3 razões para mergulhar nos indicadores econômicos da sua empresa

Já acompanhou os indicadores econômicos hoje? O assunto ganha cada vez mais destaque no cenário empresarial. Neste artigo vamos mergulhar no tema, selecionando 3 razões para você saber mais sobre os indicadores econômicos do seu trabalho. Qual é o impacto positivo dos indicadores econômicos e financeiros nas empresas? Quais são os principais exemplos e as principais características? E quais dicas podemos deixar para quem quer ficar por dentro deste assunto? Acompanhe tudo a seguir.

Com direito a um exemplo simples, como se a sua empresa fosse um carro. Como cuidar do motor? Será que estamos olhando somente pelo retrovisor? Ao final, temos uma surpresa com palestra gratuita com inscrições abertas e que será realizada em Mogi das Cruzes (de forma remota).

Entendendo os conceitos de indicador econômico

É preciso entender os números. Para que a sua empresa possa crescer de forma sustentável. Analisando os indicadores, é possível entender o cenário atual da sua organização e como ela pode dar os próximos passos com planejamento estratégico.

Mas o que são indicadores financeiros? São parâmetros que medem e avaliam o desempenho do controle da empresa. Essas métricas de resultado geram informações do âmbito financeiro para a análise de desempenho e de resultado. Ou seja, são dados obtidos através de demonstrativos que medem os resultados e o desempenho do negócio.

Índice de liquidez, margem de contribuição, fluxo de caixa e Demonstrativo de Resultado do Exercício são exemplos de indicadores financeiros para negócios. Veja a seguir características e curiosidades sobre diferentes exemplos de indicadores. Reunimos razões para você saber mais sobre o tema.

1: Entender o Indicador de Lucratividade

Não confundir com lucro. Lucratividade é o que indica a capacidade de um negócio obter resultados. Enquanto que o lucro seria o ganho da empresa, tirando impostos, despesas e etc. A lucratividade é uma porcentagem que mostra o ganho alcançado nas vendas realizadas. Para chegar nessa matemática, é preciso pegar o lucro, dividir pelo total de vendas e multiplicar pelo número 100.

Se o seu índice de lucratividade, por exemplo, for lá para baixo, é preciso tomar as estratégias necessárias imediatamente. Por isso se torna fundamental o mergulho neste tema.

2: Entender o Indicador de Rentabilidade

É rentável? Ou seja, qual é o retorno de determinado investimento sobre os gastos a longo prazo? Se o resultado atingiu o que se esperava no planejamento, então temos uma rentabilidade com resultado positivo. Caso o resultado tenha sido abaixo, então temos um quadro negativo e com a necessidade de tomada de decisões em relação à precificação, às despesas ou ao regime tributário.

3: Entender o Indicador de Liquidez

Este indicador financeiro mostra a velocidade e capacidade com que um ativo pode se transformar em dinheiro dentro da empresa. Temos o cálculo da liquidez de acordo com a possibilidade de cumprir os encargos de curto prazo. Aqui podemos falar de liquidez geral (medindo a capacidade de cumprir obrigações no curto prazo), liquidez corrente (predisposição em realizar obrigações no curto prazo), liquidez imediata (sobre caixa, aplicações financeiras e saldos bancários – de curto prazo), entre outras.

Ferramentas de controle financeiro

Há ferramentas gratuitas disponíveis na internet para o controle do indicador econômico da empresa. Modelos mais simples, além de modelos mais elaborados e pagos.

Na lista de softwares mais conhecidos na área de gestão financeira, podemos destacar ContaAzul, ZeroPaper, Nibo e Granatum. Os softwares são alimentados com os números da sua empresa. E as soluções através de relatórios e alertas já começam a ser apresentadas.

Mais dicas e curiosidades

Ainda poderíamos falar de giro de caixa, fluxo de caixa, entre tantos outros. Mas quais são as dicas práticas e imediatas para analisarmos os indicadores financeiros da empresa neste exato momento?

“A maioria das empresas, pequenas e algumas médias, faz gestão pelo saldo bancário. Quanto entrou, quanto saiu e quanto sobrou. Pronto. Porém fazer gestão pelo saldo bancário é como dirigir olhando apenas pelo retrovisor. Não é suficiente. Para dirigir e chegar a um destino com segurança, é preciso ter a visão completa da empresa. O motorista deve ver pelo para-brisa, pelo retrovisor dos dois lados, ver o display com informações básicas do tanque de gasolina. Na gestão empresarial não é diferente”, disse Marcus Campos, Diretor da CMP Business Solutions, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Vale do Paraíba e Alto Tietê – e que já foi escolhida por mais de 200 empresas na região.

“Ter dados de demonstrativo de resultados. Orçamento. Centros de custos bem estruturados com acompanhamento sistemático. Fazer a gestão do fluxo de caixa com uma visão futura, projeções de cenários. Essa rotina deve ser uma constante para qualquer empreendedor”, acrescentou Marcus.

A analogia do Carro

Continuando no exemplo do carro, citado acima, nossa analogia fica assim:

  • Empresa olhando somente o retrovisor? Está olhando para trás, o passado, algo que já foi.
  • Para brisa é o fluxo de caixa da empresa.
  • O capital de giro é o combustível do carro.
  • A velocidade do carro dita o ritmo que você quer alcançar. Se acelerar muito, aumenta o risco.
  • O freio ou desaceleração pode ser seguro, mas também pode te deixar para trás.
  • A área de Operações da empresa é o motor desse carro
  • É preciso haver sincronismo entre Operações, Finanças e Vendas para que as engrenagens do motor funcionem perfeitamente. Vai consumir mais combustível? Vai gastar mais dinheiro. Finanças é a consequência do processo de vendas e operação.

Vale lembrar que, independentemente do tamanho da empresa ou do mercado, é essencial conhecê-los profundamente, com mergulho completo, e saber realizar as interpretações de forma correta e clara. Ao dominar os indicadores econômicos, o gestor conhece mais o seu negócio, consegue enxergar os próximos passos com planejamento estratégico, além de saber bem quais são os principais pontos fortes e pontos fracos da sua empresa.

“A gestão econômica na empresa também varia de acordo com o porte da empresa, de acordo com a sua maturidade e de acordo com o seu segmento. Falar sobre índice de liquidez numa empresa com dois funcionários pode ser exagero. Então é preciso entender bem essa realidade da companhia para então desenvolver as melhores estratégias”, concluiu Marcus Campos.

Quer esse mergulho mais profundo?

Para mergulhar ainda mais no tema, temos um convite especial a você. Vem aí a palestra “Impacto positivo dos indicadores econômicos e financeiros nas empresas”, com Silvério Dias, uma realização CMP Business Solutions e BNI (Business Network International), em Mogi das Cruzes. A palestra é gratuita. Trata-se de um evento online e remoto, com dicas e informações sobre gestão financeira para pequenas e médias empresas. A data do evento é 10 de agosto de 2021. O horário: 19h00. É preciso se inscrever com antecedência clicando aqui.

#compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email