças e resultados financeiros.
  • Estratégia e planejamento.
  • Desenvolvimento das pessoas e capital humano.

Outros pontos importantes são inovação, sustentabilidade e tecnologia. É a oportunidade do empresário de fundamentar conceitos que vivencia na prática, aprofundar conhecimentos e compartilhar ideias.

Desenvolvendo o acionista na família

Um rápido parêntesis está no caso da sucessão familiar. O empresário quer preparar a família para o futuro dos negócios. A pergunta é: como gostaria de garantir a harmonia familiar e a perenidade dos negócios? Precisamos falar sobre acordo societário, governança corporativa, sucessão e planejamento patrimonial. Para este caso, veja nosso conselho ao final deste artigo.

Por que vale a pena?

Estamos falando do incentivo à visão independente, técnica e capacitada dos negócios da empresa. Isso passa pela profissionalização do empreendedor. Também por questões de compliance, um olhar diferenciado para corrupção e uma governança mais estruturada. Por fim, vale lembrar, o Conselheiro se tornou uma profissão e há profissionais em busca de capacitação profissional neste mercado.

“Vale a pena porque as empresas precisam da figura do conselheiro independente. Ele, alinhado com os valores e com a cultura da empresa, traz consigo uma visão equilibrada e isenta com o objetivo do sucesso da empresa. Em momentos de crise ou não, você tem uma visão técnica e não pessoal ou partidária”, explica Marcus Campos.

Outra característica do conselheiro independente é que ele não depende financeiramente da remuneração recebida como conselheiro. Uma curiosidade é que no Brasil, em Sociedades Anônimas ou empresas públicas, a presença de conselheiros independentes é exigência legal.

Quer um conselho?

A Fundação Dom Cabral é referência nacional no Desenvolvimento de Conselheiros. Um dos projetos é o PDC, o Programa de Desenvolvimento de Conselheiros, que tem como objetivo a preparação para o exercício pleno e eficaz do papel de conselheiro. Promove a compreensão profunda sobre a função e as responsabilidades do Conselho de Administração e permite que o participante compreenda a relevância, a complexidade e o alcance do Conselho na dinâmica atual dos negócios.

Outra opção é o PDA, Parceria Para o Desenvolvimento do Acionista e da Família Empresária. Tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento e gestão de empresas familiares, auxiliando seus membros na criação de um ambiente favorável à discussão e à construção de um futuro maduro e profissionalizado. Está há mais de 20 anos no mercado, tendo auxiliado mais de 600 famílias empresárias de todo o Brasil.

Clique aqui e procure a equipe de atendimento da CMP Business Solutions.

Categorias
Informações

Vendas 4.0

Como se tornar um Vendedor 4.0 e se diferenciar no mercado

Falando sobre Vendas 4.0, você sabe quem é esse novo vendedor 2020? Reunimos dicas para treinar seu time de vendas e ganhar destaque no atual cenário

Vendedor bom de papo não fecha mais a conta. Sabe aquela história de tomar um café com o cliente, falar de futebol para puxar a conversa e oferecer uma “cortesia” de vale-viagem? “Preciso agradar meu cliente”. Esse vendedor do passado ficou para trás. Neste artigo apresentamos quem é o Vendedor de 2020, o chamado Vendedor 4.0 quando falamos de Vendas 4.0. Mostramos as suas características, as principais qualidades para se diferenciar no mercado de trabalho e também revelamos dicas que estão multiplicando os lucros de empreendedores. Acompanhe e veja quais são as soluções mais efetivas.

Quem é o Vendedor 4.0?

O novo vendedor é, acima de tudo, honesto. Sinceridade é fundamental para uma venda, seja de um produto ou seja uma venda consultiva. Não funciona vender um tênis de corrida afirmando que ele é perfeito para todos os tipos de esportes. Não. O cliente vai jogar futebol com aquele tênis e vai retornar à loja reclamando porque o calçado rasgou.

Na era da informação e da inteligência, o vendedor precisa estudar muito e ser criativo. Estudar não ocupa espaço. Só abre espaço. O cliente, ainda no exemplo do tênis, vai à loja já sabendo quais são as características do tênis. Quanto ele custa, quais famosos o utilizam e etc. Afinal essa pesquisa prévia foi realizada na internet. O vendedor, portanto, precisa estar à frente. Saber mais. E alertar ao cliente que aquele tênis não pode ser lavado com determinado tipo de produto e que não é recomendado utilizá-lo em campo de futebol society. Agregar, somar, contribuir, usar a criatividade e apresentar as melhores soluções.

Outra característica do vendedor em 2020 é a empatia. É se colocar no lugar do outro. O que o cliente interessado neste produto precisa saber? Qual é a sua dor? Como ele se sente e por que está precisando deste produto? É preciso utilizar todos os recursos disponíveis. Lembre-se: o seu raciocínio rápido e a sua sensibilidade podem te diferenciar de um vendedor robô. Seja estratégico. Seja útil.

Por fim, nas características da Venda 4.0, aliada à quarta Revolução Industrial, podemos silenciar e destacar a palavra ouvir. Ouça quais são as dores do cliente. Ouça e utilize as informações para a sua bagagem. Você precisa construir a sua experiência e dois bons ouvidos são fundamentais para essa característica.

Vendas 4.0: como colocar em prática

Em tempos de tecnologia avançada, não dá para caminhar sem utilizar as melhores ferramentas disponíveis no mercado. A chamada cold call, por exemplo, aquela “ligação fria”, já não se usa mais. Tenho alguns telefones aqui e vou ligar para os meus clientes “no escuro”, sem embasamento nenhum. Não funciona. Conforme explica Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions.

“Colocar a Venda 4.0 em prática é traçar um planejamento estratégico e comercial que esteja alinhado com o melhor que a tecnologia pode oferecer. Venda não é mais uma arte. É técnica, é ciência. Entender, analisar, executar, avaliar e corrigir as ações. São pontos fundamentais”, observou Marcus.

Marketing digital e área comercial estão juntos. O vendedor precisa entender os mecanismos da mente do cliente e seus gatilhos mentais; precisa estruturar ferramentas de marketing para encontrar as respostas; e precisa utilizar da melhor forma os instrumentos de vendas e prospecção de leads.

A nova máquina de vendas (se podemos chamar assim) entende os problemas e as soluções para prospects, trabalha os interesses e os movimentos do cliente, apresenta provas sociais, coloca dentro de um processo decisório e gerencia esse processo. Misture essa receita até o fechamento da venda. E some o processo de acompanhamento da venda e também do pós (que virou “durante”, ou em Tempo Real).

“Esse fluxo e ritmo é o que podemos denominar como alta performance em vendas. O profissional de vendas sabe quanto vai vender e o que fazer para que a venda avance até o fechamento. Explicamos numa Fórmula de Y bem simples, com Inbound Marketing e Outbound Marketing”, acrescentou Marcus Campos.

O pré funil de vendas conta com processo de outbound, que é a prospecção proativa, com ferramentas automatizadas que tragam leads para dentro da estrutura de vendas. O inbound será a vitrine da organização integrando mídias sociais, site, entre outras iniciativas e que pode ser também gerenciado através de uma ferramenta.

Já o funil de vendas é gerenciado assim: desde a entrada do lead na estrutura de vendas até o fechamento do contrato, passando por etapas, como: visita, proposta, acompanhamento e fechamento do negócio.

Conheça o Ramper para chegar ao 4.0

Um dos diferenciais da CMP Business Solutions está no trabalho desenvolvido em parceria com o software Ramper. Mas o que é Ramper?

Ramper é a plataforma de prospecção digital que possibilita escalar a geração de leads B2B e automatizar a prospecção de ponta a ponta – desde construção de listas com seus clientes ideais, passando pelas abordagens até que o lead esteja pronto para ir para o CRM.

O Ramper foi criado a partir da metodologia do Receita Previsível (Predictable Revenue, do escritor Aaron Ross), que serve para empresas que querem escalar suas vendas e, para isso, precisam estabelecer um fluxo de leads e posicionar os profissionais de venda nas funções certas.

A CMP Business Solutions investe na transformação da gestão de negócios. Além do B2B, também atua no B2C com programas de educação. A empresa estruturou o Funil Y, como mostramos acima, com o RD Station e a Ramper, com o objetivo de atrair e nutrir seus prospects no inbound e também fazer a prospecção outbound. Antes de estruturar o Ramper na empresa, o CEO Marcus precisava atuar em 60% das vendas que eram realizadas.

“Começamos a utilizar o software em 2020. A ideia era descentralizar a operação para possibilitar um trabalho mais estratégico. Um ponto importante do Ramper é que ele funciona como um motor de prospecção que acelera todo o processo. Você tem a visão completa, vê as oportunidades, o que está funcionando. As ligações frias por telefone, por exemplo, acabaram”, explicou Marcus.

“A CMP Business Solutions se tornou um canal parceiro da Ramper. Já implementamos a Rumper em mais de 25 empresas através da CMP em apenas quatro meses”, acrescentou.

No planejamento estratégico de marketing digital, além de Ramper e RD Station, há trabalhos desenvolvidos para redes sociais (LinkedIn, Facebook, Instagram), e-mail marketing, Branded Content (geração de conteúdo, como este artigo, por exemplo), entre outras plataformas.

Recados finais aos vendedores e gestores de vendas

Quer se tornar o Vendedor 4.0? Ou quer ver a sua equipe comercial atualizada com Vendas 4.0? Clique aqui e solicite contato com a equipe de atendimento da CMP Business Solutions. Victor Taira Vieira, da empresa Karter Lubrificantes, participou do treinamento. E deixa a sua opinião:

“O trabalho que fizemos foi muito produtivo, pois conseguimos otimizar os processos de vendas, aumentando a quantidade de leads que estamos capturando e conseguimos também melhorar a qualificação do leads. Com essas alterações, já conseguimos visualizar negociações que antes não tínhamos abertura”, elogiou Victor.

 

Categorias
Informações

Plano de Negócios nas Organizações

Diversas empresas ainda fecham suas portas por não entenderem a importância real e aplicabilidade de um bom plano de negócios. De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), cerca de 31% das companhias encerram suas atividades no primeiro ano de funcionamento, chegando a 60% até o quinto ano.

O objetivo principal de um plano de negócios, que pode ser aplicado tanto em uma empresa iniciante quanto em uma organização já existente, é, a partir da ideia central, definir formato, identificar os pontos de diferenciação pelos quais a companhia irá competir no mercado e levantar fraquezas e vantagens da concorrência.

Pontos fundamentais de um Plano de Negócios

Dependendo do segmento e do porte da empresa, existem elementos particulares em um plano de negócios, porém existem pontos básicos que podem ser definidos como:

  • Determinar a área de atuação;
  • Formatar a ideia central de produtos e/ou serviços oferecidos;
  • Saber qual é o público-alvo;
  • Conhecer a concorrência;
  • Ter consciência do posicionamento no mercado;
  • Planejar o crescimento da empresa dentro de um determinado período;
  • Contabilizar volume e perspectiva de investimento no negócio;
  • Definir colaboradores e fornecedores.

Dentro de um plano de negócios o empreendedor precisa definir que tipo de necessidade da sociedade estará atendendo.

Além disso, precisa projetar as premissas financeiras como por exemplo faturamento, custos, etc, o que é considerado um dos maiores desafios.

Categorias
Informações

A importância do Planejamento Estratégico

Os negócios vivem em constante evolução e é caracterizado por sua dinâmica de instabilidades. Mas se as mudanças acontecem a todo momento, por que é relevante planejar o futuro mesmo sabendo que durante a caminhada estaremos expostos a todo tipo de imprevistos?

O planejamento estratégico (PE) é o ponto inicial para todas as ações que uma empresa realizará ao longo de um período para chegar na visão de futuro desejada.

Com o PE, a empresa administrará melhor o tempo e recursos para a estratégia de negócio, focando no que realmente importa a longo prazo, ou seja, aquilo que vai trazer mais prosperidade à empresa.

O planejamento estratégico auxilia na compreensão das mudanças do ambiente interno e externo a organização, pois mapeia problemas que podem surgir ao longo do caminho e a identificar oportunidades de melhoria. Portanto, mesmo que o mercado esteja em constante transformação, isso não invalida a necessidade de ter um plano que direcione os esforços da organização.

Diferente do que alguns imaginam, é justamente a existência do planejamento estratégico que torna a organização mais preparada para as mudanças, pois ele prevê todo um processo de construção, análise e validação contínua da estratégia da empresa.

Por outro lado, a ausência de planejamento abre espaço para inúmeras possibilidades e a organização pode acabar se perdendo nas iniciativas, pois as opções de ações e tomadas de decisão são muito variadas.

Requisitos para o Planejamento Estratégico de Sucesso:

1. Desenhar a Identidade Organizacional, bem como o propósito

O planejamento estratégico resume o propósito da organização porque mostra tanto o presente como o futuro, bem como as relações entre eles:

• Presente: quem a empresa é, onde está e qual o seu atual propósito de existir.

• Futuro: quem a empresa deseja ser daqui a alguns anos e aonde quer chegar.

• O caminho do presente até chegar ao futuro: o que precisa ser feito para chegar na visão de futuro.

• Alinhamento sobre o caminho: quem faz o que para atingir o propósito e como monitorar o percurso para atingi-lo.

Ter esses pontos bem definidos construídos pela liderança faz com que todos tenham uma convergência de ações.

2. Deixar a Estratégia Transparente e clara

Para que a estratégia realmente funcione ela precisa ser simples, clara, fácil e resumida:

Simples: oposto de complicado; simplicidade difere de simplismo, que despreza aspectos essenciais do objetivo.

Clara: tornar compreensível, elucidar o que alguma coisa representa.

Fácil: aquilo que é factível, possível de executar sem dificuldades.

Resumida: curta, breve, sintetizada.

3. Desdobramento da execução da estratégia

O planejamento deve detalhar a execução da estratégia:

Objetivos estratégicos: são os desdobramentos dos temas estratégicos, aquilo que é necessário para concretizá-los.

Indicadores estratégicos: também chamados de KPIs (indicadores-chave de performance), são unidades de medida que mensuram o desempenho dos objetivos estratégicos.

Iniciativas estratégicas: são as ações que precisam ser feitas para chegar nas metas dos indicadores que satisfazem os objetivos estratégicos. Geralmente são projetos ou programas que serão realizados pela empresa.

4. Engajamento do time na busca pela visão de futuro

As pessoas precisam compreenderem o porquê elas devem perseguir um objetivo, caso contrário dificilmente trabalharão visando as consequências de longo prazo. Normalmente, a falta de conhecimento sobre os benefícios de uma ação implica em quedas na produtividade e colaboradores insatisfeitos.

Se as pessoas devem acreditar que a estratégia é possível, elas para investir tempo e energia em coisas que fazem sentido para elas, dando o melhor de si para atingir o propósito. Afinal, ninguém deseja empregar esforços em vão.

A existência de uma motivação contínua vai depender se as pessoas entendem, gostam e compartilham a visão de futuro da empresa.

Por isso o planejamento estratégico se justifica: ele ajuda a disseminar informações importantes e a convencer que a estratégia é possível, facilitando o processo de decisão e reduzindo conflitos.

Resumo

Fazer um planejamento estratégico que seja concreto, útil e assertivo tem sido um desafio para muitas empresas, pois exige disciplina e persistência. É por meio dele que as ações imediatas são transformadas em ações planejadas, direcionando todos os esforços em prol de um bem comum e desenvolvendo o pensamento sistêmico na organização.

Um bom planejamento estratégico aproxima a empresa do seu desejo, aumentando a probabilidade dele se tornar realidade. Além disso deixa o ambiente mais integrado e alinhado, as pessoas passam a falar uma linguagem comum e assim fica mais fácil todos trabalharem na mesma direção.

Conheça nossos programas para empresas que buscam melhores resultados e gestão de excelência. Clique aqui para mais informações.

Categorias
Informações

LGPD: como se adequar? Veja 5 dicas para implementar na sua empresa

Consultoria especializada na Lei Geral de Proteção de Dados prepara pequenos e médios empreendedores para a correta implementação. Como funciona? Como começar?

O tema LGPD, Lei Geral de Proteção de Dados, virou pauta obrigatória também para pequenas e médias empresas de todo Brasil. Você, empreendedor, que tenha um simples cadastro de currículos no site da sua empresa, por exemplo. Ou que tenha feito uma enquete rápida no Instagram da sua marca. Pronto. Em ambos os casos, está sujeito à fiscalização da Agência Nacional de Proteção de Dados, a ANPD. O valor da multa pode chegar a R$ 50 milhões. Mas como se adequar às regras da LGPD? Como implementar, como começar, como se preparar? Neste artigo apresentamos um guia completo com dicas. Descubra segredos para utilizar a lei como benefício para sua empresa. E jamais como um gasto.

O que é LGPD e por que é importante

Primeiro uma introdução rápida. A Lei Geral de Proteção de Dados, sancionada em agosto de 2018, teve forte inspiração na GDPR (General Data Protection Regulation), o Regulamento Geral Sobre Proteção de Dados, criado na União Europeia. A lei entra em vigor em 2020.

A LGPD ou LGPDP tem a função de determinar como as empresas deverão fazer o tratamento de dados dos brasileiros. A lei estabelece parâmetros de como esses dados devem ser coletados, armazenados e até mesmo destruídos.

O Artigo 5 da Lei 13.709/18 considera dado pessoal como a informação relacionada a pessoa natural identificada ou identificável. Ou seja, é toda informação que me permite saber quem é você.

É verdade que pessoa jurídica também se enquadra? Não. Esse é um atributo humano. As pessoas jurídicas não têm dados pessoais. Só as pessoas físicas. Portanto, somente os dados de pessoas físicas relacionados a pessoas jurídicas.

Resumo: “LGPD estabelece regras sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento (venda) de dados pessoais, impondo proteção e penalidades para o não cumprimento”.

LGPD e como se adequar; LGPD para pequenas e médias empresas

Sim, a partir de 2021 as pequenas e médias empresas podem ser multadas em caso de descumprimento da LGPD. A Agência Nacional de Proteção de Dados prevê multas que podem chegar a R$ 50 milhões ou a 2% do faturamento das empresas. A empresa que se adequar com antecedência, apresenta um diferencial no mercado.

“É preciso entender a gestão completa dos dados dos seus clientes. Entender como o LGPD pode gerar valor para a sua marca. Estamos falando de investimento e capacitação para regulamentação de processos que beneficiam os nossos clientes”, observou Marcus Campos, diretor da CMP Business Solutions, que tem uma consultoria especializada em gestão empresarial e em LGPD (saiba mais a seguir).

Tem dúvidas sobre Certificação LGPD? Curso, consultoria? Antes de mais nada, vamos às dicas para implementar a Lei Geral de Proteção de Dados na sua empresa. São 5 dicas:

Dicas: Como Implementar LGPD (como começar, como fazer)
1: Transparência da LGPD

Você recebeu algumas notificações no celular alertando para mudanças em termos de política de privacidade e também em termos de uso de aplicativos? Pois bem. Com a chegada da LGPD, milhares de empresas do mundo inteiro passaram a atualizar seus cuidados com a segurança de dados.

Você já deve ter lido: Facebook é multado em milhões de dólares por deixar vazar dados pessoais de usuários. Uber é multado em milhões por deixar vazar dados de motoristas. São notícias recorrentes entre os gigantes de tecnologia. Mas pequenas e médias empresas nacionais também entram nesse risco com a fiscalização da Agência Nacional de Proteção de Dados.

Portanto, é hora de rever a Política de Privacidade. O termo jurídico utilizado é: o usuário precisa anuir de que forma os dados podem ser tratados. Ou seja, precisa estar de acordo; aprovar, assentir. Não pode ser nada verbal. O consentimento precisa estar por escrito. E registrado.

2: Cuidado com dado sensível em LGPD

O conceito de dado pessoal sensível é o seguinte: são dados relacionados a aspectos íntimos do cidadão, como opinião política, filiação religiosa, vida sexual e dados biométricos. Então nesses casos a preservação precisa ser ainda maior. E o consentimento estar bem claro. Esqueça aqueles papeis com letras minúsculas e um X gigante para assinar tudo de uma vez. Não. É preciso haver uma comunicação limpa, transparente e direta.

3: O que é dado anonimizado em LGPD?

O dado anonimizado é relativo a alguém que não possa ser identificado. Você remove informações que possam identificar uma pessoa. Quer um exemplo? Você é abordado na rua por um instituto de pesquisa que quer saber a opinião dos moradores do bairro sobre uma mudança de trânsito que a prefeitura quer implementar nas proximidades. A prefeitura não quer identificar quem são esses moradores. Apenas quer ter a certeza de que está entrevistando moradores daquele determinado bairro. A pesquisa, portanto, pode ser anonimizada. Ou seja, você vai opinar sobre o trânsito sem passar seu nome, CPF, RG, nem qualquer outro dado que possa te identificar.

4: Coletando dados em LGPD e explicando os porquês

Já falamos de consentimento. Mas aqui reforçamos. É importante detalhar para o cliente como vai funcionar essa coleta. De maneira específica, clara, explícita e livre. Por exemplo: o interesse que a empresa tem em coletar os dados do cliente é comercial; vamos oferecer promoções, como o Aniversariante do Mês, com cupons de descontos específicos. Ou ainda: nosso banco tem uma política de prevenção contra fraude, então precisamos de um leque amplo dos seus dados pessoais. E também: com o seu consentimento, nós vendemos seus dados pessoais com o objetivo assim, assim e assado. Perfeito e lícito. Justificou de forma transparente.

5: Dicas finais de LGPD

Monte uma estratégia de negócio transparente para conseguir dados que você precisa. De forma que o cliente possa compreender e confiar. Invista em base de dados segura, imune de possíveis violações e invasões virtuais. Dissemine os princípios básicos da lei e mantenha sua equipe atualizada sobre o que a LGPD diz. Opte por investir na implementação da LGPD segura e eficaz. Invista em prevenção. Invista para proteger os dados do seu cliente.

LGPD na mídia

Assistiu ao documentário “O Dilema das Redes”, na Netflix? Ou ao documentário “Privacidade Hackeada”, também disponível na Netflix? Os veículos de comunicação produzem cada vez mais conteúdos diferentes relacionados ao tema. Em “O Dilema das Redes”, por exemplo, o espectador conhece criadores de gigantes da tecnologia, como Facebook, Instagram e Google, admitindo que a privacidade dos usuários é um assunto bem delicado. Além de abordarem a questão do vício das pessoas na tecnologia, os filmes mostram pontos interessantes sobre segurança e privacidade.

“É uma reflexão sobre o mundo atual em que vivemos sempre conectados e com os olhos no celular. Ah, recebi uma propaganda de tênis depois que mandei um áudio de WhatsApp falando que precisava comprar um tênis. Ah, a farmácia me mandou uma promoção de fraldas depois que postei no Facebook umas fotos do nascimento da minha filha. Estamos falando de segurança de dados. Estamos falando da nossa realidade”, observou a crítica Ana Carolina Oliveira.

Quando a farmácia pede o CPF na nota, estamos falando de dados. Quando o hospital levanta a ficha médica do paciente, estamos falando de dados. Enfim, a LGPD está até onde você não imaginava que estaria.

“Uma simples notificação no celular, sem ser lida, pode acionar a sua ansiedade de uma forma que você perde o estado de relaxamento de um domingo, por exemplo. Essa invasão da nossa privacidade, de certa forma, agora passa a ser consentida. Ou seja, você aceita que eu faça isso, isso e isso com os seus dados e até os venda para outras empresas? A escolha é sua”, observou o psicólogo Fábio Soares, em entrevista.

LGPD Curso?

Há leitores que procuram sobre cursos de LGPD, certificação, livro de LGPD e até mesmo PDF de LGPD com alguns resumos. A principal orientação neste sentido é procurar a Consultoria LGPD da CMP Business.

Fundada em 2013, a CMP tem robusta experiência em gestão empresarial e de governança. Com objetivos de ganho de eficiência e capacitação de executivos para garantir perpetuidade e valorização das marcas. A CMP é associada à Fundação Dom Cabral, no Vale do Paraíba e Litoral Norte, no interior de São Paulo, e possui centenas de clientes por todo Brasil.

A Consultoria LGPD da CMP é completa e fundamental para a sua empresa atingir os melhores resultados com o investimento adequado em Proteção de Dados. Clique aqui para mais informações.

Categorias
Informações

Retomada do empreendedor. Conheça os 5 erros mais comuns

A retomada da economia está aí. Saiba como as empresas podem criar o planejamento ideal para deixar a crise para trás. Selecionamos dicas para empreendedores.

A retomada da economia bateu à porta. Empreendedores criam o planejamento para o “novo normal”. A estratégia para a retomada pós-crise ou pós-coronavírus. Neste artigo preparamos dicas para empresários de pequenas e médias empresas. Você vai conhecer os 5 erros mais comuns da retomada. E também conferir dicas para não cair nas armadilhas que aparecem. Sabemos que a crise da Covid-19 deixou empreendedores pelo caminho. Alguns precisaram fechar as portas. Mas a hora é de levantar a cabeça. Arregaçar as mangas. E seguir em frente…

1: Não subestimar

Não subestime a dificuldade de empreender nesta retomada. Em 2020, nos meses de março e abril tivemos o início da crise. Com as empresas mais assustadas. Avalie quais são as dificuldades para a retomada. Coloque no papel e não subestime nenhum detalhe.

2: Não superestimar

Não superestime o obstáculo da crise. Se falamos acima que o pé no chão é importante. Aqui reforçamos que susto e pânico não te levam a lugar algum. “Nos meses de junho e julho, o empresário viu o tamanho do buraco da crise. A partir de agosto, já começou a caminhar melhor. Inclusive com casos de demanda represada. Com empresas alcançando números maiores do que do mês de fevereiro, por exemplo, antes da Covid-19”, observou o consultor Marcus Campos, diretor da CMP Business Solutions.

3: Não se conhecer

É preciso se conhecer. É preciso saber quem é a sua empresa. Como ela pensa. Onde ela quer chegar. Portanto, as bases como Missão, Visão e Valores não são coisas de grandes empresas, não. Ter a linha bem definida para Missão, Visão e Valores é fundamental para qualquer pequena e média empresa. É preciso saber o cami